O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

22 de mai de 2015

BATALHA SEM HERÓIS

Então estamos assim, Dilma envia uma Medida Provisória para o Congresso e os parlamentares rejeita; o Congresso aprova uma emenda e Dilma remenda, aplicando-lhe um fragoroso veto. Nesta sexta-feira, foi o que se deu. Dilma Vana vetou a emenda aprovada no Congresso que previa o fim do sigilo nos empréstimos e financiamento praticados pelo BNDES.

Dilma foi lá e deu o canetaço contra. Vetou por que acha que o BNDES já faz tudo com muita clareza e, então, a emenda arrepiaria a Constituição. Mas o empurra-empurra não termina aí.

Por causa disso, o Senado e a Câmara vão formar agora uma comissão mista que vai analisar o veto da presidentona e dar seu relatório em 20 dias. Se o veto for derrubado, Dilma Vana tem que promulgar a matéria. No fundo, no fundo, nessa batalha ninguém luta; todo mundo é bom e batuta: o Parlamento foge pra lá, o governo foge pra cá. E o povo no meio, bate cabeça.

A VALE NO LUGAR DA PETROBRÁS

Você acha um absurdo o BNDES fazer qualquer negócio bem "do jeito que Lula nos ensinou" - como até bem pouco sempre dizia Marta Suplicy?

Então fique sabendo que a pandilha que fazia negócios da China com a Petrobras, já descobriu uma outra fonte que ainda não secou e tem muito leite para jorrar.

Como não contavam com a astúcia do governo, ele acaba de retomar o controle da Companhia Vale do Rio Doce que, desde de 1997 estava privatizada.

A jogada foi feita com os fundos de pensão Funcef, da Caixa Federal; Previ, do Banco do Brasil e do BNDESpar - todos de fachada limpa sob controle do Palácio do Planalto. Essa trinca ficou de dona de 53% das ações da companhia.

O governo está de olho gordo por que na Vale é assim: há negócios bilionários feitos sem licitação e sem interferência do Tribunal de Contas da União, além de passarem distantes do Ministério Público.

Sei lá, mas tenho um palpite que essa jogada vai dar com os burros n'água, por que a raposa pode ser muito esperta, mas a serpente é poderosa. E com a Operação Lava-Jato por perto, "a cobra vai fumar" - como sentenciou no Dia dos Pracinhas, a peremptória e tragicômica dona Dilma Vana.