O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

26 de mar de 2016

SELEÇÃO DO DUNGA 2 X 2 URUGUAI
Elimilatrinas da Copa do Mundo

Tinha que ser numa sexta-feira santa. Haja piedade e santa paciência. Já vai longe o dia em que todo e qualquer brasileiro entendia de futebol. Menos os técnicos, por supuesto.

Hoje, nem os treinadores e muito menos nós todos entendemos bulhufas nem xorofolas do que se vê em campo. 

Acho que naquela Copa das Copas, a Fifa nos roubou até o know how.

À medida em que fomos sendo politizados nas coxas, matamos no peito a triste realidade de que nunca antes ficou tão longe e tão desacreditada a história de que aqui é o País do Futebol.

Bolas, hoje quem bate um bolão são os agentes, os procuradores, os patrocinadores.Jogador mesmo que se preze, craque que é craque de verdade sabe mesmo é se benzer e rezar dentro de campo. Nunca os estádios foram templos tão sagrados do futebol como agora.

Ó... O árbitro acaba de apitar 45 segundos de um minuto de silêncio pelo Johan Cruyff. Fez o sinal da cruz e botou a bola pra correr. 

Caçamba, eu ainda sou do tempo em que os jogos eram realizados em estádios. Agora o futebol é disputado em arenas. Arena pra mim é coisa de gladiador; é pra matar ou morrer. Vai ver que é por isso que os caras fazem tanto sinal da cruz dentro das quatro linhas. 

E o jogo até já começou. Já está 1 x 0 para o Selecionado da CBF. Gol de Douglas Costa de frente para as redes, aos 40 segundos. Nenhum jogador uruguaio tocou na bola.

Pô, aquele zagueirão urugauio tem uma fé inabalável. Acabou de batizar as canelas do Neymar. 

Em compensação, o Neymar crente como ele é, mandou o seu batedor pros quintos do inferno. Mas foi só uma imprecação. Nada demais.

Ah, sim... As duas seleções estão inteirinhas. 

A escalação do Uruguai, eu não sei nem quero saber; a formação do Selecionado da CBF está completa: Neymar e mais dez.

Na Seleção do Dunga não falta ninguém. Até que enfim, a gente pode encher o peito e desabafar: Ufa! Não tem desfalque no Brasil.

É bem como disse aquele cearense mordido de inveja porque o jogo não era em Fortaleza: - Aqui tem mais fanático pernambucano do que torcedor brasileiro. 

Aos 2 minutos, Neymar sofre mais uma falta. Os uruguaios acertaram mais as canelas do Neymar do que a bola. 

Agora, só para dar o troco, Neymar se desvencilha de dois dentro da área e chuta errado. Bola na rede pelo lado de fora. Assim mesmo, Neymar segue o ritual da fé que assola os nossos gramados: olha para os céus, agradece o lance aos poderes divinos e logo se lamenta com um baita palavrão. Fé demais.

O que poderia ser já uma vitória folgada está sendo até aqui, 20 minutos jogados, um resultado à la Dunga. Por falar em Dunga, ele aparece de terno e gravata na TV. Vestido de cartola, mas a bengala está com o técnico do Uruguai que anda meio mal das pernas.

Aos 26 Minutos, Neymar abusa da visão de jogo. Dá uma enfiada de mais de 30 metros que cai nos pés de Renato Augusto que dribla o goleiro e estufa as redes. Dungaleses 2 x 0 uruguaios - com sobras.

Segue o jogo. Neymar é o show, mas a gurizada do Dunga está medonha. Cada um faz um regalito mais bonitinho que o outro. Não chega a ser humilhante para o time cisplatino é que essa coisa de termuito jogador uruguaio lá pelos times da Europa, descaracterizou a garra uruguaia: seu futebol está mais civilizado, menos Obdúlio Varela.

Aos 37 minutos, Neymar arranca, perde a fome de gol e dá um merengue para Douglas Costa que de frente perde o 3° gol, aquele que seria mais feito que os dois anteriores. Um minutinho mais e show de Neymar: um lençol para dois uruguaios no meio da grama. Decerto achou que eles não estavam, digamos, no clima. 

Tanto bobearam que o Uruguai foi lá e a zaga brasileira bateu cabeça e o grandalhão Cavani meteu de qualquer jeito para dentro do gol verde-amarelo que ficou roxo de raiva. Pronto, 2 x 1 - bem com a cara do Dunga. 

