O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

14 de jan de 2015

INFLAÇÃO É...
Inflação é quando o salário fica menor que o mês e a mão maior que o bolso.

TETO DE VIDRO
Com um aumento de 14,6% o novo teto para os servidores públicos é de R$ 33.763. Dá gosto ter um currículo de cabo-eleitoral.

DESIGUALDADE SOCIAL
Milhões de servidores contratados na base na digitocracia tiveram aumento de 14,6%, mais que o dobro do aumento de 6,23% concedido aos aposentados com vencimentos acima de um salário. Os escolhidos a dedo merecem de Dilma duas vezes mais do que aqueles que trabalharam anos a fio, a vida inteira. E a maioria dos ungidos é de inativos; já os aposentados precisam trabalhar para sobreviver ao criminoso fator previdenciário, menina dos olhos gulosos da Dama de Ferro em Brasa.

SEM SACO
E agora, com vocês... Joaquim Levy, o muso das finanças de Dilma: “O governo não tem saco de maldades”. E o brasileiro não tem saco para aturar tantas “bondades”. Que droga! O governo não tem saco de bondades porque as maldades vêm em malas, baús e caixas-pretas.

BRASILEIRÃO
Perpetrada pelo verdadeiro e até agora intocável Crime Organizado Nacional – composto por governantes, doleiros, operadores, empreiteiros, servidores públicos, políticos – a roubalheira vai muito além do Mensalão e do Petrolão. A Operação Lava-Jato, da Polícia Federal e o juiz Sérgio Moro, já se voltam agora para investigar e dizimar o Brasileirão - cambalacho generalizado praticado pelos que transformaram o país num enorme aparelho de roubos e falcatruas.

ROUBALHEIRA NACIONAL
Para a Polícia Federal e para o Ministério Público – dois organismos públicos de poder independente ao aparelhamento governamental – agora o foco vai além do Mensalão e do Petrolão. A mira é o Crime Organizado Nacional; esse alvo é muito maior, não tem como errar: a mosca é o Brasileirão. 

HISTÓRIA TRISTE

A História do Brasil sofreu um acidente geopolítico fatal depois das Diretas-Já.

A redemocratização foi avassalada por uma pandilha de mafiosos que, ao invés de estabelecer um sistema de governo, instalou um plano de poder garantido pelo Crime Organizado Nacional.

A democracia desses proprietários indébitos do Brasil é o sistema que eles montaram para fazer o povo acreditar que é o povo quem governa o este país. 

E a nação se deixa vender e comprar por bolsas de tudo um pouco e por quase nada.

Barato, o povo aceita tudo o que esse crime organizado nacional assim quer e assim manda.


O brasileiro despersonalizado e vencido toma como razão e como lei e como ordem qualquer que seja a vontade dessa elite dominante, uma pandilha formada pelos seus amos e senhores.