O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

31 de ago de 2015

NÃO PERGUNTE O QUE ESSE GOVERNO
PODE FAZER E NÃO DEIXE O GOVERNO FAZER O QUE FAZ COM O BRASIL

Faz tempo que as pessoas se confessam desanimadas com os resultados das mobilizações populares que, malgrado venham dando um banho de democracia e pujança nos exércitos de Lula e nos pelegos dos "movimentos sociais" domesticados, não conseguiram ir além do horizonte por trás do qual se encontra o Brasil com que sonham as pessoas de bem.

Por vezes, esse sentimento andou rondando meu ânimo, minha alma, mas sempre rechacei a ideia, recusei e refutei o menor sinal de desistência pelas minhas - e suas - liberdades de crença, de pensamento e de expressão.

Embora o Day After dessas mobilizações de rua tenham deixado um certo ar de impotência diante do regime estabelecido, a sensação de impossibilidade não não foi, não é e nunca será bastante para me fechar os olhos e me fazer entregar os pontos.

Eu jamais perguntei o que esse governo pode fazer por nós, sei que ele não quer e não sabe o que fazer por nós. Eu sempre estive pronto, jamais me surpreendi, pelo que esse governo pode fazer com cada um de nós.

NÃO FOI EM VÃO

E as mobilizações, essas três últimas grandes manifestações de rua que começaram em julho de 2013, me mostraram com muita clareza que os redemocratizadores fundaram e implantaram uma democracia de gabinete. A multidão nas ruas não foi um movimento em vão.

Pode ter sido e deve ser o ponto de partida para se dar fim a esse arremedo de democracia que determina, dentro de gabinetes, com grupelhos de espertalhões que se dizem nossos representantes, o que é bom para eles e o que serve para o resto do país.

Pois, agora - justo por causa das mobilizações de rua - eu já sei o que lhes posso sugerir. E, ao contrário do que eles fazem, quero compartilhar com todos - tantos quantos eu possa alcançar em meus espaços virtuais e impressos - o que se pode estabelecer como estratégia efetiva de ação, para se dar fim a essa democratura e partirmos, uma vez mais, em busca da democracia pura e simples.

SE...

Se os exércitos de Stédile "bons de briga" invadem campos e fazendas, como se guerrilheiros rurais sejam, embora não saibam o que é um tomate ou uma melancia, por que nós não podemos também formar o nosso Movimento dos Sem Terra pela Paz no Campo e na Cidade?

Se é assim, então podemos começar entrando em suas sedes ou seus palanques, ainda que encontremos por lá Stédiles, Rainhas, o Reizinho e seus trabalhadores. Nada de desforço físico, apenas um democrático e saudável confronto de ideias. Bolas, se eles não têm terras, eu, você e 90% dos brasileiros também não têm.

Se hoje, duas dúzias de agitadores urbanos se dizendo sem teto invadem edifícios, prédios inteiros e interrompem a vida das cidades, então por que nós, brasileiros que não realizamos ainda o sonho da casa própria, não entramos nos gabinetes que tratam só do Minha Casa, Minha Vida porque os donos da democracia decidiram que é isso que o Brasil inteiro precisa e quer, ou pode?

Se, movidas pelas mesmas centrais sindicais, as greves paralisam escolas, indústrias, o ABC inteiro, cidades e capitais, por que nós não formamos o movimento Grevistas do Avesso que entrarão nos gabinetes das autoridades que deveriam estar tratando do assunto e os incitamos a trabalhar?

Se milícias fazem justiça com as próprias mãos e impedem o ir e vir nos morros, favelas e subúrbios, porque não fundamos nós os Justicialistas do Bem e da Ordem para entrar no gabinete do Ministro da Justiça, não para ouvi-lo discursar como advogado do governo, mas para ajudá-lo a fazer o que tem que fazer e não faz pela segurança, pelo sistema prisional, pela justiça nada mais que a justiça?

Se dez ou vinte concessionárias ganharam estradas de mão beijada para cobrar pedágio, por que nós, os brasileiros que andam para cima e para baixo pelas rodovias desse país, não entramos nos ministérios que terceirizam o território desse país e, fazemos com que as vias rodoviárias, ferroviárias, portuárias e de todas as dimensões sejam públicas novamente e sejam administradas por um governo que vai ter mesmo que ser honesto e trabalhador?

Se, 513 deputados e 81 senadores, mais seus policiais legislativos se julgam donos zelosos e guardadores não só do Congresso Nacional, mas da democracia brasileira, por que nós não entramos decidida e pacificamente lá, em gabinete por gabinete, e os fazemos ver que qualquer mobilização de rua pode e deve continuar pela Casa do Povo adentro?

Se, a Dilma Vana, seus 39 ministros, os 11 doutos julgadores do Supremo, os incontáveis presidentes de tribunais de todas as instâncias, os presidentes de partidos - todos eles de cabo a rabo - se julgam amos e senhores dessa democracia de gabinete, por que não nos organizamos nos nossos blocos de Guerrilheiros da Paz e do Trabalho e os fazemos trabalhar de verdade, como nunca antes na história desse país?

VALE A PENA

Bolas, o Brasil vale a pena. Não merece o governo e nem os governantes que tem. O Brasil não é idiota nem bandido para ter a democracia que tem.

Há dezenas de milhares de gabinetes de autoridades que não nos representam, "pedindo" para receber uma visitinha dos brasileiros de boa paz, indignados com essa ditadura de democracia em que os de sempre mandam e o povo nunca tem razão.
QUANTA VIRTUDE!
E então, com a cola entre as pernas, o governo entregou o Orçamento para avaliação no Congresso Nacional. Aí, então, vem o vice-presidentão da República, Michel Temer e sentencia com toda pompa e hipocrisia: "Orçamento com déficit mostra que não há maquiagem nas contas". Ah, quanta virtude! Quanta seriedade e honestidade! Um Orçamento sem maquiagem. É tudo quanto esse governo deseja que  a gente acredite.


O SILÊNCIO CONSTRANGEDOR
DO BACHAREL ZÉ DIRCEU

O agora só bacharel em Direito, Zé Dirceu, foi dar um passeio nesta manhã de segunda-feira até à CPI da Petrobras. Por orientação do seu advogado ficou em silêncio. Constrangedor silêncio. Não só constrangedor como eloquentemente revelador.

Posso estar redondamente enganado, esses caras são imbatíveis na hora de dissimular, mas vi no seu mutismo uma sonora e retumbante vontade de fechar, a qualquer momento, um acordo de delação premiada. Pena que antes disso, eu não possa comprovar as suspeitas de que estou mesmo redondamente enganado.
O QUE FAZER AGORA? 
MULTIPLICAR A REDE

Depois de sair às ruas cheio de indignação, de sofrer a safadeza de uma perdulária Copa do Mundo, de engolir uma eleição suspeita na hora da apuração, de atravessar o Mensalão, assistir ao Petrolão, pressentir que, antes dos estrabulegas Jogos Olímpicos mais duzentos escândalos ainda estão por vir, o brasileiro está atônito diante de uma democracia de gabinete.

Atônito e ainda indignado diante dessa democracia enjambrada que só lhe permite mesmo é torcer pelo prosseguimento da Operação lava Jato, temeroso de que nada mais lhe reste da esperança de viver num Brasil honesto e sem desigualdades sociais.

VIRA-LATA

O brasileiro nunca teve tão aguçado nem tão flagrante complexo de vira-lata como agora. Ele se parece com o cão que corre e ladra atrás da bicicleta e que, quando o ciclista para, o cachorro fica estático e mudo, sem saber o que fazer.

Pois, o brasileiro saiu às ruas, gritou, panelou, apitou, buzinou, virou e mexeu, cutucou e foi cutucado... E assim como chamou a atenção, agora está paralisado; atônito, desorientado, sem saber direito e nem bem o que fazer depois de tanto agito.

Então, inda que mal pergunte, o que fazer daqui pra frente: esperar pelos líderes das redes sociais que já estão querendo virar políticos profissionais também; que já estão querendo "nos representar" lá nos mesmo lugares onde se encontram aqueles que queremos tirar de lá?

Ora, eles vão acabar ocupando os lugares daqueles que hoje lá se encontram. E qual é a garantia que temos de que não estaremos trocando seis por meia dúzia; alhos por bugalhos?

Deixem que eu me atreva um pouco a lhes dizer que essas saídas retumbantes e entusiasmadas às ruas, nos mostraram que a nossa democracia é uma falácia.

Que o poder não emana do povo, coisa nenhuma; que o poder não é exercido em nome do povo, mas é feito usando o nome do povo e que, muito menos, esse poder não é devolvido ao povo.

