O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

5 de jan de 2013

Outro golpe de Chávez

Ainda que mais pra lá do que pra cá, Hugo Chávez continua golpista. Deveria assinar sua nova posse como presidente da Venezuela agora no dia 10. Mas seu ventríloquo preferido, Nicolás Maduro, fazendo as vezes de vice-presidente e porta-recados já anunciou que a cerimônia será adiada por 90 dias. Até lá, Hugo Chávez é o presidente dos venezuelanos, com residência, domicílio e internação em Havana, a capital itinerante da República Bolivariana que acaba de invadir Cuba e Fidel nem reclamou. Outro golpe em nome de Chávez que adora fazer o povo de bobo.

Haja bálsamo

Se antes do dia 10 Hugo Chávez bater a botas e não for embalsamado pela notável medicina cubana para se manter sarado para sempre como Fidel Castro, Nicolás Maduro não passará nesses próximos 90 dias - prazo em que a posse foi empurrada com a barriga - de um mero vice-presidente do presidente da Câmara venezuelana, Diosdado Cabello, um chavista de quatro costados. Tido como vivo, no entanto, pela maravilha curativa habanera Hugo Chávez  cotinuará mandando na Venezuela com a sua voz do além. E assim será por muito e muitos anos até que a morte separe o ditador de seus súditos. Mas isso vai demorar.

O Museu

A propósito, por que você acha que o Instituto da Cidadania quer erigir o "Museu da Democracia" naquele terreno no centro de São Paulo que Lula ganhou de mão beijada do melífluo Gilberto Kassab? É só para insensar os mal/feitos do seu proprietário, outro que será embalsamado.

Cama feita

Aproveitando o fim de semana das férias presidenciais e tendo o ínclito governador baiano Jaques Wagner de testemunha ocular da rápida história, Dilma Vana disse para seu atento interlocutor:

- Cara, eu vou ser candidata a segunda-presidenta em 2014.
- Eu também quero ser presidente - disse-lhe o forte candidato a candidato.
- Besteira. Você vai conseguir,no máximo, chegar em segundo lugar.
- Aí, consolido minha eleição para 2018.
- Perda de tempo. Isso você pode fazer sendo meu vice, já no ano que vem...
- E o Lula, vai deixar você ser presidenta de novo?
- A garganta dele já não é a mesma. E tem aquele compromisso dele com a primeira-dama do governo da Série-B. Vai ser melhor pra ele, governar São Paulo.
- E o Temer?
- Não tema o Temer, o Michel cotinuará mandando nas docas portuárias, em meia dúzia de ministérios, em outras tantas estatais e tá bom demais.
- Eu de vice, então agora... E eu de presidente em 2018?!? Tá fechado.

E assim Eduardo Campos ganhou o fim de semana. Voltou para o seu Pernambuco, certo de estar com a cama feita e pronta para se deitar. Como tudo em política, tudo pode ser ou não ser; tudo pode acontecer,  inclusive, nada. Como este diálogo, por exemplo.