O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

1 de mai de 2016

A CHANCE DE ESCREVER
A HISTÓRIA DO BRASIL

Em entrevista ao programa Canal Livre, FHC deu uma de príncipe dos sociólogos uma vez mais e fingiu ser magnânimo com o par de vasos que destrambelhou o Brasil: "Lula e Dilma estão destruindo suas histórias". Ah, de que "histórias" me ablas, Fernandinho?

Aqueles 31 dias de Lula no porão do Dops Paulista, na cela ao lado do "escritório-vomitório" do delegado Romeu Tuma?!? Ou ablas, por supuesto, daquelas metralhadoras escondidas por Dilma debaixo da cama de um aparelho da Valpalmares que buscava trocar o regime militar pela ditadura do proletariado?!?

Vampará de bobagem, que agora não é hora. Lula pode trocar de domicílio e residência a qualquer momento e Dilma já está pegando o boné e se mandando pra casa mais cedo. Agora é hora de pensar muito direitinho o que as pessoas devem deixar os políticos fazerem.

O povo tem tempo só até 2018 para recomeçar direito o que essa pandilha de sevandijas vem entortando no Brasil há 31 anos. Em 85 acabou bem a ditadura com Figueredo e começou mal a redemocratização com Zé Sarney.

De 64 a 85 a ditadura foi um desastre lento, gradual e irrestrito.  Tão desastrado foi também o que os "redemocratizadores" fizeram com esse país de 85 a 2002. Mas muito pior se deu nesses últimos 13 anos e meio quando roubaram e jogaram para o fundo do poço sem fundo as esperanças de um Brasil igualitário e feliz.

O brasileiro não pode se dar ao luxo de perder o trem da História uma vez mais. Esta geração tem a chance de escrever a história que está caindo nas suas mãos. Que a escreva então de verdade e não para que seja mais um conto inventado por historiadores que apenas desmintam o que outros historiadores inventaram até aqui. E que essa história toda de 64 a 85 e de 85 pra cá, não se repita!

Nossos filhos, nossos netos, seus filhos, seus netos não merecem o desencanto que cobriu o mapa do Brasil de ponta a ponta, lado a lado. Até aqui os personagens dessa história do Brasil são fictícios; qualquer semelhança com pessoas vivas demais não foi coincidência nenhuma. Escrevam um história em que as pessoas de boa índole, de boa vontade, sejam felizes para sempre.