Essas saídas às ruas foram ótimas e não podem parar, como se a gente fosse o cão que ladra e não morde, porque não sabe que pode morder pois não se dá conta de que o ciclista parou pela incomodação que seu ladrido lhe provocava e também pelo medo de ser mordido.

MEU CORAÇÃO PALPITA

O que fazer então agora, diante dessa democracia de gabinete paralisada e acuada? Ah, meu coração palpita. Então vou palpitar: sigamos o boneco pixuleco. Sejamos, cada um de nós, a encarnação e a síntese do que desejamos que aconteça com esses democratas que se apropriaram dos gabinetes que mandam nos poderes constituídos.

Antes de abandonar as redes sociais, multipliquemo-nos em dezenas, centenas, milhares de comitês de desfiles não pelas ruas, mas por dentro dos gabinetes que eles ocupam e que nossos impostos garantem o habite-se.

Por que as manifestações de desagrado, de indignação, de reivindicação têm que ser sempre e só nas ruas? Por que não desfilar, protestar, cutucar direto diante das mesas daqueles que nos enganam, que enganam o povo com a autoridade de que representam o povo e em nome do povo exercem o poder de moldar essa democracia de gabinetes, um dos mais duros regimes de dominação de um país.

Essa democracia que se gaba de "deixar" o povo exercer o direito de protestar e de se expressar; essa democracia que se dá por satisfeita e se acha magnânima porque nos dá o direito-obrigação de votar, é uma das mais cretinas formas de ditadura sem violência aparente, um dos mais cínicos e duros regimes de tirania simpática e pacifista.

E assim ela será, enquanto estivermos atônitos, sem saber porque paramos; assim ela será enquanto eles se sentirem seguros porque o jeitinho brasileiro é bom para eles, os que se apropriaram dessa República de pura e escrachada hipocrisia.

Vejam que, quando algo não serve aos seus desígnios, eles prendem e arrebentam; apunhalam-se uns aos outros pelas costas; esfaqueiam até o Boneco Pixuleco, a síntese mais forte que apareceu nos últimos dias daquilo que o país espera que aconteça com o dono desse plano de poder e com todos os seus asseclas.

COMITÊS DE GABINETES

Pensem nisso: sem abandonar as redes sociais em que acreditam, sem deixar de sair em bloco às ruas, multipliquem-se em comitês pacíficos de manifestações nos gabinetes dessa democratura.

Comecem avaliando cuidadosamente cada gabinete que esteja ocupado por um desses reconhecidos rufiões da coisa pública. A tarefa inicial não é difícil. Eu mesmo poderia sugerir algumas dezenas de nomes de proa. São tão manjados...

Seguidamente estão nas páginas políticas como se estivessem nos cadernos policiais. Uns corrompem, outros são corrompidos, e tem outros tantos que são gilete - cortam dos dois lados. Comecem por eles.

O JOIO DO TRIGO

A gente dá de cara com eles o tempo todo: nos balcões da Previdência Social; nos hospitais e postos do Sistema Único de Saúde; nos corredores do transporte urbano; nas salas de comando das forças de segurança. Eles estão nos prédios monumentais do Executivo, do Legislativo, do Judiciário.

Eles estão nas empresas estatais, nos gabinetões que decidem o aumento do gás, da água, da luz, do telefone, do combustível.

São eles que ditam o custo de vida, os impostos que devemos pagar; são eles que fazem as leis que devemos cumprir; são eles que decidem sobre o nosso direito de ir e vir; que terceirizam estradas e implantam pedágios... É só começarmos a separar o joio do trigo.

Mas todo cuidado é pouco, a gente vai estar desfilando com essa rede social polivalente, ainda que com os espíritos desarmados, dentro, afinal, bem dentro dessa democracia de gabinetes: é bom saber que vamos estar diante dos agentes da maior malha do crime organizado que já se infiltrou na estrutura estatal de uma nação que se diz democrática nessa redonda face do planeta Terra.
HAI-KAI

Grande boneco! / Um resumo de Lula / Com Pixuleco 

A PROVA EXPLÍCITA


O tumulto provocado, no centro de São Paulo, pelos fanáticos lulistas no garboso desfile do simpático novo ídolo das massas brasileiras, o Luleco Pixuleco, que atende pelo nome de Lula Inflado, é a demonstração mais explícita do quanto ele desperta os mais primitivos instintos na pandilha do depauperado dono do Partido dos Trabalhadores e do governo Dilma.
DILMA A ATRAVESSADORA

E então é isso, minhas queridas companheira e meus diletos companheiros, a Dilma Vana só fala em "travessia". A marolinha que virou tsunami agora é "travessia". Tanto é que afogada em gastanças tão perdulárias quanto irresponsáveis, ela atravessou as contas de chegar e está mandando um Orçamento com déficit, para o Congresso aprovar.

É sim, não é para analisar é para aprovar. Assim é que se faz uma democracia de gabinetes; assim é que ela faz a travessia. Nem Milton Nascimento que é do Clube da Esquina dos tempos da ditadura atravessada na garganta, faz uma travessia tão mal feita como essa da Dilma Sapiens, alter ego da Mulher Mandioca.

Essa travessia legalóide de Dilma Coração Valente é tão arriscada e ensandecida quanto a travessia ilegal dos imigrantes que tentam atravessar o Mediterrâneo para chegar ao primeiro mundo. Deve estar à cata do título de President@ Tocha Olímpica. Tem tudo para dar errado. Mas, com esse Congresso, qualquer travessia é um luxuoso e confortável cruzeiro.
ORA, DIREIS, OUVIR LULA

Lula, o Brahma, empresário preferido por dez entre dez empreiteiros, pode ser convocado para ser ouvido na CPI do BNDES. Os parlamentares querem saber melhor das coisas e loisas que cercam o misterioso e intrigante empréstimo que garantiu a construção do porto de Mariel, em Cuba.

Ora que besteira. O Luciano Coutinho, dono do banco já foi lá nessa mesma CPI umas três ou quatro vezes, deitou e rolou, imagine então o que não vai fazer o cara que botou o Coutinho nessa boca rica.

CPI que se preza, fala sozinha e olhe lá. Quanto mais cedo terminar, melhor. E é ótimo para o Brasil quando nem começa.

PENSANDO BEM
Essa exumação do cadáver da CPMF, o imposto de achaque ao cheque, antes de ser descartada acabou cumprindo o seu papel: desviou as atenções do impeachment para cima dos impostos. Ainda que atingida em cheio pela sua própria malvadeza Dilma Vana pelo menos garante, por mais um tempo, as suas entradas e saídas nas jornadas diárias no Palácio pela porta da frente.

JÁ COMEÇOU

A mandioca do banquete da Dilma Sapiens já começou a fazer efeito nos salões da Procuradoria Geral da União pelo Governo. Rodrigo Janot arquivou o pedido de investigação da gráfica-laranja que, com 60 dias de vida, recebeu milhões da campanha de reeleição da president@ que o recebeu para jantar no Palácio.

O pedido foi feito por Gilmar Mendes, vice-presidente do TSE que ficou injuriado com a grosseria. É que, ao arquivar a ação contra Dilma, Janot apontou o que chamou de "inconveniência" do Tribunal Superior Eleitoral.

E Gilmar então já foi logo dando o troco: “Janot não deveria se comportar como um dos advogados do PT; afinal, o partido já contratou profissionais competentes para fazer a sua defesa”. 

Para que as coisas não fiquem só nesse princípio de indigestão entre um conviva do banquete da Dilma e um ministro do TSE e também do Supremo, é bom saber-se do que se trata essa rusga que agora vai dar em nada. 

A tal gráfica, que atende pela razão social VTPB, se apresentou na época da reeleição como uma empresa especializada no setor de gráfica e impressão. Só por isso, ela recebeu módicos R$ 26,8 milhões do PT por "serviços prestados" durante a corrida eleitoral. Nada menos de 23 milhões foram pagos pela campanha da Dilma Vana. 

Gilmar Mendes agora, como relator da prestação de contas do PT, encaminhou o pedido de investigação da tal gráfica à Polícia Federal e à Procuradoria do Janot. 

Dentre as razões que levaram Gilmar Mendes a esse "inconveniente" pedido está o argumento do ministro hoje injuriado: “Ora, sabemos agora tratar-se de uma empresa que recebe esse enorme volume de dinheiro, embora não tenha um único funcionário contratado, não disponha de parque gráfico e não tenha nem mesmo, num dia de visita fortuita, uma sede aberta para chamar de sua. Convenham: é, no mínimo, estranho”. 

