O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

20 de fev de 2015


COUTINHO É GRAÇA
Luciano Coutinho mantido por Dilma-2 no BNDES é a mais perfeita tradução de Graça Foster que foi mantida na Petrobrás até que foi parar no olho da rua, sem abrir a boca e sem ter sequer seus bens e suas contas bancárias bloqueadas.

ACORDO DE LENIÊNCIA

Aroldo Cedraz, do TCU e Luís Adams, advogado-geral da União são dois servidores públicos de alto coturno a serviço das ordens e dos desejos do governo Dilma-2. Eles topam o "acordo de leniência" para as empreiteiras do cartel do Petrolão.

Elas fraudaram licitações, superfaturaram contratos e subornaram  autoridades companheiras, boas e batutas. Esse acordo de leniência prevê até que a empresas que ficaram bilionárias com corrupção ativa, passiva e grandes golpes, participem de licitações públicas. Cedraz e Luís Adams - segundo paginadores de cadernos econômicos - acham que "elas são grandes demais para quebrar".

NÃO CONTABILIZADAS

Acontece hoje com a Controladoria Geral da União o mesmo fenômeno que se deu com Dilma-2 que não conseguiu "fechar as contas" da Dilma-1.

E por acaso, só por acaso, acontece agora com a Petrobrás que ainda não conseguiu "contabilizar" entradas e saídas, receitas e despesas do ano passado e promete debochadamente que vai publicar o relatório auditado de 2014 talvez no fim de março, ou 1° de abril, ou em maio, mês das noivas.

Pois com a Controladoria Geral da União se dá o triste fato de que ela não informou até agora os gastos com cartões corporativos do governo e nem tampouco abre o bico sobre a gandaia com as diárias de servidores em viagem e, muito menos, dá qualquer sinal de vida com relação aos gastos com o programa Bolsa Família.

Se a sua empresa, ou a empresa em que você trabalha, não prestasse contas à Receita Federal... Você já estaria na rua da amargura. E as empresas de portas fechadas.


O SUCESSO É O FRACASSO
DO BOLSA FAMÍLIA

O sucesso do Bolsa-Família é o seu fracasso. Quanto mais aumenta a legião de usuários do programa assistencialista e oportunista do governo, mais aumenta o cordão dos puxa-sacos.

Hoje, o governo burramente enche o peito, abre a boca e alardeia que atende a 50 milhões de beneficiários. Esta é só mais uma relação atualizada de uma boa parte de brasileiros desempregados nesse Brasil Dilma da Silva.

E como é mesmo que vai o fantástico, extraordinário Bolsa-Família? É uma disparada: cria ociosos, aumenta a vagabundagem; estimula ter filhos; as crianças não estudam; ninguém larga o osso; não há porta de saída, só de entrada; gera dependência; pesa no Orçamento da União; compra votos e só acontece no Brasil.

Há controvérsias. O governo diz que não. Mas, o governo não é nenhum delator premiado. Sua palavra não vale nada - basta relembrar o que Dilma-1 disse na campanha eleitoral que a promoveu ao status de Dilma-2.

Então é assim, quanto mais aumenta o número de beneficiários, maior é a derrota do programa. O que parece sucesso é um fracasso nunca visto antes na história do "tudo pelo social" nesse país.


COMO ASSIM, "OUTROS RUMOS"?!?

Essa celeuma toda em torno do tuíter de Joaquim Barbosa pedindo a cabeça de Zé Dudu Cardozo para Dilma, já está passando dos limites.

O governo, a OAB, advogados vorazes, quando defendem que o ministro da Justiça de Dilma-2 tem mesmo que "receber" advogados por fora da agenda e dando conselhos como "não façam acordos de delação premiada", estão advogando em causa própria. Não merecem o menor crédito, nem respeito. É bem assim que agem os advogados de porta de cadeia.

E o Zé Dudu também é outro que o trem não pega: gabou-se com os visitantes prometendo que "depois do carnaval, a Lava Jato vai tomar outros rumos".

Como assim, "tomar outros rumos"? Ele está sabendo alguma coisa que os brasileiros não sabem... Mas, o seu ministério que é da Justiça de Dilma-2, muito mais que da República não pode interferir na atuação dos tribunais de justiça. Zé Dudu está apenas jogando pra torcida que é tudo que ele sabe fazer. E faz mal.