O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

26 de out de 2015

QUEM É DO MAR, NÃO ENJOA, OU:
LULA SERIA O GOLEIRO IDEAL PARA DUNGA

Joaquim Levy, o bobão da corte fazendária da Dilma Vana, vem agora, do alto de sua inércia e dos píncaros de sua capacidade de fazer amigos e influenciar pessoas, dizer que "as pedaladas não foram dadas em 2015".

Pronto, mesmo que estivesse falando a verdade - e não está - ele teria deixado tão implicitamente claro que o governo pedalou à vontade no ano passado, que sua declaração foi mais uma confissão explícita de delinquência dolosa de Dilma, a Ciclista Contumaz.

Mas, Joaquim Levy apenas levitou quando repetiu Lula dos pés à cabeça. Lula, o milionário Brahma do Clube dos Empreiteiros, foi um infeliz que até parece que bebe, quando quis ser o irônico que montou o arrombamento geral da nação.

Lula só não se superou no tamanho da imbecilidade, porque sua mancada pode não ter nada de descuidada e ter tudo de proposital.

A infelicidade do argumento seria o que há de mais feliz para quem gostaria de ser candidato numa eleição antecipada para o lugar da Dilma.

Não esqueçam, jamais, nem que a vaca tussa que Lula, o rico Brahma do Clube do Bilhão, quando mostra uma coisa, está escondendo outra.


O Cara disse - e confessou assim, desbocadamente - que "as pedaladas da Dilma foram dadas para pagar os programas sociais, tipo o Bolsa Família e o Minha Casa Minha Vida". Tá! Então, não parece que bebe?!?

Ai, meus balangandãs! Essa doeu. Pô, o TCU não só mostrou, como esfregou na cara dos despudorados e petulantes pedaladores dessa desprestigiada República que "pedalada fiscal" é crime; é uma ilegalidade.

Já está pra lá de demonstrado que as pedaladas não foram usadas apenas para custear os tais programas angariadores de voto. Está provado que o mexe-mexe foi feito para concretizar empréstimos externos: o governo tinha que ter pago a grana que usou indevidamente e não pagou para os bancos do tamanho e da coragem de um BNDES, por exemplo. Mau exemplo, por sinal.

Tá na cara que rolou no meio desse desvio monstruoso de verba e de caráter, dinheirama até para os operadores, os corretores, os receptadores das pedaladas pilantras.

E, pelo que já se viu e já foi dito por honrados delatores premiados, boa parte da grana chegou a partidos políticos. E pelo que já se tem tudo para crer, essa boa parte chegou pela metade aos cofres das siglas companheiras, boas e batutas.

É por isso que até agora não fecharam as contas mal-contadas do governo Dilma de 2014. É por isso que as contas de 2015 também não fecharão.

É por isso, principalmente por isso, que Lula bancando pretensiosamente o defensor do indefensável, mais atolou o pé na lama. Mas isso não é nada demais: quem é do mar, mesmo que seja mar de lama, não enjoa.

RODAPÉ - É porque Dunga não é mesmo o Cara. Se o treinador da Seleção da CBF fosse o Tite, ele já teria convocado o Lula para o lugar dos três goleiros que Dunga chamou agora para enfrentar a Argentina.

Um arqueiro do rei que defenda o indefensável é tudo que o Brasil precisa para se classificar nessas eliminatórias para a Copa das Copas na Rússia.