O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

13 de mar de 2015

DIA DO PELEGO

Sexta-feira, 13 - Dia do Pelego. Pero no mucho. Sentindo que a convocação para uma mobilização de sindicatos e pelegos amestrados para este dia 13 ia dar com os burros n'água, Lula espalhou antes por pelo menos18 estados brasileiros as tropas do MST, o "Exército de Stédile" para sitiar o país até a verdadeira mobilização popular deste dia 15, domingo pra lá de nacional.

Então, nesta sexta-feira 13, o brasileiro deverá ser incomodado no seu ir e vir por umas balbúrdias aqui e ali, só para os exércitos de Lula darem o ar da sua graça. Essa patacoada vai reforçar a indignação das pessoas de bem que sairão às ruas do Brasil no dia 15.

TRIO PARADA DURA

Que coisa essa política cometida pelos que se apropriaram do Brasil, né não?!? Agora, o vassalo de Lula, verdadeiro e claudicante comandante-em-chefe das Forças Armadas, foi até Renan Calheiros e Romero Jucá, pedir ajuda para derrubar o papagaio da Casa Civil da Dilma, Aloísio Mercadante.

Unha e carne com Dilma, Mercadante foi acusado por Lula de ter "sequestrado o governo". Tudo por que ele não deixa ninguém falar com Dilma, sem antes passar pelo seu gabinete.

Com esse trio parada dura entrando no circuito para derrubar Mercadante, está se dando comigo algo que eu jamais acreditei que pudesse acontecer: torcer para esse estufado Mercadante ficar. Nem que seja só por mais um pouquinho.  Mas que fique, o tempo bastante para desmoralizar mais ainda essa trinca de finórios.

LULA E TEMER CONTRA MERCADANTE

A pressão é enorme para Dilma demitir Mercadante. No PT, por que Lula está espumando de inveja, pois já não emplaca mais um palpite furado sequer; no PMDB por causa do isolamento que Mercadante impôs ao vice-presidente Michel Temer, que não é lembrado para coisa alguma por Dilma Vana.

Na semana passada, Dilma desmentiu publicamente que Mercadante seria retirado da Casa Civil. Não vai querer agora passar por mentirosa mais uma vez. Pelo menos, por enquanto, por que até agora, desde 1° de janeiro, o que ela mais tem feito é dizer uma coisa e fazer outra.

CASO DE POLÍCIA

Sérgio Gabrielli deveria ter saído algemado da Câmara para depôr como suspeito de crime de lesa-pátria na Polícia Federal. Deveria ser, sim, até para seguir o que ele disse o tempo todo: "O roubo na Petrobras é caso de Polícia; tem que ser investigado pela Polícia e punido pela Justiça".

Só para justificar a indignação do período inicial deste texto, é bom lembrar que Gabrielli foi presidente 12 anos da Petrobras - tempo da maior gandaia que já se viu na história de uma República pelo mundo afora.

Quando ele assumiu a presidência, o valor de mercado da Petrobras era de 378 bilhões de dólares; quando saiu de lá, a Petrobras caiu para 33,95 bilhões de dólares.

DEU NO PÉ
Alô, alô todos os gaúchos que acreditam que o senador Paulo Paim poderá ser candidato ao governo do Rio Grande do Sul na próxima eleição! Ele ontem não moveu uma palha para derrubar o veto de Dilma Vana à redução da contribuição do INSS da empregada doméstica. Na hora da votação, deu no pé. O veto foi mantido por uma ninharia de votos.

SEGURANÇA DEMAIS
Ronaldo Caiado entrou com pedido no Ministério Público para garantir segurança aos protestos deste domingo. Para ele - e cá pra nós também - o MST, "Exército de Stédile", um dos exércitos de Lula, estão sendo, desde já, uma ameaça à mobilização do dia 15. Sei lá, mas providências desse tipo me deixam a impressão de que mais atrapalham do que estimulam as pessoas de bem a saírem parta a rua. Bolas, o bem sempre venceu o mal.