O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

2 de fev de 2015


RETALIAÇÃO
Desde que a Aids é Aids no Brasil é sagrada na Globo, durante o carnaval, a campanha do governo de prevenção à doença. Neste ano, não vai ter. Nem na Globo e nem na revista Veja. Vai ver que o seminovo Ministério da Saúde de Dilma erradicou a Aids e a gente nem ficou sabendo. Ou, então, o governo andou botando dinheiro fora desde os outros carnavais.

MAIS CAIXAS-PRETAS
O Petrolão não terminou e nem sequer está próximo de chegar ao fim e já estão entrando na pauta da corrupção e dos malfeitos, o BNDES e a Eletrobras. Há ainda as caixas-pretas dos fundos previdenciários, das ONGs, dos institutos de palestras, dos... Ora, há caixa-preta em cada engrenagem da máquina mortífera administrativa dessa Democracia da Silva.

QUE CPI QUE NADA!
Só os parlamentares e o próprio governo, tão envolvidos quanto os empreiteiros e operadores no Petrolão, querem uma nova CPI da Petrobras. Esse período de festa já passou. O Ministério Público e a Polícia Federal estão tratando do assunto. Falta agora chegar ao Casal-20. A Petrobras é caso de polícia. Precisa apenas de duas urgentes providências: a devolução dos bilhões que foram roubados e cadeia para os malfeitores.

ENTRE MORTOS E FERIDOS
E então terminou a batalha pelo domínio do Senado e da Câmara. Entre mortos e feridos, Dilma Vana ficou aos cacos. Vai ter que lutar para sobreviver ao inimigo declarado Eduardo Cunha e torcer para que a Operação Lava-Jato não acabe com o tetracampeonato de Renan, seu aliado no Senado.

O QUE DÁ CADEIA
Há quem diga que, com Eduardo Cunha, agora vai aquela coisa do impeachment de Dilma. A ideia até que me agradaria, não fosse a imagem de terror com que o Brasil teria que se deparar olhando para Michel Temer em seu lugar. O que pode desmantelar o crime organizado paraestatal é o império da Lei. O terror dos políticos são a Polícia Federal, o Ministério Público e a porção limpa e independente do Judiciário. É isso que dá cadeia.