O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

20 de abr de 2015

INVOCAÇÃO CONTRA
OS PODRES PODERES

Tenho invocação natural contra o poder. Invocação é mais que indignação, é o meu jeito mais humano, natural e imediato de reação. Em verdade, sei que isso não é um sentimento só meu; sei que outros, aos milhares, muitos milhares, também têm essa aversão de berço pelo que, em sociedade e principalmente aqui no Brasil da Silva, se chama poder.

Mas o que sei mesmo é que se trata de um sentimento que, desde os velhos bancos escolares, carrego comigo. Sempre acho que ninguém é suficientemente grande para mim quando sinto que querem me diminuir, que pretendem me apequenar.

A excessiva grandeza, o excesso de poder, muito mais do que me meter medo, me causa singular repulsa e me faz reagir.

E até me anima a fazer rima: Só aceito o poder estabelecido, quando ele é mais querido do que temido. Jamais aceito o poder quando ele está apodrecido; quando vira poder bandido.

Poder foi, uma dia lá longe, o professor de religião no curso de Admissão ao Ginásio, me fazer rezar com a classe inteira, uma Ave-Maria e um Pai-Nosso, antes de começar uma aula de Hist´[oria ou Geografia.

Poder é ser presidente de honra de um partido que vive de propina e corrupção e não morar numa cela 3x4 de um presídio qualquer de segurança máxima.

Poder é presidir a OAB e manter, à força de omissão e conivência, milhares de advogados como colegas de um corrupto condenado e chefe de quadrilha como Zé Dirceu.

Poder é presidir a Câmara de Deputados e pedalar, legislando em causa própria, que não cabe a abertura de um processo de impeachment a uma president@ cujo governo "manobrou" com bancos públicos para cobrir despesas com programas ditos sociais que deveriam ser pagas pelo Tesouro da República.

Poder é um mequetrefe investido do cargo de presidente da República, escolher a dedo um advogado do seu partido político, sem notável saber jurídico, para ministro da Suprema Corte que, um dia, a qualquer momento da História, deverá julgá-lo.

Quando uma nação chega ao ponto que chegamos nesse Brasil da Silva, a regra é a exceção. Muito mais fácil seria enumerar o que não azedou nos poderes constituídos e instituídos que nos cercam, mas fiquei com esses poucos, com esses gatos pingados de podres encardidos, para mostrar como é que se pode aparelhar um Estado e subjugar um povo.

Esses podres poderes me invocam. São poderes estragados, pútridos, carcomidos; são poderes deteriorados, corrompidos. Merecem a minha invocação. E como esse sentimento não é só meu, esse podres poderes merecem a indignação em forma de invocação que tem levado às ruas os brasileiros de boa índole, cansados de corrupção e das desigualdades sociais.

Hoje, já dá para se dizer, o Brasil é um país invocado contra o podres poderes.