O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

11 de mai de 2016

MARCHA DA QUARTA-FEIRA DE CINZAS
SUFOCA A MARCHA DA INSENSATEZ

Hoje, 11 de maio, quarta-feira de cinzas em marcha. E daqui a pouco, acabou nosso carnaval, no Palácio ninguém ouve cantar canções / Ninguém passa mais / Brincando feliz / E nos corações / Saudades e cinzas / Foi o que restou...

Pode ser que eu me engane, mas ainda hoje, mais tardar até amanhã, vou pegar a viola e cantar o poetinha-profetastro Vinícius.

É que Dilma ainda tem algumas horas de vida presidencial efetiva, porque a afetiva ela já perdeu há muito tempo.

Vejam só no que deu a Marcha da Insensatez às vésperas dessa Marcha da Quarta-Feira de Cinzas.

Os promotores dos tais movimentos populares, do tal Movimento Brasil Popular, pretenso precursor do partido que Lula quer criar no lugar do PT que já morreu e já sabe, não conseguiram arregimentar mais que 30, 40 gatos pingados de pinga e mortadela em meia dúzia de cidades de São Paulo, Salvador, Porto Alegre, Brasília.

E só fizeram baderna. Só atrapalharam o trânsito e o direito de ir e vir daqueles que trabalham em dias úteis.

Queimaram pneus, perturbaram a vida urbana e sufocaram os pulmões alheios, em flagrante delito, com o beneplácito da incendiária de araque, Dilma Vana que do seu palanque no Palácio do Planalto, incentivou a baderna.

Só por isso, Dilma Vana e sua pandilha lulática já eram para estar no purgatório das almas que não conseguem ser mais honestas do que Lula nesse país.

Mas, pressinto que não demora nada eu pego a viola e vou cantar a marcha-poema de Vinícius, começando pela última estrofe: Porque são tantas coisas azuis / E há tão grandes promessas de luz / Tanto amor para amar de que a gente nem sabe... / Quem me dera viver pra ver / E brincar outros carnavais / Com a beleza / Dos velhos carnavais / Que marchas tão lindas / E o povo cantando / Seu canto de paz.