O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

14 de out de 2014

EBOLA POR CHINKUNGUNYA
Esses marqueteiros de plantão permanente não se dão por vencidos. Mal o ebola do missionário Bah virou resfriado africano e nem bem o Pimetel do PT foi eleito governador e já surgiu em Minas Gerais o primeiro caso de febre chikungunya, concorrente da nossa imbatível dengue. Isso é que um verdadeiro golpe de mestre.

ENTREMENTES

Enquanto isso, em Brasília, domicílio e residência de Dilma Vana, mineira de nascença e gaúcha de coração valente, o Rollemberg está com 53% de intenções de votos contra 35% de Jofran Frejat, o Alter Ego do ficha-suja Zé Arruda, Rei dos Panetones.

Isso é de somenos. O que vale por aqui é que o Aécio tem 69% contra 31% de Dilma. Isso quer dizer que se a eleição fosse um sabonete, 7 em cada 10 estrelas não usariam Lifebuoy.

Ou, porque em política tudo é possível, se transformarem o sabonete em urna, isso significa que dentre 1 milhão e 900 mil votantes brasilienses, Aécio ficaria com cerca de 1 milhão e 300 mil eleitores e Dilma teria coisa de 630 mil simpatizantes.

TÁ, MAS NÃO ESPALHEM
agradeceu, mas assim que se livrou do abraço do urso velho quase implorou para seus estrategistas de marketing que não contassem nada pra ninguém.

MAL ESTARRECIDA
Nesse meio tempo, a Procuradoria da República no Paraná, porque não foi aparelhada pelo governo, rebate Dilma e o PT: "A apuração sobre Youssef e Costa é técnica e apartidária". Os procuradores respondem ao chororô de Dilma, a Impopular, quanto à divulgação dos depoimentos de Paulinho da Petrozorra e do doleiro companheiro, Beto Youssef à Justiça Federal. As audiências não estão sob segredo de justiça. Dilma, no entanto, continua "estarrecida" com o vazamento e não com as denúncias de corrupção e ladroagem.

TROCANDO CARNE POR OVO
OU, MAIS UM TIRO NO PÉ

E então, quando menos se esperava, um emissário de Dilma veio à imprensa e deu de graça e sem mais nem menos a receita do governo para combater o dragão da inflação que não é vaca, mas não para de tossir fogo.

Na semana passada, o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, recomendou candidamente que a população trocasse a carne pelo frango e o frango pelos ovos. Foi mais um tiro no pé. Dilma sentiu logo, nas pesquisas em que ela bota fé, que as donas de casa preferem trocar mesmo é de governo.

Dilma sentiu os cutupicos e veio a público dizer que não concordava com o seu secretário parlapatão. Era tarde, Inês já era morta. Dilma só conseguiu dizer que, assim que for reeleita, tomará "medidas duras contra a inflação".

Ah tá. Não tomou agora e vai tomar depois. Como se hoje ela não fosse a mesma president@ que está há quatro anos no poder e nada fez do que agora promete fazer. Quando deixou de lado a fantasia de papagaio de teleprompter, Dilma saiu mancando do estúdio da TV.

ESTÃO AÍ AS PROVAS
Em termos de escândalo da Petrobras, Dilma Vana é uma gracinha. Está uma arara porque "vazaram" as delações premiadas de Paulinho, da Petrozorra e do doleiro da República, Beto Youssef. Mas que droga! Primeiro, não vazou coisa alguma. As audiências eram e são públicas, não correm sob segredo de justiça. Segundo, o juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal lá no Paraná não fez mais do que fazer o que Dilma sempre pediu. De repente, ela já não grita mais "cadê as provas? Quero as provas!".

SEM CURÉCURÉ
Com o PMDB não tem curécuré, quando se trata de poder. Para ele, rainha morta é rainha posta. A bancada do partido que é governo nesse país desde quando Castello Branco foi feito presidente, vai se reunir nesta quarta-feira para mostrar que o mapa da base de apoio do partido ao governo tem um traçado cheio de minas de pavio aceso. O PT vem batendo de frente com o PMDB em dez estados da República. São os claros sintomas de que o poder está mudando de mãos. Isso já está tão chato que só tratei desse assunto aqui, para inticar com vocês usando a expressão curécuré. Ela é do tempo do Epa.

UM LIVRO, OU A CAPA
A tática de guerra de infundir medo na população nesse tempo de embates eleitoreiros quase deu certo. Meteram um vírus ebola virtual no corpo de um africano para desviar as atenções do escândalo do Petrolão. A farsa foi desfeita. E quem saiu ganhando foi o missionário Soulemayne Bah que está agora meio indeciso, ainda não sabe se escreve um livro ou sai na capa da Playboy.

ALVO DO OVO
Na base do desespero, Lula vai sair das profundezas do companheirismo e fazer um giro pelos Estados onde o PT foi "desprezado". É bom que não vá com Dilma. Por duas razões: a primeira, para que ela não atrapalhe o pré-lançamento de sua campanha "Volta, Lula!"; a segunda, porque pode virar um alvo fácil dos ovos que o governo mandou o povo trocar pelo bife.

CRUZ, CREDO!
Não falta mais nada nesse Brasil da Silva. Agora a Cruz Vermelha está sob o risco de ser suspensa. Uma missão internacional está chegando ao País. É que uma auditoria mostrou um desvio de R$ 25 milhões em donativo e repasse público entre 2010 e 2012. O vermelho, definitivamente, é a cor da moda da corrupção, seja em forma de cruz ou de estrela.

ENSINANDO A VOTAR
Uma dúzia de dias para a eleição final e o TSE insiste em gastar os tubos ensinando o brasileiro a votar nas urnas eletrônicas. Não fala nada sobre o melhor método para se comprovar se elas podem ser manipuladas, ou não. Garante que elas são invioláveis. Ninguém sabe, no entanto, como fazer para controlar o uso e abuso do brasileiríssimo aparato de depósito para as vontades e escolhas do eleitorado. A não ser a palavra de honra do tribunal, hoje sob a nova direção de Zé Antonio Dias Toffoli, ex-advogado de Lula e do PT.