O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

27 de out de 2015

UMA "QUESTÃO DE HONRA" PARA LULA, OU:
MAIS UMA PUNHALADA PELAS COSTAS

Agora é - imaginem! - "questão de honra" para Lula, o rico Brahma do Clube do Bilhão, a saída de Zé Eduardo Cardozo, do Ministério da Justiça da Dilma.

É que Lula, ao invés de se preocupar que os maus modos e os piores maus hábitos entraram em sua casa, está furioso por que o moleirão Zé Cardozo não o avisou que a Polícia Federal detonaria a Operação Zelotes nesta segunda-feira.

Isso é que é moral de um chefe de família: Lula queria tempo pra quê? Duvido que vocês sejam capazes de imaginar algo de mais ético e legal do que esconder pistas e dar sumiço em indícios de delinquências e estrepolias.

Por causa disso Lula deve ser convocado - convocado e não convidado - a depor no escândalo de compra e venda de medidas provisórias no qual a Polícia Federal descobriu as digitais do seu filho, Luís Cláudio Lula da Silva, numa bolada de R$ 2,4 milhões. A MP 471 prorrogou benefícios fiscais para inocentes e lépidas montadoras de automóveis.

O Brahma está possesso porque se sente acuado. Já está sendo olhado muito de perto pelos Federais por causa do tráfico de influência internacional e denunciado em casos de corrupção ao longo da Operação Lava Jato, como aquele em que aparece como camelô de luxo da Odebrecht.

A Polícia Federal e o Ministério Público investigam a atuação de Lula facilitando patrioticamente negócios para a Odebrecht no exterior, à base de dadivosos financiamentos do BNDES.

Agora quem deve estar tão, ou mais preocupado quanto Lula é o seu filho Luís Cláudio, não só porque a Polícia Federal pegou no seu pé em pleno pedal de mais esta bicicleta de desenfreadas pedaladas republicanas, mas pelo simples fato de saber o pai que ele tem dentro de casa.

O filho sabe que, em caso de aperto, a língua presa do velho se solta e dá nos dentes. Logo, logo Luís Cláudio será acusado de tentativa de patricídio que não tem nada a ver com o assassinato da pátria, e tudo a ver com apunhalar o pai pelas costas.