O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

28 de ago de 2015

EM MINAS GERAIS, O JEITO LULA
DE PROMOVER O "VOLTA LULA!"

Ah, me deu coceira. Não vou deixar isso passar em brancas nuvens. Acho que o cara me deixou foi com urticária... O rico empresário de palestras mais caras do mundo, Lula da Silva, disse na manhã desta sexta-feira de agosto que pode concorrer à Presidência da República em 2018: "Se for preciso vou para a disputa". Disputa então, cara. Ninguém vai se admirar com a chulice do teu verbo. Vem que tem.

Quando consegue uma casamata, longe das ruas, Lula, o rico Brahma dos empreiteiros, estufa o peito e enche a boca. Diz coisas assim com aquela sua enorme convicção de que pode se desdizer na próxima sequência de sílabas, umas bafejadas pelas outras.

E assim escorado e homiziado no microfone da rádio de Itatiaia, de Montes Claros, em Minas Gerais, ele disse  que "não posso dizer que sou, nem que não sou candidato. Sinceramente espero que tenha outras pessoas para serem candidatas...". Ah, não me manches o colarinho a beijos, Lula. Não sou chope, ô Brahma!

Que "não posso dizer" o quê, Lula. Ninguém é mais candidato nesse país desde que Dilma subiu a rampa do que Lula da Silva. Tanto é que, além de deixar uma herança maldita para a Mulher Sapiens, ele não a deixou governar em paz por um segundo sequer, por que nunca largou o osso.

A gente só ficou sabendo que Lula deixara Brasília, por causa daquele comboio de 11 caminhões de mudança que saindo da Capital da República só parou para descarregar tudo, até um crucifixo que foi doado à Presidência da República no tempo de Itamar, num depósito de São Bernardo do Campo.

E essa coisa de só dizer o que logo vai desdizer depois, não contenta o palanqueiro enclausurado, ele tem sempre que cutucar, provocar, ameaçar. Disse, repetindo-se, na esteira de sua entrevista sob encomenda que "Agora, se a oposição pensa que vai ganhar, que não vai ter disputa e que o PT está acabado, ela pode ficar certa do seguinte: se for necessário eu vou trabalhar para que a oposição não ganhe as eleições".

As falas de Lula no microfone da rádio de Montes Claros serviram de estreia para as viagens que ele fará por todo o país "para melhorar a imagem do PT".

Ora bolas, carambolas, falando assim, ele melhora a imagem dele e enfia a imagem de Dilma Mandioca no saco. Essa maratona país adentro e afora é o manjado jeito Lula de promover a campanha "Volta Lula". Não tem nada a ver com o governo Dilma.

Paro por aqui. Por enquanto, decerto. Não que o Brahma seja insuportável; insuportável é aquilo que nos provoca urticária. Assim que aliviar a coceira, se for necessário, eu volto para a disputa.