O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

25 de ago de 2016

NO MEIO DA HIPOCRISIA, A VERDADE
É QUE LULA DÁ "TCHAU, QUERIDA!"

Começa daqui apouco a liturgia da hipocrisia política nacional: é a farsa do julgamento de Dilma Vana. Tanto opositores como governistas - seja lá o que isso queira dizer assim como está dito, ou contado pelo avesso - fazem parecer que Dilma Vana está sendo defenestrada, isso mesmo: jogada pela janela à la francesa, apenas como uma ciclista eventual e como uma mulher que nãos sabe prestar as contas do seu governo. 

É por isso que esses salamaleques todos que vão se estender até terça ou quarta-feira da semana que vem, são a máscara carnavalesca do cinismo dessa democracia de gabinete, onde todos os outros crimes, todos os malfeitos, todos os demais e contumazes delitos de uma governanta cabem numa gaveta. 

Na realidade, a pantomima que agora começa é o merecido julgamento dos governos desenfreados do PT sintetizados por Lula e Dilma nesses quase 14 anos de poder. Nesse ritual de hipocrisia há apenas um raio de honestidade, um único brilho de verdade: Lula continua escapando, mas Dilma já não tem para onde fugir. Tchau, querida! 

Essa despedida é  o mesmo "Tchau, querida" que Lula lhe deu, dona Dilma Fora do Baralho, quando acabou aquele telefonema que Sérgio Moro vazou, impedindo que o seu criador se homiziasse na Casa Civil da Presidência da República. Tchau, querida!

Dilma Vana, presta atenção! O Lula, uma vez mais é quem lhe dá "Tchau, querida!".

O ALERTA DO PT

Esse julgamento vai servir apenas e timidamente para expôr as vísceras do PT como um partido que serviu de caverna para uma facção delinquente que nunca teve um programa de governo, mas alimentou com extrema voracidade o seu plano de riqueza e de poder. 

Essa pandilha de sevandijas ao dizimar o PT acabou sendo um brado de alerta aos brasileiros de que todos os partidos são iguais, talvez com uns que outros apenas com menos talento e ousadia para se deixar cair em tentação.