O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

5 de abr de 2016

ACABOU O ACANHADO
ESTOQUE DE VERDADES

Lula sempre que tem plateia encomendada ele se acha engraçado e espirituoso. Mistura coisas sérias com piadas grotescas e maledicências propositais.

Ontem, em Fortaleza, para as legiões de gatos pingados de sindicatos pelegos e movimentos sociais encomendados, ele desdenhou de Michel Temer, como se o PT nunca tivesse precisado do PMDB para chegar aonde chegou até implantarem juntos, num companheirismo cheio de cumplicidade, o crime organizado na máquina pública.

Lula foi irônico e pensa que foi engraçado: "Não tenho nada contra o Michel Temer. Mas, acho que para ele ser presidente precisa de uma eleição. Ô Temer, sem voto não vai dá certo!".

Lula faz o povo desavisado pensar que o PT e Dilma receberam sozinhos os tais 54 milhões de votos que nunca foram muito bem contados.

Não fosse a cumplicidade com o PMDB, o PT seria hoje o mesmo PT de sempre que levou uma banho da tucanagem durante oito anos, antes desses últimos famigerados 13 anos de PT no poder.

Esse é o lado popularesco, cínico e demagogo de Lula que não consegue parar de mentir.

O máximo que Lula alcança quando fala com alguém ou para alguém é omitir, às vezes; dizer meias-verdades, de vez em quando e mentir, sempre.

E esse Lula que está doido para ser ministro só para derrubar o presidente de honra do país que carrega dentro do próprio peito, já nem se preocupa mais em dizer mentiras deslavadas.

Antes, no princípio, em que Lula era verbo ele ainda enganava bem; agora que se fez carne, ele nem se preocupa mais em dizer uma mentira que não possa provar. A verdade verdadeira é que Lula só pode mentir. Ele esgotou de vez e para sempre o seu acanhado estoque de verdades.

Bolas, mentir o Lula pode mentir à vontade, até porque não sabe fazer outra coisa. O que não pode é você, um cidadão de boa índole, um homem de bem, titular do time das pessoas de boa vontade, acreditar nas baboseiras mal-intencionadas, burlescas desse parlapatão malcriado que ficou milionário se fingindo de pai dos pobres.