Isso, porém, não foi papo para convencer Janot que está sob os efeitos inebriantes do canto da sereia que ouviu naquele banquete em homenagem ao Dia do Advogado, promovido por Dilma no Palácio Alvorada, com o nosso dinheiro. O efeito da comilança já não cheira nada bem no solo da República.

30 de ago de 2015

BONECO INFLADO GANHOU A 
ALMA E O CORAÇÃO DOS BRASILEIROS

Hoje, nessa República dos Calamares, só há uma coisa que deixa o Lula mais atacado das bichas do que assistir a um enterro da CPMF atrás do outro: é o Lula Inflado, que atende também por Luleco Pixuleco que ganhou as ruas, a alma, o coração e a vida dos brasileiros.

Há quem diga até que foi uma voz roufenha que disparou a ordem de "apunhalar pelas costas" esse novo ídolo nacional.

É que a maluquete aquela entendeu mal o som do além que lhe chegou aos ouvidos e acabou esfaqueando de verdade o indefeso novo líder das massas.

De minha parte, já adquiri o adesivo para carro.

Pena que não moro em São Paulo. Eu colocaria no meu itinerário cotidiano a rua onde está instalado o Instituto Lula. Jogaria, todo santo dia, um adesivo na porta da garagem daquela sede avançada do governo. Só pra ver o Brahma aos tapas com o boneco mais simpático e representativo que a política brasileira já conheceu.

Ele já é mais carismático e popular até que a velha vassoura do Jânio Quadros.
INDA QUE MAL PERGUNTE...
O que foi mesmo que Lula da Silva e Dilma Vana fizeram nesses últimos 12 anos e meio de poder e de vida que ninguém mais confia neles? Se você confia em qualquer um dos dois, ou até mesmo nos dois, não se sinta discriminado... É pra você mesmo que a gente está perguntando.

SE A MÁFIA É O ESTADO
QUE UM ESTADO NOVO PRENDA A MÁFIA

O cinismo é um dos mais fortes e degradantes sentimentos do animal social. Nada tem tamanho requinte de maldade e tal poder de engano e safadeza quanto um político viciado na arte de fazer a mentira parecer verdade.

O Brasil é um país que tem sua geografia, seu mapa, os quatro cantos do seu território geo-político  encobertos, de cima abaixo, pelo manto espúrio e cínico da "estratégia de coalizão pela governabilidade" posta em prática por Lula da Silva, assim que subiu a rampa do Palácio em 2002.

A estratégia do então presidente do Brasil e sempre presidente de honra do PT - um balcão de oferta e procura de aliados - se transformou no esquema de corrupção que se apropriou do Estado.

O Estado foi violentado pelo regime da Grande Desordem, hoje vigente no país. A Grande Desordem, sustentada pelo crime organizado que é o Estado, flagrada pela ação inclemente da Operação Lava Jato, já sem poder se acobertar, tenta banalizar a roubalheira cobrindo-se pelo manto cínico de que tudo se trata de um propinoduto político.

De político é que essa máfia em que se transformou o Estado, não tem nada. Os bilhões de reais roubados pelo crime organizado infiltrado no governo, saem dos programas de saúde, educação, transporte, segurança, serviços públicos essenciais para entrar nos cofres de uma pandilha de sevandijas, dessa súcia de larápios que enfia a vida pública na privada.

A política, os partidos políticos, a democracia de gabinete que inventaram, são apenas os veículos que fazem a riqueza pessoal de cada um dessa centena de senhores de anéis até aqui flagrados com a boca na botija.

O discurso pela conquista do governo é só o álibi que mantém o poder que favorece a manobra, o delito continuado, a corrupção ativa e passiva, o cambalacho, o assalto até aqui à mão desarmada, que fazem bandidos baratos custarem os olhos da cara dessa Nação.

Esse governo que não consegue prestar contas de 80 bilhões de reais que tomaram chá de sumiço, não deve nada; quem deve e tem que prestar contas do dinheiro roubado são os operadores, os consultores, os receptadores, os traficantes de interesse, os agentes públicos e notórios dessa roubalheira deslavada.

Se eles são o governo, quem tem que ir para a cadeia são eles que não são poucos; são eles que operam o regime que há muito deixou deixou de ser político para ser um caso de polícia. O governo não tem como ser preso; é humanamente impossível. Se a máfia é o Estado, então que um Estado novo prenda a máfia. Lugar de bandido, de mafioso é na cadeia.

RODAPÉ - Por favor, não passem para seus filhos a ideia de que, quando crescerem sejam como os figurões que integram o governo, o aparelho estatal desse Brasil da Silva. Antes disso, mostrem a seus filhos que esses nossos corruptos são tão incompetentes e prepotentes que só conseguem sucesso mesmo é roubando do governo. Se fossem bandidos na iniciativa privada estavam todos hoje morrendo de fome numa cela da Papuda, do Tremembé, do Presídio de Pedrinhas, ou do Complexo Médico-Penal de Pinhais, no Paraná. E o Brasil seria bem mais feliz e saudável.
SUPER-HERÓI LULA,
O ESCUDO DA DILMA

Em mais um desses palanques que inventa para não ter que ficar cara a cara com o povo nas ruas, Lula, o Brahma dos empreiteiros, mostrou ontem a repórteres que perdem tempo com ele, que agora vai ser o grande escudo da Dilma.

Lula disse que "até ontem estava quieto. Agora vou falar. Vou viajar o Brasil e vou começar a dar entrevistas. Como tenho as costas largas, vou ver se dão um pouco de sossego para nossa querida Dilma e começam a se incomodar comigo outra vez".

Quanta bondade, quanta valentia, quanto desprendimento! É Lula, o super-herói saindo a voar por aí. E faz isso como se estivesse mesmo defendendo a Dilma, quando na verdade está é dando asas à campanha "Volta Lula". Logo, logo ele estará se queixando uma vez mais que foi apunhalado nas suas costas largas.

LULA CONTINUA ENGASGADO
COM O FIM DA CPMF

Pois então, a famigerada CPMF foi derrubada antes mesmo de ser reerguida. E sabe quem é que está possesso por que esse escoadouro do dinheiro da população não foi aberto? Ele, Lula da Silva, o Brahma dos empreiteiros.

Ele continua dizendo com a sua voz do além que "a CPMF nunca deveria ter sido tirada, porque precisa de dinheiro pra saúde".

Fato é que Lula está engasgado até hoje com o fim do imposto do cheque. E faz caras e bocas como se soubesse o quanto rola de dinheiro para os cofres dos governantes um imposto como esse. Pois então, já que ele entende tanto do assunto, que comece a explicar aonde foram parar os 300 bilhões de reais que a CPMF rendeu no seu tempo de governo e dos quais nenhum centavo sequer foi usado no SUS que continua do jeito que está, pela hora da morte.

Se quiserem saber, eu acho até que foi pelo fim da CPMF que recrudesceu o esquema de corrupção com as empreiteiras e os organismos estatais. Bateu o desespero quando 300 bilhões de reais deixaram de chover na horta dos que se apropriaram desse país.

Então Lula, começa logo a explicar onde o seu governo socou os 300 bilhões da CPMF que continua até hoje atravessada na sua garganta. Mas cuidado. Cuidado que, de noite, o Adib Jatene pode vir puxar os seus pezinhos.

29 de ago de 2015


GOVERNO DESISTIU
DE RECRIAR A CPMF

O governo desistiu de recriar a CPMF. Só que não. E agente já explica. A notícia é a seguinte: tendo em vista as reações negativas, Dilma Vana se fez de Mulher Sapiens e reunida com Mercadante, da Casa Civil e Nelson Barbosa, do Planejamento, desistiu neste sábado de propor a recriação da CPMF, o conhecido e famigerado imposto de achaque ao cheque, que serviria para cobrir um rombo de R$ 80 bilhões no Orçamento da União de 2016. 

Bolas, carambolas! Então não era para a Saúde; era para tapar as roubalheiras do ano passado. Note então que não foi nada por bondade. É que a reação contrária à ideia, principalmente de aliados e empresários, foi muito forte e inviabilizou sua aprovação... neste ano. 

A maldade agora é que o governo pretende fazer uma discussão de médio e longo prazos sobre o financiamento da Saúde. Nestas discussões, a ideia fixa e desastrada de recriar a CPMF pode ser levantada novamente. 

Sabendo-se de quem se trata e que ali todos comem pela mão do Pai dos Pobres,  eles não descansam enquanto não desatravancarem esse imposto da garganta de Lula - o rico Brahma dos empreiteiros.
O MAIOR DEMOCRATA 
DA HISTÓRIA DO BRASIL

Não há, em todos o tempos, na História do Brasil um democrata tão grande e tão magnânimo quanto esse juiz Sérgio Moro. 

