O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

22 de fev de 2016


FOLLOW THE MARKETEER
A Polícia Federal vai incluir o nome do marqueteiro João Santana e o de sua mulher na lista de procurados pela Interpol. Basta que eles não se apresentem ainda hoje diante do Departamento de Investigações da Lava Jato. Santana e a mulher estavam sábado na República Dominicana.  E você aí, assistindo o Faustão na frente da TV.

O TERROR DA CPMF

O governo faz das tripas coração para aprovar a volta da CPMF. É o único jeito de arranjar dinheiro 
para cobrir o rombo de  mais de R$ 106 bilhões que o TCU descobriu e Dilma não conseguiu fazer
as "contas de chegar" do ano passado. Por sinal um ano eleitoral. 

O Palácio, em nome da Dilma, mandou os ministros aliados dessa verdadeira Casa d'Irene fazer 
terrorismo à base de aumento de impostos até fazer Irene dar sua risada. Dilma quer pagar a conta dos 
desmandos e roubalheiras sufocando o comércio, a indústria, a população com impostos escorchantes e
fora de qualquer propósito.

O arrocho vai dos combustíveis, ao sorvete da meninada; do lazer ao custo dos remédios. Se Irene der
mesmo sua risada, vai ser de pura insanidade. Dilma Sapiens está com mandioca na cabeça. Anda à 
beira da loucura. Qualquer dia vai aparecer querendo escrever o assobio.

BEM GALADA

Afora os ministros mandaletes do governo, ninguém mais acredita na  aprovação da CPMF e nem na
reforma da Previdência. E se mexerem mais com os velhinhos aposentados,eles vão tirar o pé da cova e enfiar a bengala na Dilma. Na cabeça da dela, bem entendido. 

Eles vão se amontoar em cima da Dilma. Dilma vai levar muita bengala. Sairá dessa bem galada. Só 
não pensem, pelo amor de Deus que o fracasso da volta da CPMF e da reforma da Previdência, será 
obra da bondade e da consciência de prestar serviços essenciais à população. 

Eles vão recusar a CPMF e a mexida na Previdência só por que é ano eleitoral outra vez nesse país que 
não faz outra coisa do que senão votar.
  •