O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

5 de nov de 2015

DÓLARES FURADOS
Red Blocks de plantão nessa democrasilva imitaram aquele comediante que jogou dinheiro na cara de Joseph Blatter lá na Suíça e ontem jogaram um punhado de dólares furados em cima de Eduardo Cunha, enquanto ele dava uma de suas instrutivas entrevistas coletivas. Atingido pela chuva de dinheiro, Cunha continuou impassível. Perguntado por que não reagiu, ele foi rápido e rasteiro: - Ah, era dinheiro falso!

O QUE DIZ NÃO É O QUE DIZ
Ontem pela manhã teve um porta-voz do governo dizendo com tom ameaçador e grave que não haveria prorrogação no prazo da regularização de documentos e contribuições trabalhistas para empregados domésticos. Ontem mesmo, à tarde, o governo reduziu o arauto a pó de gafanhoto. Adiou por 30 dias o prazo, em razão de "falhas no site", única forma de atendimento ao público interessado. E assim é que o governo continua o mesmo e não se deixa desmentir: tudo que diz nunca é o que diz.

INDA QUE MAL PERGUNTE...
Você acha que esse é um governo que não rouba e não deixa roubar?

POR EXEMPLO
Um povo que tem um governo que só em 2014 pedalou mais de 60 bilhões de reais e vem passando a lábia há exatamente um ano na prestação de contas, ganha todo o direito de pedalar tudo que bem quiser e quanto precisar. Por exemplo: pedalar o Imposto de Renda porque precisou desviar a grana para pagar a escola dos filhos, ou a padaria da esquina. É que o exemplo vem de cima. Dilma pedalou bilhões porque o cartão corporativo do governo não paga o Bolsa Família, o Minha Casa Minha Vida nem as viagens à Disney World que fica no caminho da ONU. Sei Lá, mas acho que já está passando da hora de pedalar as contas de luz. Essa história das bandeirinhas vermelhas é bandidagem oficial.

NOVO PADRÃO
O que o crime organizado que virou Estado no Brasil da Silva não quer admitir é que, paulatina e inexoravelmente, o padrão Fifa do governo está sendo engolido pelo padrão Sérgio Moro. O jeito Lava Jato de ser é que vai acabar com a pandilha de sevandijas que rouba e deixa roubar.

SEM TINTA NA GRANA
Ontem, Luiz Cláudio Lula da Silva, filho do cara que lhe empresta o sobrenome, ajoelhou e teve que rezar diante da Polícia Federal: confirmou que recebeu dinheiro do escritório que é investigado pela Lava Jato porque lidava com dinheiro roubado da Petrobras. O filho pródigo disse que sua firma de marketing esportivo - verdadeiro bloco do "Eu Sozinho" - prestou serviços para a tal empresa suspeita de comprar a Medida Provisória do cartel dos Veículos. Não demonstrou nenhuma preocupação pela origem do dinheiro. Faz sentido, afinal, a grana não estava manchada de tinta como acontece com aquelas notas que sobram dos caixas eletrônicos arrombados.

"PADRÃO MORO" TIRA JUÍZA
DA OPERAÇÃO ZELOTES

Não é por nada não, apenas porque assim é e assim anda a fila nessa democrasilva que debocha do Brasil e dos brasileiros. A juíza substituta da 10ª Vara da Justiça Federal, Célia Regina Ody Bernardes, acaba de deixar de conduzir a Operação Zelotes.

Sua saída acontece duas semanas depois que ela ordenou a prisão de seis suspeitos de comprar medidas provisórias e também ordenar mandado de busca e apreensão na sede de empresas de Luiz Cláudio, filho de Lula.

A juíza foi dispensada pelo repentino retorno de Vallisney de Souza Oliveira que vai reassumir todos os processos e procedimentos daquela Vara da Justiça, inclusive a investigação da comprometedora Operação Zelotes.

Os investigadores do caso atribuem a saída da magistrada ao "padrão Moro" que ela imprimiu à Zelotes. Para encurtar o caso: desde o ano passado Vallisney atuava como auxiliar convocado no gabinete  de Napoleão Nunes Filho, ministro do Superior Tribunal de Justiça.

O STJ justificou a saída do seu diligente juiz Vallisney ao repentino compromisso de ter que tratar de "motivos particulares". Pronto. É assim que funciona uma democracia de gabinete.

Dá para entender agora o mal que essa pandilha faz ao país, tendo nas mãos o poder que a democrasilva lhes dá. Não é essa gente que não nos representa; agora o que já não nos representa mais são as próprias instituições estatais; são os próprios organismos de defesa do cidadão e da cidadania.

O governo e seus asseclas aparelharam o Estado. Todas as saídas estão sendo fechadas. É por essas e outras que o mestre dos mestres, o chefe dos chefes, il capo de tutti capi ainda não está morando no Complexo do Tremembé, ou na hotelaria da Papuda.

O alento que nos resta é que o "Padrão Moro" está se espalhando pelo país afora. E esta é a tal porteira por onde passa um boi. Logo estará passando a boiada.