Bastaria que ele soltasse o seu brado retumbante "Tá, se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, eu quero governar esse país! Quem for brasileiro que me siga!".

Pronto, não precisaria mais nada. A população ensandecida e indignada sairia derrubando Dilma Vana, Renan Calheiros, Eduardo Cunha, Lewandowski, Dias Toffoli, Lula da Silva e similares dessa fauna que manipula esse crime organizado em forma de Estado; dessa pandilha que exerce o poder que aí está, que não emana do povo e que nem mesmo em seu nome é exercido. 

Bastaria esse brado: "Eu quero governar esse país!" que o cidadão indignado sairia às ruas e derrubava esses donos da democracia de gabinete que eles comandam e botava logo Sérgio Moro no Palácio. Mas que nada! 

Sérgio Moro é tão democrata que fica só na dele, só cumprindo a Lei e exercitando a Justiça. Ele é o maior, mais impávido e colossal democrata de todos os tempos nessa República. Não, porque o seja mesmo; sim, porque não dá o grito que essa pátria educadora e desencantada quer e acha que precisa ouvir. Diante disso acho até que no fundo, no fundo, nesse período da História do Brasil, Sérgio Moro agrada mais aos petistas do que aos tucanos.
BARCELONA 1 x 0 MÁLAGA:
FUTEBOL É MESSI E NEYMAR
Que coisa bonita é um jogo bem jogado

Fazia tempo já que eu não assistia a um bom jogo de verdade. E porque hoje é sábado tinha o Barcelona na TV. Mais que o Barcelona, tinha Lionel Messi e o retorno de Neymar de uma quarentena de caxumba. Santa Madre de Diós, caxumba. Isso é do tempo do crupe e da coqueluche.

Esse guri de 22 anos, não é nada, não nada, a gente tem que assistir não só pelo bolão que ele joga, mas porque é uma pérola rara: está valendo hoje no mercado da bola quase 1 bilhão de reais. Pelo menos é o que os russos do futebol inglês querem pagar por ele.

E a bola rola. Que coisa bonita é um jogo bem jogado. Mais que esporte, o futebol é uma arte prazerosa do gênero humano - que faz tudo com as mãos e só o futebol pratica apenas com os pés.

Eis que termina o primeiro tempo. Zero a zero, mas é como se estivesse lá pelos quatro a quatro ou coisa que o valha. Um show de bola no gramado do Camp Nou, onde eu estive em 2003 e não errei um só lance, um só passe, durante os 90 minutos do confronto Barcelona x Real Madri.

Não, não é que eu tenha jogado tão bem assim; é que eu estava nas cadeiras numeradas do estádio. Bom jogo aquele. Bons tempos aqueles.

Pronto, aquela nítida impressão de que Neymar daria um gol feito para o Messi fazer se esvaiu aos 25 minutos do segundo tempo. O gol do Barça foi feito por um zagueiro. Barcelona 1 a 0 Málaga. Sim, o adversário do time de Messi e Neymar era o Málaga.

E bola que rola. O azar dos adversários do Barcelona é que quando a bola não anda de pé em pé do time da Catalunha, ela está com Mesi ou com Neymar.

Faltando menos de 4 minutos para terminar a partida, o técnico substituiu Neymar. Ele saiu ovacionado, cheio de aplausos e reverências da torcida. Acho que foi para isso mesmo que o treinador o tirou antes do fim do jogo.

E então dessa partida eu concluí que não consigo imaginar o Messi fazendo outra coisa na vida que não seja futebol. Não o imagino, por exemplo, num cinema; numa pizzaria; passeando en la Plaza España donde las muchachas son tan bonitas; não o vejo contando uma piada; sentindo dor de dente...
Olho para o Messi e só vejo o Messi... O resto - sorriso, emoções, papo furado, uma biritinha - tá tudo escondido. Olho para o Messi e só vejo futebol. Ele fala, brinca, trabalha, sorri, fica rico, só com os pés.
BOICOTE E VICE VERSA
Aumentam as divergências entre Michel Temer e Dilma. Um acha que está sendo boicotado pelo outro. Impossível nesse caso. O mais correto é dizer-se que um está sendo boicotado e a outra vacatada. De qualquer maneira, achar é muito pouco. Ambos têm certeza.

DINHEIRAMA JOGADA FORA

Dilma Vana e a sua comandita querem porque querem aumentar ainda mais a nossa carga de impostos. É para cobrir o rombo de mais de R$ 60 bilhões que foram atirados para o ar ao invés de serem aplicados em saúde, educação, transporte, segurança e serviços essenciais que devem à população. Cortar os gastos, eles não querem.

Para que se tenha uma leve ideia do quanto esse governo é perdulário e insensível, saiba que a União já pagou só este ano quase R$ 1 bilhão  em aluguéis.

Olhe só essa relação de ministérios que mais pagam aluguel mostrada neste sábado pelo site Contas Abertas: Ministério da Saúde - R$ 25.399,941,60; da Educação - R$ 24.335.149,55; da Cultura - R$ 23.252.650,39; da Justiça - R$ 23.107.454,11; da Fazenda - R$ 19.656.087,97. Tá bom assim, ou precisa de mais xarope pra tosse?!?

E QUE SEJA LÁ O
QUE DEUS QUISER

Não tenho a menor consideração por animais sociais escamosos, escorregadios, fingidos, dissimulados, pilantras, falsos, bajuladores, cínicos, enganadores, embusteiro, fariseu, impostor, intrujão... Não torço, por exemplo, só por mero exemplo, para Lula da Silva, nem mesmo quando ele é travestido de Brahma, o camelô de luxo dos empreiteiros e senhores de bons negócios. 

Mas, uma coisa eu tenho que lhes confessar, ainda que isso possa parecer um jato de água fria, ao invés de uma homenagem agradecida à Lava Jato: é preciso esperar, até às últimas instâncias, as investigações sobre a relação entre Lula e Odebrecht. 

Tudo que existe, tudo que se diz, que se aponta e se acusa a respeito de tráfico de influência pode se transformar, de uma hora pra outra, da noite pro dia, num simples, inocente e patriótico lobby de um grande presidente da República em favor de sua pátria amada, idolatrada, educadora, salve, salve. E lobby, gente minha gentil que parti ao meio, não é crime. 

Pronto. Falei. E que, se Ele for mesmo brasileiro, seja lá o que Deus quiser. 
TEMER RECUSA PEDIDO DE DILMA
PARA DEFENDER NA "NOVA" CPMF

O vice-presidente Michel Temer, recém-saído do varejo da coordenação política do governo, recusou o pedido de Dilma Vana para a poiar a "nova" CPMF. Nem foi porque seja mais um posto a meter a mão no bolso da população; recusou muito mais por que ele, como o país inteiro, sabe que essa dinheirama - estimada em pelo menos R$ 80 bilhões - vai sumir assim que chegar às mãos desse governo que não rouba nem deixa roubar. Não seria nenhuma novidade; foi o que aconteceu no passado recente "enquanto o Braz era tesoureiro" de Lula que habitava o Palácio do Planalto.
QUAL É A NOTÍCIA?

Lá em Montes Claros, nas Minas Gerais, escondido atrás do microfone amigo da rádio Itatiaia, Lula da Silva, o conhecido empresário Brahma, ameaçou com sua voz do além, que "se necessário, eu vou à disputa em 2018".
]
Mal rouquejou esse desaforo e sua fala virou notícia em todos os jornais, cadeias de TV e redes sociais. Tá, mas qual é a notícia, onde está a notícia?

Bolas, Lula jamais de deixou de ser candidato de si mesmo, desde que desceu a rampa do Palácio e levou seus 11 caminhões de mudança para São Bernardo do Campo. Então qual é a notícia?

A notícia não é que  Lula, o Brahma pode ser candidato. A notícia é que, depois do que ele e Dilma fizeram para ganhar a eleição de outubro do ano passado, os brasileiros estão com medo. Pronto, a notícia é esta: o povo sabe o que Lula é capaz de fazer para ganhar uma eleição.
SOLUÇÃO E DESFECHO

Surpreendido e acuado em flagrante delito pela Operação Lava Jato e contido no seu deslavado jeito de gastar o produto dos seus malfeitos, o governo já não sabe mais o que fazer para repor o dinheiro que botou fora. Só pensa naquilo: aumentar impostos.

E mais naquilo outro: recriar malvadezas como a CPMF, o imposto de achaque ao cheque, agora robustecido porque vai meter a mão também em todas as operações financeiras da população, inclusive o cartão de crédito.

Para essa máfia do Estado que promove toda essa gandaia, essa farra, o desregro, a inflação e a recessão só têm uma solução e um desfecho: parar de roubar e entrar pela porta da cadeia.

