O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

8 de jun de 2016

O JEITO PT DE GOVERNAR:
"VEM PRA CAIXA, VOCÊ TAMBÉM"!

Tanto quanto vocês, eu também não morro de amores por Michel Miguel. Mas é o que temos até 2018. Então que não venham com golpes dizendo que são contragolpes. Enquanto la nave va, esse governo Temer descobriu que a Caixa Econômica Federal está à beira da falência - eita, nossa Poupança! Eita nossas aposentadorias, nossos pecúlios, nossas pensões! 

Um dos maiores problemas da Caixa atende pelo codinome de "jeito PT de governar". Mais que pedaladas a Caixa foi mal e porcamente dirigida sob a invasão de uma horda de bárbaros portadores da carteirinha do partido. 

Depois de 13 anos e meio de governo petista a Caixa ostenta hoje uma estrutura funcional fantástica: 1 presidento, 12 vices-presidentos, 19 diretores e chefetes que não acabam mais. Uma verdadeira caixa-preta.

Quando Lula subiu a rampa pela vez primeira, a Caixa tinha um superintendente em cada estado da Federação; está dando os doces hoje com nada menos de 70 superintendentes que andam por aí batendo cabeça e levando uma grana vermelha. Era isso que o PT queria dizer quando encontrava um bom companheiro pela frente: "Vem pra Caixa você também. Vem!".

Só neste glorioso ano de 2016,  de janeiro a março, quase R$ 30 milhões, na verdade R$ 29,8 milhões viraram a Conceição do Cauby Peixoto: ninguém sabe, ninguém viu. 

E se vocês não estão lembrados, me deem licença de lembrar: foi a Caixa que por determinação de Lula, o maior e mais azarado torcedor corintiano, bancou o Itaquerão, estádio monumental terminado pela Odebrecht. 

E, como se fosse pouco, ainda de quebra patrocinou a transação de R$ 40 milhões do atacante Pato que hoje goza os capitais na Inglaterra. Era isso que o PT queria dizer com o slogan "A Nossa Caixa". 

RODAPÉ - Mal comparando, a situação aflitiva da Caixa é hoje só mais uma reles e pobre imitação do arrombamento de ontem da Petrobrás. Logo a Caixa dirá para a Petrobras: "Eu sou você, amanhã".