O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

3 de abr de 2016


O DIABO QUE NOS CARREGA

O diabo que nos carrega nesses últimos 13 anos é que os abusos de Lula e seus comparsas são de tal forma repetidos com tamanha naturalidade que já nos parecem uma conduta exemplar. 

A gente nem dá bola mais quando fica sabendo que Lula está acomodado num dos mais luxuosos hotéis de Brasília - o Golden Royal Tulip - fazendo de sua suíte um quartel-general para garantir  a presidente da República no poder.

O que é que não surpreende mais: 1) que ele esteja no tal hotel de ricos, ou que seja ele quem está garantindo a "normalidade" democrática nesse país; 2) com que moeda ele está comprando aliados e influenciando pessoas; 3) que isso seja um abuso ético só admissível entre almas vivas mais inescrupulosas do que honestas; 4) quem esteja pagando as despesas de hotelaria, viagens para cima e para baixo para que ele mantenha Dilma no Palácio do Planalto e ele próprio fora das grades?!?

O RICO PAI DOS POBRES

Já não nos espanta saber que Lula tem feito reuniões de articulações políticas, desde que teve sua nomeação suspensa à Casa Civil. 

O diabo que nos carrega é que investigado pela Lava Jato, suspeito de tudo e mais um pouco, impedido de subir a rampa da sede do governo, Lula esteja a pequena distância do Palácio do Planalto, nesse hotel de luxo, recebendo ministros, dirigentes de partidos, deputados e senadores, como se fosse o Pai dos Pobres que sempre fez questão de ser. 

Aliás, sem pobres nesse país, o que seria de Lula? Esses excessos, pela continuidade desbraguelada, já nos parecem a coisa mais natural na vida de um pobretão sem medo de ser feliz.

Já não nos surpreendemos quando ficamos sabendo que ele teria, lá na sua suíte do portentoso Royal Tulip, se queixado da situação que ele "nunca pensou que estivesse tão crítica" e tenha rouquejado quase às lágrimas para seus interlocutores que "estamos comendo o pão que o diabo amassou".

Ora, bem feito. Quem mandou "fazer o diabo para ganhar as eleições"? O diabo está cobrando. Mas, isso já não nos surpreende e nem nos chama a atenção. Quem está acostumado, não estranha.

Já não nos causa nenhuma estranheza que Lula tenha força suficiente para defenestrar Kátia Abreu do Ministério da Agricultura, por que "ela não tem cacife para conseguir apoio para a Dilma". 

Pode não causar nenhuma surpresa, mas fica a esperança de que Lula diga isso para a própria Kátia... Ele vai ver como é bom uma taça de vinho pelos fios do bigode. Isso é só esperança, porque Kátia desperdiçar vinho não é novidade nenhuma.

"DINHEIRO NA MÃO DO POBRE"

Ficamos impassíveis ao tomar conhecimento de que Lula se irritou com o ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, porque não anda explicando lá essas coisas o quanto o programa econômico do governo vai ser bom para a plebe ignara. 

O ministro teria tentado justificar-se e Lula foi contundente como de mau hábito: "Então você precisam se comunicar melhor porque, seu eu que sou eu não sei, então ninguém sabe"! E a coisa não ficou por aí. 

Lula foi mais Lula do que nunca e ensinou como é que se deve fazer: "Dilma precisa lançar com urgência medidas para pôr dinheiro na mão do pobre"!

Pronto, falou Zaratustra! E isso surpreendeu a você, ou a mim? Nem pensar. Lula é isso aí mesmo. Ele age assim com a maior naturalidade. É o jeito Lula de ser um exemplo de bondade e de virtude. 

E nós já nos acostumamos com o diabo que nos carrega. Afinal, o que seria de Lula se não fossem os pobres desse país? Quanto mais "medidas para pôr dinheiro na mão do pobre", mais poderoso e mais rico, podre de rico, Lula vai ser. É, podre de rico também. 

Qual é o espanto?!? O brasileiro caiu na mesmice; já perdeu o fascínio do imprevisto.