VOCÊ SABIA?
Dilma Vana, a impoluta Mulher Sapiens, vulgo Senhora Mandioca ou Tocha Olímpica, manda e desmanda em mais de 18.200 funcionários na Presidência da República... A Casa Branca, sede da Presidência dos EUA tem 456 funcionários sob as ordens de Barack Obama.

INDA QUE MAL PERGUNTE...
O que é mesmo que fazem pelo Brasil mais de 6 mil funcionários da Presidência da República trabalhando fora do Distrito Federal?

VOCÊ SABIA...
Que desde que subiu a rampa em janeiro de 2003, Dilma Vana criou mais de 14 mil cargos comissionados para bem servi-la?

DE VEZ EM QUANDO
E então o Brasil entrou oficialmente no que se chama de "recessão técnica". Aí, então, durante mais uma inauguração de um curral eleitoral do Minha Casa, Minha Vida, Dilma Coração Valente, bradou retumbante: "O Brasil vai superar a crise com amor no coração". Acredite, se quiser. Ela pode estar até emocionada, mas... De vez em quando, ela mente.

PHANTOMAS
Essa ideia de jerico de reapresentar a manjada, fracassada e fantasmagórica pornochanchada que tem a CPMF como protagonista merece o título em idioma bem brasileiro, "A Volta da Múmia Paralítica".

JUS À SABATINA
Rodrigo Janot já começou a fazer jus à sabatina que lhe deu o bicampeonato na Procuradoria Geral da União pelo Governo: pediu ao STF, Corte de Lewandowski, para arquivar a investigação sobre Anastasia. É só o primeiro pedido de arquivamento de inquérito contra políticos investigados pela Procuradoria no vasto rol de roupa suja do Petrolão. Uma espécie de pedra fundamental do engavetamento geral.

NA RABEIRA
Em um ranking de 35 países, organizado pelas agências de classificação de risco, o PIB - Produto Interno Bruto do Brasil conquistou o honroso 33º lugar. Só ganhou em humilhação da Ucrânia e olhe lá. A Rússia é o outro país que o trem não pega. Mas a Rússia não conta; é tão ou mais mais corrupta que o Brasil da Silva.

ENTREMENTES...
Luleco, o Pixuleco, ameaçou Brasil mais uma vez: disse que "se necessário venho para a disputa em 2018". Disse isto em Montes Claros, nas Minas Gerais, dentro de um estúdio de rádio. Eu só queria ver, se ele dissesse isso em praça pública, como é que ele viajaria de volta para o seu Instituto Lula - uma das sedes dessa democracia de gabinete que os brasileiros padecem há 30 anos, desde que com Zé Sarney, essa pandilha de governantes assumiu o ciclo presidencialista mais desastrado desse país.

LEVO CIGARRO E JORNAL

Malgrado a oposição não tenha ninguém que preencha as urgentes necessidades dos comprovados 204 milhões de habitantes desse país, se estiver solto até lá, Lula da Silva, o rico empresário Brahma pode lançar sua candidatura a essa grande aventura que é presidir o Brasil.

Desmascarado e com a popularidade abaixo da cola do cavalo, o Brahma é tido até mesmo por essa inerte oposição brasileira, como carta fora do baralho.

De minha parte entre Lula cair nas malhas da lei pela ação da Lava Jato e voltar a ser candidato a presidente, eu prefiro levar-lhe jornal e cigarro. Até por que, ele parou de fumar e não gosta de ler jornais.

NOVA MALDADE:
CPMF POSTIÇA POR UM ANO

Então, como cantava a vaca barrosa para o boi dormir: com o crescimento do PIB de 2016 calculado a um patamar abaixo de 0,5%, o rombo no Orçamento do ano que vem é estimado em cerca de R$ 130 bilhões. 

E é aí, minhas queridas companheiras e meus diletos companheiros que a vaca tosse e mostra que a aftose no déficit das contas do governo "reforça a necessidade da recriação da CPMF". 

Dilma Vana analisa com o ministro Joaquim Levy uma boa maldade: criar a nova CPMF, achaque postiço ao bolso de todos os brasileiros pelo período de apenas um ano. E já estão bolando uma Proposta de Emenda Constitucional para enviar ao Congresso como uma "medida emergencial", para realizar o que a Mulher Sapiens chama de "travessia" econômica em 2016. 

Agora só falta explicar como é que esse governo que não rouba e nem deixa roubar, abriu esse rombo nunca visto antes na história desse país. Roubaram o que tinha e o que não tinha para roubar e agora o povo que pague a conta. Alguém já deveria estar preso há muito tempo por assalto continuado e desenfreado aos cofres públicos.

28 de ago de 2015

A PALAVRA DE HONRA

Depois de atirar mais de 20 bilhões de reais pro ar do que poderia gastar em 2014 e de empurrar por mais 15 dias com a barriga a prestação das pedaladas, Dilma Vana diz que "dificuldades do país são momentâneas e o Brasil é um país forte e vai superar suas dificuldades". Ele prometeu também que vai aumentar o emprego e garantiu a volta do crescimento. Então tá. Mas inda que mal pergunte: por que é mesmo que gente tem que acreditar numa mentirosa; quem é que garante a palavra dela, o presidente de honra do PT?!

URTICÁRIA REVELA O PATETA
DE HONRA DO BRASIL DA SILVA

Não se sabe em que, nem por que Lula, o rico empresário Brahma, disse ontem na rádio Itatiaia, de Montes Claros, lugar escolhido para mais um início de sua teimosa e descarada campanha “Volta, Lula!”, que "não acredito em impeachment da presidente Dilma. Acredito que as dificuldades que nós estamos passando agora serão vencidas na medida em que a economia comece a se recuperar e os programas anunciados pela presidenta Dilma comecem a dar resultado". Epa! Opa! 

Que crise? Que dificuldades? “Nós estamos passando”... Nós quem: você, o PT, a Dilma, os seus sócios, os empreiteiros, seus companheiros intermediários de bons negócios na Petrobras?  

Que “programas anunciados pela presidenta Dilma”?... As pedaladas, os ajustes fiscais, o aumento da luz, da água, dos impostos, a criação da nova CPMF?!?

Ah, esse Lula que atende por Brahma parece que bebe... Os brasileiros mal podem esperar pelos programas da Dilma Vana.

Esse mesmo tonto ainda defendeu a Petrobras e as investigações sobre a corrupção que corre solta nas esferas públicas: “as administrações petistas permitiram a criação de instrumentos para investigação dos casos de corrupção”. É mesmo, só faltou combinar com a presidenta Dilma, com o ministro da Justiça e avisar aos companheiros bons e batutas. 

Esse Lula me causa, além de urticária, frouxos de riso. É um comediante. É incrível como ele jamais diz uma mentira que não possa provar.

Ele teve um surto de sincera falsidade e disse que “o PT cometeu desvios” porque passou a fazer política igual aos outros partidos políticos. “O PT era para ser diferente de verdade” – delatou-se, afinal. Ai que comichão dos pés à cabeça! Tenho que me coçar: Lula, o Brahma não é comediante do PT é o pateta de honra do Brasil da Silva! 

Ele é presidente de honra desse partido que fez política “igual aos outros” e não viu nada, não fez nada. É o presidente de honra de um PT cheio de desonestos. E Lula, o Brahma, conviveu esse tempo todo não só como presidente e companheiro, como chefe-maior dessa pandilha de sevandijas.


Olhem só o que ele disse ontem no microfone da Itatiaia: “Teve gente do PT que errou, teve. Eu dizia, quando estava na presidência que só tem um jeito, neste país, de você não ser molestado por uma investigação, é você ser honesto”. 

E assim, como sempre, ele desperta o grande dedo duro que tem dentro dele: assim que dá no jeito ele põe a culpa nos outros e sai dizendo que foi apunhalado pelas costas. Ontem ele não foi explícito, mas deixou claro que uma vez mais ele “não sabia de nada”, inocente...
EM MINAS GERAIS, O JEITO LULA
DE PROMOVER O "VOLTA LULA!"

Ah, me deu coceira. Não vou deixar isso passar em brancas nuvens. Acho que o cara me deixou foi com urticária... O rico empresário de palestras mais caras do mundo, Lula da Silva, disse na manhã desta sexta-feira de agosto que pode concorrer à Presidência da República em 2018: "Se for preciso vou para a disputa". Disputa então, cara. Ninguém vai se admirar com a chulice do teu verbo. Vem que tem.

Quando consegue uma casamata, longe das ruas, Lula, o rico Brahma dos empreiteiros, estufa o peito e enche a boca. Diz coisas assim com aquela sua enorme convicção de que pode se desdizer na próxima sequência de sílabas, umas bafejadas pelas outras.

