O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

13 de jul de 2016

ORA, "VENDER O PATRIMÔNIO NACIONAL"...

Em um discurso, não se sabe bem pra quem, em Juazeiro, na Bahia, onde virou cidadão juazeirense, Lula da Silva disse que "Temer privatiza porque não sabe governar. Eu sei". E, como estava comedido naquele dia, foi só um pouquinho mais longe: "Temer está agindo para desmontar programas sociais e vender o patrimônio nacional".


Ora bolas, carambolas, você sabe, todo mundo sabe que Lula quando diz uma coisa é outra. Mas, nesse caso a gente até pode abrir uma exceção. Vai ver que o Michel Miguel não sabe governar mesmo.

Em todo caso, por perigoso que seja, governa melhor do que Lula e Dilma governaram esse país até agora.

O que mais dá nas fuças de quem ainda tem tempo para escutá-lo, ainda que seja nos recônditos da Bahia, é a cantilena de "vender o patrimônio nacional"...

Pior foi no tempo de Lula e da Dilma: não venderam; tomaram de assalto e deixaram assaltar. Não só o patrimônio nacional, tipo Petrolona, eletrolonas, BNDES, Caixa, Banco do Brasil... Abocanharam a Esplanda dos Ministérios inteirinha e colocaram atrás de cada porta de estatal pelo Brasil afora e adentro um operador de bons negócios públicos e notórios.

Mas Lula estava impossível. Defendendo a volta da Dilma para que ele possa tomar as rédeas de mais um governo petista e porque é a vaquinha da Dilma que deve estar pagando esse turismo canalhocrata, ele disse também que "O Temer sabe que o impeachment não é correto. Ele é estudado, letrado, advogado. Ele sabe que o impeachment não é correto da forma que está acontecendo".

Pô, essa foi demais! Mesmo vindo de Lula, essa excedeu. Não é só o Temer que sabe isso. O Brasil inteiro sabe. O impeachment seria correto, se o STF não tivesse metido a mão e livrado a cara da Dilma de mais uma dezena de delitos de todo tamanho e feitio.

Bastava, para ser correto, inserir no atual processo de impeachment apenas aqueles crimes delatados pelo ex-senador, ex-líder de Dilma, ex-dirigente nacional do PT, Delcídio do Amaral. Ela não seria apenas impichada; seria presa.