O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

22 de out de 2014

MUI AMIGO
Por um bisonho erro de cálculo a Força Aérea dos Estados Unidos despejou sobre a Síria um carregamento de armas e munições que foram cair nas mãos dos terroristas do Estado Islâmico. O reforço bélico era para os curdos. O terro penhoradamente agradece. Já o curdos ficaram sabendo que que tem amigos assim não precisa de inimigos.

PROGRAMAS DE GOVERNO
A um passo das eleições, Dilma e Aécio continuam despejando verdadeiras pérolas em matéria de programas de governo. Aécio: "O PT transforma condenados do Mensalão em heróis" Não mentiu, mas também não disse que essa atitude é o jeito petista de mostrar o que é companheirismo. Dilma: "Proposta tucana de auditoria nos bancos é ameaça ao Bolsa Família". Mentiu, mas deixou bem claro como é que o PT transforma em vilão quem não é companheiro.

PT FORA DO DF
Em Brasília, para quem acredita em pesquisas - e esta é a mais fácil de se fazer - Rollemberg tem, pelo Ibope, 57% contra 43% de Frejat. Dê o que der, o brasiliense já se sente aliviado por mostrar o que acha do PT aqui no Distrito Federal, domicílio e moradia de Dilma Vana, mineira por acaso e "gaúcha de coração".

PT FORA DO RS
Pelo que diz o Ibope, instituto de relações íntimas e frequentes com o governo, o PMDB gaúcho está mandando o PT dar no pé. O placar está Ivo Sartori 59% x 41% Tarso Genro. Parece até os aviões americanos entregando armas para os inimigos lá na Síria. No Sul o PMDB sabe: amigo é amigo, mas companheiro é... é companheiro.

AMIGO É PRA ISSO MESMO

Não é só com as eleições que o Ibope ganha dinheiro do aparelhamento geral promovido pelo governo do PT de Lula, Falcão e Dilma. Dos quase 113 milhões de reais que o governo destinou a institutos de pesquisa, 11 milhões foram para o Ibope.

Desses 11 milhões, 5 milhões e 200 mil reais foram só para aferir a audiência da TV Brasil, a "TV do Lula", ou "A TV Que Ninguém Vê. Tudo sempre sem licitação.

Outra coisa, isso de dizer que "o governo contratou" é eufemismo. Alguém, com duas pernas e dois braços é que age, em carne e osso, em nome do governo, uma entidade abstrata.

E nesse Brasil da Silva ninguém faz nada de concreto, assim de amor e graça. Sempre corre uma comissãozinha de intermediação, sempre sai uma gorjeta que também atende pelo codinome de propina.

PRA DEPOIS
Hoje é dia de faz-de-conta na CPI da Petrobrás. A oposição vai pedir para que Gleisi Hoffmann e seu marido, Paulo Bernardo, ministro das Comunicações venham à comissão para explicar suas relações de amizade com o Petrolão. Ah, mas isso vai ser só depois do dia 26. Bem depois.

COITADINHA
A quatro dias da eleição e os tucanos ainda não descobriram a fórmula de mostrar que a baixaria da campanha tem partido sempre da porção mulher dessa campanha eleitoral. Dilma cutuca o tucano que belisca a agressora, mas não consegue demonstrar que está apenas reagindo. Dilma já viu que quem tem pena se despena. E Aécio ainda não usou a arma que Dilma usou para "desconstruir" Marina: "Coitadinha, não pode ser presidente!".

BENGALADA CÍVICA
Não voto há muito tempo, há muitas eleições. Quando votei, jamais votei "para ganhar"; votei sempre "para melhorar". Neste dia 26, vou sair cedo de casa para fazer o desejum. E vou de bengala. Quero dar uma bengalada cívica no fator previdenciário.

MEA-CULPA
Confesso, o fator previdenciário é a minha propina. Taí ó, o mea-culpa: estou trocando meu voto por ele. É como se um candidato tivesse me prometido, ao invés do tradicional A Bolsa ou a Vida, uma sedutora boquinha no Bolsa Família. O que um governo pode fazer com a gente! E quer saber duma coisa? O que mais me incomoda nesse mea-culpa é escrevê-lo com hífen, graças à balorda reforma ortográfica que Lula assinou sem ler. A propósito e pensando bem, Lula assinou a reforma ortográfica, assim como Dilma assinou a negociata da refinaria de Pasadena: "sem ler direito".A diferença é que Dilma um dia fez o seu mea-culpa e o Lula, não; comeu em tranca.