O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

7 de out de 2014

DE PAPO COM O PINTOR
DAS NOSSAS PAREDES

De papo com o pintor que está dando um jeito nas paredes lá da nossa casa, antes que comece a cair por aqui a chuva que não cai em São Paulo, ele me disse que já sabe em quem votar neste segundo turno. E não vai ser no governo.

Mas percebi que ele se acha meio que assustado, pois "o governo é muito forte e tem tudo na mão". Na sua sabedoria de baixo pra cima, do alto de um andaime, ele deu as tintas: "o povo nem pode mais sair pra rua, meu chefe".

Eu quis saber mais e o provoquei um pouco, usando o tradicional "como assim?". Ele foi pincelando o Brasil da Silva a seu jeito.

Com a maior naturalidade ele me disse que já não dava mais para as pessoas boas saírem à ruapara protestar, porque "o governo bota as tropas na gente. E se a gente é empurrado por eles e se defende, eles prendem a gente por desacato".

E me contou que o filho dele foi detido, numa manifestação perto do Maná Garrincha, na época da Copa das Copas. Ficou só cinco ou seis horas na delegacia de polícia, mas agora está desempregado.

"O patrão dele ficou sabendo e mandou ele embora". Pronto, o rapaz perdeu a boca de frentista num posto da BR, distribuidora da Petrobras. Puro acaso, essa coisa do posto ser BR. O garoto anda à cata de uma vaga por aí. A coisa tá ruça, pois ele não tem carteirinha de nenhum partido aliado.

Egresso do Enem, o jovem de 19 anos, cursa Administração na UnB, à noite. Mas está indo a pé que "a grana tá curta, meu chefe".

Saí de fininho que o papo estava bom, mas eu estava atrasando as pinturas da casa. Voltei, pouco depois com um café feito na hora e umas bolachas com mel. Sorvi mais uma proveitosa aula de civismo e cidadania com o pintor das nossas paredes.

Qualquer hora dessas, qualquer dia desses, eu conto. Agora, vou deixar o cara trabalhar. Mas, só pelo voto que ele vai depositar na urna no dia 26, eu já decidi: até que a empreitada termine, vou tomar café com ele todas as tardes.