E assim escorado e homiziado no microfone da rádio de Itatiaia, de Montes Claros, em Minas Gerais, ele disse  que "não posso dizer que sou, nem que não sou candidato. Sinceramente espero que tenha outras pessoas para serem candidatas...". Ah, não me manches o colarinho a beijos, Lula. Não sou chope, ô Brahma!

Que "não posso dizer" o quê, Lula. Ninguém é mais candidato nesse país desde que Dilma subiu a rampa do que Lula da Silva. Tanto é que, além de deixar uma herança maldita para a Mulher Sapiens, ele não a deixou governar em paz por um segundo sequer, por que nunca largou o osso.

A gente só ficou sabendo que Lula deixara Brasília, por causa daquele comboio de 11 caminhões de mudança que saindo da Capital da República só parou para descarregar tudo, até um crucifixo que foi doado à Presidência da República no tempo de Itamar, num depósito de São Bernardo do Campo.

E essa coisa de só dizer o que logo vai desdizer depois, não contenta o palanqueiro enclausurado, ele tem sempre que cutucar, provocar, ameaçar. Disse, repetindo-se, na esteira de sua entrevista sob encomenda que "Agora, se a oposição pensa que vai ganhar, que não vai ter disputa e que o PT está acabado, ela pode ficar certa do seguinte: se for necessário eu vou trabalhar para que a oposição não ganhe as eleições".

As falas de Lula no microfone da rádio de Montes Claros serviram de estreia para as viagens que ele fará por todo o país "para melhorar a imagem do PT".

Ora bolas, carambolas, falando assim, ele melhora a imagem dele e enfia a imagem de Dilma Mandioca no saco. Essa maratona país adentro e afora é o manjado jeito Lula de promover a campanha "Volta Lula". Não tem nada a ver com o governo Dilma.

Paro por aqui. Por enquanto, decerto. Não que o Brahma seja insuportável; insuportável é aquilo que nos provoca urticária. Assim que aliviar a coceira, se for necessário, eu volto para a disputa.
SE FOR NECESSÁRIO
LULA DISPUTA

O rico empresário Lula da Silva, presidente de honra do PT - partido que não rouba e não deixa roubar, descobriu uma rádio amiga na cidade de Itatiaia, em Minas Gerais e ameaçou com voz do além que "se for necessário, eu disputo em 2018". Ah, não diz... Não disputa, meleca nenhuma!

E vampará com essas ameaças! Você já ameaçou as pessoas de bem, outro dia, com o exército do Stédile, agora vem com essa?!? "Se for necessário"... Necessário pra quem, cara pálida?

Só se "for necessário" para quem precisa de imunidade e de foro privilegiado pra se livrar de uma boa temporada na Papuda.

MAIS UM 
A Polícia Federal indiciou o antigo presidente da Eletronuclear preso na Lava Jato. O vice-almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, uma as figuras mais impolutas e arrogantes dessa República, é suspeito de ter recebido R$ 4,5 milhões de propina em Angra-3. O bom desse governo é que ele não rouba e não deixa roubar.

INDA QUE MAL PERGUNTE...
O que está mais banalizado no Brasil da Silva: 1) Chifre em letra de música sertaneja; 2) Corrupção nesse governo que não rouba e não deixa roubar?

11 DE SETEMBRO
Não é nada, não é nada, não é nada mesmo, mas é interessante a data final para a entrega no TCU da defesa da Dilma no caso das Pedaladas Fiscais: 11 de setembro. Pode ser a premonição de que as torres brasileiras não estão lá tão seguras quanto pode parecer. Ironias do destino.

IMPEACHMENT POLÍTICO
Tome nota: se a ideia do impeachment de Dilma Vana se criar, será por honra e graça de seu desafeto, Eduardo Cunha. No âmbito da Justiça nada prosseguirá, posto que aparelhamento unido jamais será vencido.
CPMF, O RETORNO

Essa pandilha não aprende mesmo; não aprende e não se emenda. Cercados por todos os lados pela Operação Lava Jato, os malfeitores agora voltam ao velho golpe da CPMF, aquele imposto do achaque ao cheque.

O golpe de hoje é o mesmo dos tempos em que Simão Jatene, era ministro da Saúde e acreditou que poderia melhorar o atendimento à população. O governo Lula deu sumiço nos bilhões arrecadados e nunca, jamais, um único centavo foi usado na Saúde pública.

A versão atual da tramoiaq volta piorada: o governo Dilma quer desentalar esse caroço que está atravessado até hoje na garganta de Lula, abocanhando toda e qualquer transação financeira de todo e qualquer habitantes dessa terra que eles pegaram na mão grande.

O imposto agora vai ser de R$ 0,38 em cima de tudo que você comprar ou vender, olhar ou tocar. E, como de hábito, os bilhões tomarão chá de sumiço tostão por tostão.
PT BOTA O BARBA NO MOLHO

Não há nada que desperte reações mais inusitadas do que malandro ter ciume de mulher de malandro. E ontem, enquanto Fernando Baiano era apontado como "o novo delator" da República dos Calamares, o rebuliço nas hostes petistas era provocado pelo ataque de nervos do ex-deputado Pedro Corrês (PP) por causa do abandono a que foi deixado pelo PT e seus proprietários.

Bateu raiva e ciumeira e Pedro Corrêa já negocia um acordo de delação premiada com a Lava Jato. Ele é o cara que bem pode esclarecer de uma vez por todas o envolvimento de Antonio Palocci e por consequência inevitável a participação do seu ex-chefe, Lula da Silva, no esquema de corrupção que levou a Petrobras ao fundo do poço.

Para o investigadores da Lava Jato não há dúvida  alguma de que Pedro Corrêa caiu em tentação levado ao esquema do Petrolão pelas mãos de Palocci que eu prefiro escrever Calocci e com autorização dos íntegros habitantes do Palácio do Planalto naqueles anos dourados.

Então, estamos combinados: o apavorante "novo delator" que explicaria as tramoias de Calocci, anunciado por Youssef na CPI da Petrobras, não é Fernando Baiano e sim Pedro Corrêa. O PT volta a botar o Barba de molho. 

27 de ago de 2015

FOI E É VOCÊ!

Esse Coutinho, dono da caixa preta e da chave do cofre do BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, é mesmo uma peça. De xadrez.

Com pose de dono dos grandes lances é cavalo de batalha travestido de peão numa torre de ouro público a serviço do rei morto e da rainha posta.

Ele negou na CPI do BNDES interferência de Lula e Zé Dirceu em contratos internacionais do banco em que ele age como quem dá as cartas. Ah, então tá. Coutinho negou tá negado.

Bolas, carambolas! Se Lula e Zé Dirceu não têm nem nunca tiveram ingerência nos negócios internacionais, então era tráfico de influência mesmo; ou, o que é mais provável, quem tinha e tem ingerência é você aí, mermão. Quem mandou estar lendo esse texto aqui e agora? Já que não tem mais ninguém tão perto neste exato momento, sobrou pra você.

Mas fique tranquilo. Coutinho é mais que peão ou cavalo de batalha; Coutinho é uma porta, não fala nem que as dobradiças rinjam; nem que soleira dobre; nem que a cobra fume, ou a vaca tussa. Com Coutinho, você está blindado. Você, o Lula e o Zé Dirceu.

BEM FEITO
Agora é certo, Martox Suplicy assina ficha mesmo com o PMDB. Quer ser candidata a prefeita de São Paulo, outra vez. Bem feito para o carismático de vitrine, Márcio Chalita que queria e quer a mesma boca rica. Bem  feito para o PT. Bem feito, mas bem feito mesmo para o PMDB.
PARA O VASCO O
FLAMENGO É O RESTO

Pô esse tal de Jorginho já chegou aprontando no Vasco. Eliminou o Flamengo da Copa do Brasil. Aonde é que ele está querendo chegar? Se tiver mais pretensão do que um vice nessa Copa, tem quer demitido, já, já. Ou eu rasgo, pela quinta vez a minha carteirinha de sócio emitida em 1949, no tempo do Expresso da Vitória. Tô de olho, Vasco é Vasco, o resto é o resto. Na Copa do Brasil, o Vasco é o Vasco e o Flamengo é o resto.

O "NOVO" DELATOR

Fernando Baiano é o "novo delator" citado por Youssef naquela papagaiada de ontem na CPI do Petrolão. Pelo menos isso é o que os companheiros da surda campanha "Volta Lula" gostariam que fosse para impedir que, por qualquer eventualidade, Michel Temer sentasse na cadeira de Dilma Vana. O próprio Brahma já andou regorgando, intramuros do seu instituto de ricas palestras, que se Dilma sofrer impeachment ele vai se candidatar a presidente outra vez.

