O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

14 de mai de 2016

CRÔNICA DA MORTE ANUNCIADA DO PT, OU:
REMY GORGA TRADUZIRIA CEM ANOS DE SOLIDÃO

Lula deu início ontem às pompas fúnebres do PT. Num arremedo da estapafúrdia Frente Ampla de Zé Mujica no Uruguai, Lula já articula a criação de um novo partido que substitua o falecido PT, nascido Partido dos Trabalhadores, que ele mesmo ajudou a matar. Ajudou a matar o partido, não os trabalhadores.

Desde o ano passado ele já vem elucubrando essa tal de Frente Ampla de Esquerda que pegaria os frangalhos do PT e juntaria com os cacos do bloco composto pelo que ele chama de intelectuais, juristas, artistas, cuspidores, mamadores da CUT, MST, CTB e movimentos pelegos populares. 

Nesta terça-feira 13, meio de maio, na falta do que mais fazer, Lula esteve reunido com um grupelho dessa qualidade. É o que resta para quem anda aos sobressaltos por causa da Vara de Sérgio Moro. 

Como sabe que nenhum partido, por nanico que o seja, vai se juntar ao cadáver ambulante do PT, Lula aposta agora todas as fichas no surgimento de uma sigla que prefere chamar de Frente Ampla, para tratar de sua candidatura para 2018. 

Está pegando o rebotalho político e social para correr em busca do poder perdido. Com o nascimento dessa Frente Ampla, Lula rabisca a crônica da morte anunciada do PT. Coisa de quem ontem nasceu nu e analfabeto, mas que hoje já consegue andar vestido. 

Ah, se o intelectual ativista canhoto colombiano, Gabriel García Marquez vivo estivesse, ao invés de filiar-se a essa Frente que sepulta o PT, condenaria Lula a Cem Anos de Solidão, com direito até quem sabe a mais uma genial tradução do meu bom amigo e velho parceiro Remy Figurelli Gorga, hoje radicado em Quito, coração do Equador.

RODAPÉ - Um dos tradutores preferidos de García Marquez no Brasil, Remy Gorga não traduziu Cem Anos de Solidão. Penso que, no caso dos cem anos para Lula, ele traduziria de bom grado. Remy traduziu para Gabriel García Marques: A Última Viagem do Navio Fantasma; Olhos de Cão Azul; Crônica de Uma Morte Anunciada; Relato de um Náufrago; A Incrível e Triste História da Cândida Erêndia e sua Avó Desalmada; O Outono do Patriarca; Textos Andinos; Um Senhor Muito Velho Com Umas Asas Enormes.