O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

2 de nov de 2014


POVO ESTÁ COMEÇANDO A QUERER
A DEMOCRACIA DE VOLTA

A coisa está ficando cada vez mais perigosa para o segundo mandato de Dilma no quarto governo Lula a caminho do quinto. O povo está começando a botar outra vez a sua indignação nas ruas.

Neste sábado, mais de 3 mil manifestantes ocuparam a Avenida Paulista, coração de São Paulo, caixa de ressonância nacional. Uns querem simplesmente o impeachment de Dilma, outros querem o impeachment e a saída de Dias Toffoli do Tribunal Superior Eleitoral.

Há também os que querem - olhem só o mal que o regime lulático vem fazendo ao Brasil - a volta dos militares ao poder.

Isso é meio que chover no molhado. Dilma botou os militares na rua o tempo todo desse seu primeiro mandato do quarto governo Lula.

O que é preciso impedir é a volta dos black blocs oficiais às comissões de frente das manifestações legitimas e ordeiras dos brasileiros que querem dar um basta à corrupção, aos péssimos serviços públicos, à insegurança pública, às desigualdades sociais.

No fundo, no fundo, o que o povo está querendo de volta mesmo é trazer de volta à tona a decantada democracia. Talvez nem perceba que está querendo isso, mas já percebeu, decerto, que o pior ditador é aquele que usa a lei para burlar as leis.

AQUELE QUE NUNCA FOI
DIZ QUE JÁ VAI

Caiu na rede que Zé Eduardo Cardozo "dá sinais" de que quer deixar o Ministério da Justiça no ano que vem. Vai deixar de ser o que nunca foi. Ele só não terá sido o ministro mais inoperante da história republicana desse País, porque nunca passou da condição de um mero servidor do primeiro mandato de Dilma no quarto governo Lula. Não é preciso que algu´me cometa a "desconstrução" de sua imagem como ministro; ele jamais se construiu como ministro.

50 MILHÕES NÃO
CHEGAM A SER 200 MILHÕES

Agora começou a cair a ficha. Dilma já não poderá contar com a maquiagem do País Maravilha aplicada pelo marqueteiro João Santana. É que 50 milhões de usuários do Bolsa Família são importantes na hora de colocar o voto na urna, mas são apenas um 1/4 dessa nação com mais de 200 milhões de habitantes. E a realidade não tem preço.

FALTA DE FUTURO
GERA INDEPENDÊNCIA

Dilma já não tem mais "futuro" como política. Para 2018 não será candidata a coisa alguma. Ninguém a imagina como deputada, ou senadora. Será, no máximo, uma ministra de qualquer coisa. Por isso não tem dado atenção paras indicações  que Lula tem feito para a nomeação de ministros nesse limiar de montagem ministerial. O candidato do coração valente de Dilma a sua sucessão em 2018 é Fernando Pimentel. Lula sabe disso. A falta de perspectiva de Dilma para daqui a quatro anos é que começa a libertá-la dos tentáculos de Lula.

PENAS TUCANAS

Enquanto isso, no ninho tucano, Aécio Neves tenta se manter como candidato natural para a próxima corrida presidencial. Seu obstáculo mais difícil de transpor atende pelo nome de Geraldo Alckmin, dono da goleada mais histórica que o PT já levou em São Paulo. A derrota de Aécio em Minas é o seu mais duro libelo-crime acusatório. Perdeu as penas em casa para uma mineira que se diz gaúcha "de coração".