CPI DO PETROLÃO
CONVOCA DIRCEU

A CPI da Petrobras aprovou a convocação de Zé Dirceu. Ele será ouvido em Curitiba, onde é preso repetente desde o início deste mês por envolvimento no Petrolão.

CPI é uma coisa tão despropositada que, aposto o quanto vocês quiserem que, assim que o subchefe dos mensaleiros, Zé Dirceu, termine seu depoimento na CPI ele sai de lá livre, leve, solto e dono do seu  mandato de deputado outra vez. E não duvidem nada se, os parlamentares que vão interrogá-los não fiquem presos no seu lugar.
LÁ SE VAI O JORNAL DE BRASÍLIA

E lá se vai o Jornal de Brasília das bancas do Distrito Federal. Agora o velho jornalão que já era tabloide sai da oferta e procura nas ruas e nos pontos de venda para ser apenas virtual. Eu diria digital - que cai melhor nas linhas editoriais das redações jornalísticas.

E assim é que o cheiro de tinta e papel que sempre aproximou você das notícias fresquinhas está se evaporando. Logo, logo as nossa bibliotecas serão transformadas em museus abertos à visitação turística e caberão num pendrive como fonte de consulta e cultura.
DEU JANOT NA CABEÇA

Surpresa na Esplanada dos Ministério. Venceu o favorito. Rodrigo Janot é bicampeão na Procuradoria Geral da República de Dilma. O triste da sabatina de ontem no Senado foi a dolorosa opção que restou aos que assistiram à patacoada senatorial, de torcer por Fernandinho Beira-Collor no embate com o inevitável vencedor. Cruzes, o que essa democracia de gabinete faz com os brasileiros!..  E foi assim, como a flor ao luar se deu, que deu Janot na cabeça. E é assim, bem assim que os processos que merecem banquetes no Palácio do Planalto continuarão na gaveta. Renan Calheiros e Dilma Vana respiram aliviados.

A 1ª PEDRA DO DOMINÓ

Pronto, a CPI do Petrolão está conseguindo o que mais sonha na vida: melar a Operação Lava Jato. Por causa daquela acareação entre Youssef e Paulinho do Lula, os dois vira-casacas do crime organizado que virou Estado nesse Brasil da Silva, o Supremo agora vai julgar o recurso contra a delação de Alberto Youssef. Os propineiros e seus dois grandes chefes acreditam que essa é a primeira pedra do dominó. Derrubado Youssef a fila vai desandar. Dias Toffoli recebeu a papelada com indescritível prazer. Foi como se lhe tivesse despertado os instintos mais primitivos.

RECADO PARA O DESMANCHE
Na sua laudatória peça de defesa de si mesmo, Rodrigo Janot deixou lá mesmo na sabatina do Senado, o caminho aberto para começar o desmanche da Operação Lava Jato. Discursou que "delação premiada não é prova". Pronto, foi dado o recado para a Corte de Lewandowski. Democracia de gabinete é isso. Entre quatro paredes, ou em amplas salas, em pequenos institutos, em arremedos de assembleias, em rançosas centrais sindicalistas, a minoria representa e decide pela maioria. Sabe o que é mesmo que eu penso disso? Essa democracia relativa está cheirando a ditabranda absoluta. Esses simpáticos e cínicos soberanos acham que é uma grande coisa eles nos darem o direito de concordar com eles em tudo e por tudo.

CUIDADO!
Está em curso, nas hostes governistas a volta do famigerado imposto de achaque ao cheque. Dessa vez a famigerada CPMF que está atravessada até hoje na garganta de Lula vai voltar atacando todo e qualquer movimentação no seu talão de cheques e no cartão de crédito também. Preparem panelas, pirulitos e bengalas que tudo isso vai ser preciso para prevenir a população de mais esse golpe tão cruel quanto cretino.

26 de ago de 2015

PENSANDO BEM...

CREDIBILIDADE
Ao entrar no Congresso Nacional, entre deputados e senadores não confie em nenhum deles, salvo nas honrosas exceções. E, por medida de segurança, não confie também nas honrosas exceções.

CONFLITO
No tempo de Sarney a FHC me pouparam o sentimento de confiança; nesses quase 13 anos de Lula e Dilma me tiraram toda e qualquer esperança. Dá pra entender agora por que nem no sábado eu tenho mais a perspectiva do domingo?

HÁ 38 ANOS
Vivo em Brasília há quase quarenta anos... Calibrando direitinho, 38. Isso é que é dar um tiro no pé.

ALMA POLÍTICA
Nessas minhas quase quatro décadas por Brasília, descobri que consciência de político é quando eles pensam que alguém ficou sabendo de tudo.
ENTREMENTES...
Congresso aprova 41% de aumento salarial para o Ministério Público; já deu na semana passada 48% para os ministros do STF com efeito dominó para a douta magistratura; o juro do cartão de crédito bateu hoje nos 400% ao ano, segundo o Banco Central. De acordo com a bondade desse governo o último aumento para os aposentados mal passou de 6% e o adiantamento do 13º que Dilma e seus ministro já embolsaram, vai ser pago a duras penas só depois que setembro vier.

DELAÇÃO PREMIADA
Acordo de delação premiada aquilo que todo inocente faz depois de um ou dois meses de cadeia.

DA CELESTE BANCA

Que coisa essa sabatina com o Rodrigo Janot, lá no Senado. Não que me surpreenda. De jeito e maneira... É tudo mais do mesmo. O Brasil da Silva é o império do Direito Formal que sufoca o Direito Moral.

É bem como acaba de me segredar meu pai, o bom e velho Juliné da Costa Siqueira, lá do alto de sua celeste banca criminalista: "Nesse país aí embaixo não há lugar para  o Direito Romântico. Tudo deveria ser um só caso de Direito Penal".

PENSANDO BEM...
Esses empreiteiros do Clube do Bilhão não são mais safados do que as licitações que os operadores das obras do governo ofereciam para eles.

SUA EXCELÊNCIA
Os acordos de leniência são, na verdade, uma espécie de delação premiada empresarial. As empresas confessam o roubo, acertam quanto devem devolver do que abocanharam e limpam a ficha para as próximas licitações, eis que o Brasil não pode parar.

Já o delator premiado não é um alcaguete, não chega a ser um traíra como o Barba no DOPS Paulista, nem sequer um Papagaio do Araguaia. É só um colaborador republicano.

Em suma,  Sua Excelência, o delator premiado, hoje no Brasil da Silva é um gente boa que apenas virou a casaca. E cá pra nós, com a maior credibilidade nessa democracia de gabinete que se instalou na República dos Calamares.
DA CELESTE BANCA

Que coisa essa sabatina com o Rodrigo Janot, lá no Senado. Não que me surpreenda. De jeito e maneira... É tudo mais do mesmo. O Brasil da Silva é o império do Direito Formal que sufoca o Direito Moral.

É bem como acaba de me segredar meu pai, o bom e velho Juliné da Costa Siqueira, lá do alto de sua celeste banca criminalista: "Nesse país aí embaixo não há lugar para  o Direito Romântico. Tudo deveria ser um só caso de Direito Penal".
PENSANDO BEM...
Esses empreiteiros do Clube do Bilhão não são mais safados do que as licitações que os operadores das obras do governo ofereciam para eles.

SUA EXCELÊNCIA
Os acordos de leniência são, na verdade, uma espécie de delação premiada empresarial. As empresas confessam o roubo, acertam quanto devem devolver do que abocanharam e limpam a ficha para as próximas licitações, eis que o Brasil não pode parar.

Já o delator premiado não é um alcaguete, não chega a ser um traíra como o Barba no DOPS Paulista, nem sequer um Papagaio do Araguaia. É só um colaborador republicano.

Em suma,  Sua Excelência, o delator premiado, hoje no Brasil da Silva é um gente boa que apenas virou a casaca. E cá pra nós, com a maior credibilidade nessa democracia de gabinete que se instalou na República dos Calamares.
APARELHAMENTO
Nessa democracia de gabinete iniciada por Lula em 2002 e tocada aos trancos e barrancos por Dilma Vana até os dias de hoje, o governo não distribui cargos públicos a esmo... Só para os petistas.


AGRADEÇA Á DONA DILMA

Com a crise que só assusta dona Dilma Vana, desapareceram os empregos de carteira assinada e todo mundo está se mandando para a informalidade. Então, siga a voz da experiência que o tempo me dá: se você vai vender pastel, ou ser camelô, faça isso num grande centro.

