O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

20 de abr de 2015


FHC REPETE FHC E VAI NOS ATROPELAR 
DE NOVO COM O BONDE DA HISTÓRIA

Quer saber duma coisa... Eu sempre achei esse FHC que toma ares de Príncipe dos Sociólogos, um tatibitati, um blábláblador de marca maior. Volta e meia ele se sai com umas catilinárias que acabam mudando o rumo da História.  Pior que é o rumo da nossa História.

Foi assim em 2006, no meio do Mensalão, quando ele se encantou pelo canto da sereia de Márcio Thomaz Bastos - o arremedo de Golbery Couto e Silva da decantada redemocratização do País, e impediu que a oposição entrasse então com o processo de impeachment que estava caindo de maduro contra Lula.

Diante da ameaça velada de Thomaz Bastos de que o Brasil poderia entrar em "desestabilização institucional" acovardou-se e perpetuou Lula no poder. Sim, perpetuou, porque aturar 12 anos de governo Lula sem parar é uma eternidade que nenhuma democracia merece.

E ele quer que seja assim, outra vez. FHC, com sua boca larga e pararurante, diz agora - contrariando dois terços dos 200 milhões brasileiros - que "um partido não pode pedir impeachment antes de ter um fato concreto". Ora bolas, carambolas... Cala-te boca torta!

Na semana passada o TCU concluiu que o Tesouro Nacional atrasou o repasse de R$ 40 bilhões em recursos para o Banco do Brasil e para a Caixa Econômica, numa escandalosa "pedalada fiscal".

Quer dizer, traduzindo do português para o português: o governo pegou emprestado dos bancos públicos - e isso é ilegal, engorda e não presta - para poder pagar suas contas e assim "fechar o ano" mentirosamente com saldo credor.

Então, o caso é o seguinte: a fraude fiscal é o pontapé inicial para o impeachment. A fraude fiscal é um ato contra a lei orçamentária, é crime de responsabilidade.

FHC se repete em si mesmo. Foi frouxo em 2006 e banca o covarde agora, em 2015.

Bolas, não é preciso nenhuma decisão judicial para se dar início a um processo de impeachment.

O impeachment é político. Precisa apenas de indícios e suspeitas de crime de responsabilidade, para ser iniciado. Escapa da malandragem sempre elástica da presunção de inocência que todo bandido alega. Não tem nada que ficar esperando por decisões judiciais.

FHC foi mole no Mensalão e agora está caquético no Petrolão. Não passa de um burguesão tatibitati tacanho e bisonho. Que se consagra nos atropelando com o bonde da História.