O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

30 de abr de 2016

PT, O DEMOCRATA SOL, OU:
LA DÉMOCRACIE C'EST MOI

Era uma vez um beócio francês, bobalhão e presunçoso e mau como um pica-pau que se chamava Luís e que, por pouco, pouco, muito pouco mesmo não era Luís 13, pois era Luís XIV, assim em algarismos romanos que são mais pomposos.

Ele, bronco e palerma, cheio de si, fez de tudo para ser conhecido como Luís, o Grande. Não satisfeito pelo alcance do epíteto denominou-se O Rei Sol.

Nunca foi de nada, mas reinou por muito tempo. Por mais de 70 anos, o mais longo e duradouro da história da Europa. Mas era metido a usar frases de efeito, fosse lá qual fosse o defeito.

Contadores da historia mundial fizeram-no famoso como dono de uma frase que até hoje todo mundo usa: "L'Etat c'est  moi".

E basta ainda hoje haver uma dúvida qualquer, uma questiúncula qualquer, em qualquer regime monárquico, anárquico, democrático ou esse mesmo que o Brasil padece hoje, para que um paspalho desses cheio de prepotência bata no peito e vitupere: "O Estado sou eu!".

Essas besteiras pegam, contagiam, se espalham como cobra pelo chão.

O que ninguém diz e até poucos sabem por aí é que Luís XIV metido a espirituoso e a ter presença de espírito, tinha uma frase que virou bordão sempre que suas carruagens chegavam exatamente na hora determinada: "Eu quase que esperei".

Parecia uma pequena peça de humor, mas não. Ledo engano. A frase era a revelação do seu caráter absolutista, dominador, tirano, além de mostrar o quanto zelava por si mesmo.

Pois aqui, nos tempos atuais, em plena cabalística Era 13, o Luís de Garanhuns, nascido nu e analfabeto, credita a si mesmo a implantação da democracia no nosso país. E só por isso ele se acha ora Pai dos Pobres, ora Metamorfose Ambulante; atende também quando o chamam de Brahma...

Luís 13 tem também suas frases de efeito para quaisquer defeitos e até para ricas conferências em ditaduras pobres. Ele não diz, mas tem certeza de que a democracia é ele. Ele, a sua criatura e o seu partido.

Quem o viu de perto, treinando o idioma do Rei Sol, já o escutou murmurando com plena convicção: "La démocratie c'est moi et plus la Dilma et le PT".

E vou dizer uma coisinha pra vocês, ele está pulando e andando para o sotaque; o que importa para Luís de Garanhuns, o nosso arcano Luís 13 é o conteúdo: "A democracia sou eu, mais a Dilma e o PT".