O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

29 de out de 2015

BRAVA GENTE BRASILEIRA

O brasileiro é um povo esbugalhado que não confia no guarda da esquina; no escritório de advocacia que o defende; no hospital que o recebe; no supermercado que frequenta, nem no troco do caixa que o atende, no professor do filho, na receita do especialista que o atende,

O brasileiro é um povo esbulgalhado que não confia no pastor e nem no bispo que o abençoa, no flanelinha que cuida seu carro, nem no marido da vizinha que lhe diz que só vai chegar de viagem amanhã e chega hoje.

O esbugalhado povo brasileiro é uma ilha cercada de desconfianças por todos os lados. Não era assim, mas distraiu-se, foi no papo furado dos grandes palestrantes, embarcou nos discursos da voz rouca que já não sai às ruas. A brava gente brasileira já começa a desconfiar dos vigaristas  que, além do conto do vigário, lhe deram o golpe de uma falsa democracia; uma democracia esbugalhada viciada em usar a lei e os mecanismos da lei para burlar a lei.

O brasileiro é um povo bom de tão bobo que é; um povo que já está começando a perceber que nesse regime de espertos e de espertezas nada é o que parece e já nada mais parece bem só porque tudo lhe parece que está bem.

Mas a vida é assim mesmo, uma carga que se descarga tanto na política como no caminho do bem; tanto na coisa pública como na privada: o mal de se aceitar alhos por bugalhos é que alhos e bugalhos vêm dos bandalhos.

O povo brasileiro, na sua esmagadora maioria é um povo pacífico, ordeiro que, raramente, entra em luta corporal mesmo que o inimigo não seja um moinho de vento. Essa quixotesca maioria é mais manemolente do que espevitada e irritadiça; é menos de revolução armada do que de dar pulinhos irados e virar malcriadamente a cara para seus antagonistas.

Entende-se: o brasileiro de hoje quando nasceu, a primeira guerra mundial já estava decidida; e quando cresceu, ele já era um povo prontinho, à espreita, mal esperando a hora de ser esbugalhado.

RODAPÉ - E aí, louco para dizer-se "apunhalado pelas costas" outra vez, vem Lula da Silva,o Brahma do Clube do Bilhão e confessa descaradamente em mais uma reunião a portas fechadas com o seu antigo Partido dos Trabalhadores: "Tenham certeza de que vou sobreviver. Tivemos eu e Dilma que mudar o discurso e fazer o que a gente dizia que não ia fazer". E pronto, estamos conversados. Estamos combinados que fica tudo a combinar que assim como está, tá pra lá de bom.