O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

3 de ago de 2015

PONTOS A PONDERAR

1) PONTO - Advogados de Zé Dirceu esperneiam contra a prisão do seu inocente cliente. Alegam que "não há razão para a prisão de Dirceu. Não há nenhum sinal, nenhum indício de que ele fosse fugir do país.

1) PONDERAÇÃO - Estão confundindo serenata com retreita. A Lava Jato prendeu Dirceu para que não houvesse obstrução da justiça; para que o malfeitor não apagasse as digitais e nem raspasse as pegadas da cena dos malfeitos.

2) PONTO - Perguntado sobre Lula, procurador disse que "ninguém está isento de investigações".

2) PONDERAÇÃO - Para a Justiça rei morto, rei posto. Ainda mais que o Brahma, do Clube das Empreiteiras, não está acima da lei e nem tem foro privilegiado.

3) PONTO - Ministro Jaques Wagner, Pai das Forças Armadas Brasileiras, disse para a imprensa que a prisão de Dirceu não foi tema da reunião de Dilma.

3) PONDERAÇÃO - Claro que não. A reunião de Dilma foi só para saber dos resultados do Brasileirão e por que o Grêmio perdeu para o Sport. Mas inda que mal pergunte: se Dirceu foi preso por que a Lava Jato descobriu que ele foi o articulador do Petrolão, quem era a presidente do Conselho de Administração da Petrobras naqueles áureos tempos?

4) PONTO - Dúvidas internas e externas fazem dólar chegar como nunca antes na história desse novo país a R$ 3,50.

4) PONDERAÇÃO - Dúvidas, uma privica! Dívidas, meu! Dívidas! Dúvida aqui ninguém tem: essa Mulher Mandioca tem mais é que pedir o boné e se mandar.

5) PONTO - Acuada, Dilma agora decide cortar o número de ministérios. Ela e seus notáveis auxiliares estão divergindo entre si. Temem o desgaste com os aliados que perderiam as bocas-ricas com o enxugamento da maior máquina de lavar que qualquer governo já teve nesse mundo.

5) PONDERAÇÃO - Isso não é temor é confissão explícita. Os caras só são aliados por que foram comprados. A moeda foi em dinheiro vivo, em forma de salários e em poder de barganha disfarçado de autoridade. A saúde, educação, transporte, emprego, segurança e serviços essenciais que se explodam.