O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

15 de mai de 2016

ORQUESTRAÇÃO POPULAR
Essa "Serenata do Adeus a Dilma" e essa tocata e fuga do "Tchau Querido Lula" foram orquestração do povo. Nenhum partido tem partido nisso. Não se metam pois, de pato a ganso, que a sociedade brasileira sabe muito bem com quem está falando.

INDA QUE MAL PERGUNTE...
É que as duas não têm nada melhor para matar o tempo: Kátia Abreu já foi visitar a Dilma no Palácio da Alvorada?

POR BAIXO
Pô, o PT anda mesmo num tremendo baixo astral. É plena temporada de assassinato de reputações e o partido não conseguiu até agora uma notinha sequer do Estado Islâmico execrando o golpe no Brasil...

DILMA NA OLIMPÍADA
Dilma já voltou para o Palácio da Alvorada, sede do Quartel-General da Resistência. Ela foi a Porto Alegre treinar pedaladas. Sua única chance de ir aos Jogos Olímpicos no Rio é conseguir classificar-se para as provas de ciclismo.

PENSANDO BEM...
Ao mentir despudoradamente para se reeleger, Dilma salvou Aécio Neves desse inevitável fracasso retumbante que é o Brasil da Silva. Ardilosa, ela foi capaz de fazer o diabo para se vingar do Michel Temer. Deu um jeito de lhe entregar o governo, o Palácio do Planalto e o país quebrado. Dilma é como se fosse uma enfermeira malévola que, na hora de cicatrizar as feridas abertas no paciente, abandona o plantão. Dilma deixou a sede do governo e foi relaxar e gozar no Palácio da Alvorada.

OAB METE O BEDELHO
ONDE NÃO É CHAMADA

A OAB agora quer que o Supremo Tribunal Federal afaste do governo Michel My Love os ministros investigados na Lava Jato. Quanto despudor com jeito de vestal tem esse Cláudio Lamáchia, presidente da Ordem. 

Ai, minha sacola! Esses ministros que ele hoje quer defenestrar, foram ministros nos governos da dupla dinâmica Lula e Dilma e ele, Lamáchia, era dirigente da OAB. Por que a OAB não tomou esta atitude antes? 

Talvez por que na lulática democracia de gabinete era bom que sempre coubessem na gaveta o direito de ampla defesa e a presunção de inocência até prova em contrário. 

A OAB tem que se recolher a sua absoluta insignificância nessa questão da troca de Dilma por Michel. Isso foi e é coisa do povo. Não teve e nem tem nada a ver com partidos políticos e, muito menos, com a OAB. 

O povo não suporta nem admite mais procrastinações nem procrastinadores. E tem mais, o povo não esquece que a OAB de hoje é a mesma OAB aquela que por tantas e tão diversas vezes desafinou e destoou da voz rouca das ruas.

RODAPÉ - Todo mundo acha que ministro sob suspeita não deve mesmo ser ministro de coisa nenhuma. Só os nossos pornopolíticos - sejam ou não governantes, estejam ou não estejam no pleno gozo do poder - é que pensam justamente o contrário. Mas agora é tarde, Inês é morta para a OAB. Que a voz rouca das ruas que promove o impeachment trate desse assunto e que a OAB suba no coqueiro se quiser coquinho.