O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

27 de mar de 2016

A BOA BRISA SOPROU...
VEM AÍ BOM TEMPO

Sergio Moro sempre soube; só você não sabia que ele nunca morreu de amores nem de ânsias para chegar à fase da Lava jato que trata dos figuraças da República do Petrolão.

Ele sempre deu um jeito de ignorar estrategicamente essa pandilha de sevandijas nas diversas e bem-sucedidas operações da força-tarefa da Lava Jato. 

Enquanto estornicava operadores e receptadores comuns, saboreava apenas a angústia da cretinalha que tem foro privilegiado, mas que, a cada fase da Lava Jato, morria de medo de entrar na dança e bailar na curva. 

A força-tarefa da Lava Jato e Sérgio Moro sempre tiveram plena consciência de que os maiores corruptos ativos e passivos dessa roubalheira que assola o país eram detentores de mandatos públicos por eleição ou extrema unção, o que os tirava e tira da sua alça de mira e os coloca sob o manto protetor do Supremo Aparelho Federal - uma casa de companheiros bons e batutas. 

De todos esses públicos, notórios e malfazejos protegidos dessa excrescência legal, Lula - um dos seus maiores expoentes, não tem mandato e por isso não tem direito também à verruga-ferramenta do tal foro privilegiado. E a guerra é toda esta. 

A guerra que Rui Falcão, como presidente do PT põe as garras à mostra e diz que "não quer, mas não teme", é só para livrar a carcaça de Lula da Vara de Sérgio Moro. 

Eu ainda sou daqueles que acreditam que a esperança vai vencer o medo, não só de um Zavascki no colo de quem caiu esse abacaxi, mas de qualquer um dos onze julgadores supremos desse Brasil da Silva, na hora de decidir o futuro de Lula nesse mar de lama. 

Escafedendo-se do bando de Hugo Chávez, um passarinho me contou que a boa brisa lhe soprou que vem aí bom tempo. 

E então, uma vez mais, finalmente será domingo / Naturalmente me vingo e... Vou me espalhar por aí.

RODAPÉ - Gracias à la vida que me ha dado tanto e hoje me livra de um Chico Buarque que outrora fazia versos lindos e revolucionários , aos quais me dou o direito de encaixar no ritmo dos meus sonhos de uma democracia pura. Ah, os lindos versos de Chico eram só versos lindos de um cantante à cata de sucesso.