Neymar não precisa mostrar que é craque o tempo todo, em todas as jogadas. Ele é craque com dedicação integral. Não tomem a mal essa minha predileção pelo Neymar. É que ele não está no jogo; ele é o jogo.

Aos 44 Neymar avança sozinho pelo meio. Faria o gol com bola e tudo.O bandeirinha deu impedimento. Esse bandeirinha é um cretino. Tá bem, o Neymar estava mesmo impedido. Mas, pô, esse bandeirinha bem que poderia ter acertado em outra hora, num outro lance qualquer, droga.

Acabou o primeiro tempo. Começou o segundo. Gol de Luizito Soares. Soares não perdoa; mata. Prontinho, 2 x 2. A zaga do Brasil continua com a cara do Dunga. 

Sei lá, mas me bateu um pressentimento aqui no fundo de minha viva alma: Lula veio pra sala e ligou a TV num dos apartamentos onde ele pode estar agora homiziado. Lula é um pé no saco. Um pé frio no saco.

Falar com Dunga no intervalo não foi um bom negócio para o time brasileiro. Os jogadores devem estar fazendo tudinho bem do jeito que ele disse para fazer. Uns quatro ou cinco jogadores da nossa seleção voltaram querendo fazer o que só Neymar é capaz de fazer. Quando é escalado na posição dele, naturalmente.

Até os caras do Uruguai estão querendo fazer a mesma coisa que o Neymar faz. E o diabo é que eles querem de um jeito bem melhor que o nosso. A impressão que dá é que a Seleção do Dunga não joga bem nesse lado da tela da TV. 

Ei, Dunga se mexeu. Dunga mexeu. Colocou Felipe Coutinho no lugar de Fernandinho que não tinha nada a ver com a coisa. O jogo só está 2 x 2 por culpa do par de vasos que Dunga escalou como zagueiros e de ninguém mais. 

Vou contar um segredinho para vocês: se o Lula não sair da sala de TV, o Brasil não sai desse renha-renha. Vai empatar com esse Uruguai e olhe lá. Já estou lervando medo que as coisas continuem assim e o Dunga acabe treinando o Vasco da Gama. Apesar do Jorginho, eu não quero o Dunga nem pintado de ouro lá em São Januário.

Aos 30 minutos, entra o pastor Ricardo Oliveira. Dunga bota fé e o evangélico artilheiro entra no lugar de Douglas Costa. Resta rezar para dar certo. Sou agnóstico, eu sabia que ia dar em nada.

Luizito Soares, ao 42 minutos, mostra que é mesmo amigão de Neymar e perde o gol mais feito da partida. O time do Brasil ainda está jogando no outro lado da TV. O Uruguai alugou meia tela só para ele e foi justamente ali naquele lado em que o Brasil jogou no primeiro tempo.

Essa defesa do Dunga, jogando 12 vezes com a Alemanha, vai tomar 7 x 1 mais uma dúzia de vezes. Sorte que hoje essa elimilatrina foi contra o Uruguai. Mas, o jogo acabou. E o pastor Ricardo Oliveira não tocou na bola nenhuma vez. Prova que é bem como dizia o mestre Didi, o Príncipe de Ébano: "Deus não joga, mas fiscaliza".

Estou apelando para o papa Francisco que, apesar de argentino nessas horas não é fanático. Vou botar fé, como ele diz. Guardo a esperanças, mais que esperança a firme convicção de que, semana que vem, em Porto Alegre, esta Seleção do Dunga vai se superar e, com a ajuda dos deuses do esporte, há de conseguir arrancar um honroso empate com o Paraguai.

O que me tira o sono é saber que eu me prestei para ficar acordado até agora, uma e quinze já de outro dia, sabendo que o Lula estava assistindo ao jogo pela TV. Nada poderia ser diferente. O cara é 13 o tempo todo. Uma tremenda urucubaca. Basta ver que a Vara do Moro é a 13ª e o próprio Moro é, no ranking da revista Fortune, o 13° líder mais importante do mundo. 

Eu não tinha nada que ter assistido ao segundo tempo de mais esse tropeção do Brasil rumo à Copa do Mundo na Rússia, um país que não rouba nem deixa roubar.