Ser camelô ou vender pastel numa cidade de porte médio é mil vezes menos rentável do que fazer a mesma coisa, numa Avenida Paulista, na orla de Copacabana, na Rua da Praia onde passam milhões de pessoas diariamente pela sua banca de bons negócios.

E não me agradeça por este conselho; agradeça ao governo da dona Dilma Vana, aquela que levou "um susto" quando soube que o PT de Lula estava metido no escândalo da Petrobras.
EM NOME DA JUSTIÇA
Rodrigo Janot que não acusa Renan Calheiros que já ajeitou as coisas para o Senado reeleger Janot procurador-geral da União por Dilma Vana, foi chamado de tudo um pouco por Fernandinho Beira-Collor. Talvez por isso e não por mero zelo profissional pediu nova investigação de Collor, desta feita por peculato e crimes em licitações. E assim se faz justiça nesse grande aparelho chamado Brasil da Silva.

MAIORIA DO TSE VOTA
POR PROCESSAR DILMA

A maioria do Tribunal Superior Eleitoral decidiu abrir processo que pode levar à cassação de Dilma Vana. Quatro dos sete ministros já votaram a favor da continuidade da ação de impugnação do mandato da criatura, mas aí... O julgamento foi suspenso, porque a ministra Luciana Lóssio, que foi advogada do PT, pediu vista. Paralisou o julgamento. Quer dizer, mandou o processo para as calendas gregas.

JANOT TEM SHOW
HOJE NO SENADO

Depois da lengalenga de ontem no Congresso, hoje tem mais um espetáculo circense na alta casa de tolerância nacional. Os senadores investigados na Lava Jato vão sabatinar Rodrigo Janot e, malgrado os desaforos de Fernandinho Beira-Collor, ele será mantido por mais dois anos na presidência da Procuradoria Geral da União por Dilma. Ele é o responsável pelo destino das denúncias contra políticos que têm foro privilegiado. Por acaso, ele foi indicado para o replay de sua boca rica por Dilma que está fazendo de tudo para não ser denunciada por uma porção de malfeitos que podem fazê-la perder o mandato.

MEIO MILHÃO PARA
EMENDAR PARLAMENTARES
Ontem Michel temer, o Melífluo, deixou de vez a coordenação das relações políticas do governo Dilma. E rapidamente realizou uma reunião com os líderes partidários. Levou na pasta de trabalhos a módica quantia de meio milhão de reais, gentilmente destinados por Dilma Vana, para emendar parlamentares. Esse cara, ainda pode ser presidente dessa República. Aí, você decide se o pior é a emenda ou o soneto. Eu diria que um é pior que o outro. E vice versa.

CONTRADIÇÃO ESPERADA
Naquela ópera bufa desta terça-feira na CPI-2 do Petrolão, Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa se contradisseram sobre suposto pedido a Palocci. E olha que os dois são delatores premiados... Paulinho do Lula reafirmou pedido de doação para a campanha da Dilma; já o doleiro disse na tal acareação que "outro delator esclarecerá quem pediu a grana". De dois patifes cara a cara com quem também tem culpa no cartório, a gente poderia esperar o quê?!?

25 de ago de 2015

DOIS DELATORES CARA A CARA
COM GOVERNISTAS E OPOSITORES

Já tive o desprazer profissional de assistir a algumas sessões de CPIs plurais, mistas e singulares, nas salas comuns que o Congresso lhes coloca à disposição. De tudo que vi e ouvi, de nada gostei do que rimbombou em meus ouvidos e do que aos meus olhos reviraram.

Hoje cometi o risco de me arrepiar e dei uma olhada na transmissão da acareação entre dois delatores premiadíssimos, Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef.

Foi uma passagem fortuita pelos canais Band News e Globo também News. Peguei um momento de pura sorte. Um dos deputados quis saber de Paulinho, da Petrobras, sobre a compra da refinaria de Pasadena, lá da Terra de Obama.

E o delator, com ar enfastiado e tão impoluto quanto a pose dos parlamentares ali empenhados em defender, a sua maneira e devida missão, ora o governo e ora a oposição, disse com clareza cristalina: "A responsabilidade da compra de Pasadena é toda e exclusiva do Conselho de Administração da Petrobras".

E explicou ainda: "A diretoria da Petrobras não tem competência técnica, nem autoridade administrativa para autorizar a compra de uma refinaria. Isso compete ao Conselho de Administração". E pra mim, deu. Mudei de canal e mudei de sala.

Fiz um café e eis-me aqui para lhes perguntar o seguinte: Quem presidia então o Conselho de Administração que deu aval à compra daquela refinaria sucateada no Texas? Quem presidia o Conselhão que fez a Petrobras pagar US$ 360 milhões por metade de uma refinaria que, um ano antes, tinha custado à empresa belga Astra Oil nada mais que US$ 42,5 milhões? Quem era, quem?...

Pois, era ninguém mais nem menos do que a ínclita criatura dona Dilma Vana, ministra do seu criador, então presidente da República.

Pronto, o que me tocava nesse latifúndio da Petrobras com a refinaria de Pasadena, eu já reparti com vocês. Mas, antes de ir tratar das lidas da vida de um jornalista aposentado, mas não inativo, lembro a cada um de vocês que as gravações com a ata dessa decisiva e quentíssima reunião do Conselhão, incendiaram-se sozinhas, não faz muito tempo.

Agora sim, deu pra mim, baixo astral de Petrolão e desse Conselhão que não roubava nem deixava roubar. Por enquanto é isso. Saibam, pois que é por essas e outras que, morando há quase quarenta anos em Brasília, só ponho os pés no Congresso Nacional no extremo limite de minha tolerância, quando não posso mesmo evitá-lo. Mas só enfio os pés.
O SUSTO COM O TAMANHO DA CRISE

Dilma Vana disse ontem que "o governo demorou para perceber o tamanho da crise". Disse assim como se ela não fosse o governo. A menos que ela não seja mesmo.

Em todo caso, o governo não precisava "ver" coisa nenhuma; a crise foi criada pelo próprio governo. Dilma é o governo; o governo Dilma é a crise.

Mas Dilma não perde a chance de falar quando não tem nada pra dizer. Disse nesta segunda-feira para jornalistas que ainda têm tempo a perder que levou "um susto com o escândalo da Petrobras".

Ah, peralá ô Chiquita Bacana da Martinica! Nem vem bancando a banana nanica... A senhora pode até ser banana, mas não é nanica; como o silêncio é de ouro, sua palavra é de banana prata. Sucede então que esse susto só pode ter sido quando a senhora, dona Dilma, se olhou no espelho.

Eu mesmo quando olho pra Dilma não me surpreendo quando vejo na minha frente a fachada da Petrobras. Que me desculpe a fauna brasileira, mas é a cara de uma e o focinho da outra. Quando olho a criatura, eu levo um susto quando não vejo o seu criador saltar na frente dela.

BOBINHO
Francois Hollande, presidente francês disse ontem que "A França deve se preparar contra novos ataques do terror". Pronto, é assim que os terroristas agora já sabem que a França não está preparada. Bobinho ele, né não?!?

RECESSÃO
Fontes oficiais de medição de qualquer coisa, revelaram nesta quarta-feira que os gastos dos brasileiros no exterior foram os mais baixos dos últimos cinco anos. Em compensação, eu digo aqui do alto das minhas idas e vindas às compras, que os gastos no Brasil foram os mais altos dos últimos anos nas lojas e nos supermercados.

NO MEIO
Uma carreta com porcos tombou no Rodoanel de São Paulo. Os políticos não apareceram por lá. Se estavam lá, no meio dos suínos, ninguém notou.
sentido.

SEJA UM DELES

Dilma, como sempre, não disse nada que a gente já não tivesse notado. Bafejou ontem, no embalo de um papo montado com jornalistas que insistem em ouvir a História Oficial que "subestimei o tamanho da crise".

Pô, minha banana-prata! A senhora confessou a sua incompetência e a sua irresponsabilidade. A incompetência, porque só a senhora subestimou o desastre que se avizinhava; a irresponsabilidade, porque essa é uma crise que quebrou o Brasil.

A senhora gastou, no ano passado com a sua reeleição, R$ 20 bilhões a mais do que estava autorizada a gastar. Se a senhora fosse uma coxinha como todo mundo, menos os governistas, o que faria com a senhora mesma numa hora dessas?!?

Tá, nem precisa ser nenhum de nós brasileiros depauperados, responda apenas como se fosse alguém da Operação Lava Jato.
GOVERNANÇA
Qualquer país é difícil de governar, seja lá por quem quer que seja. Mas, com o PT de Lula e Dilma não só é impossível, como dá nisso que deu.

INFLAÇÃO
Esse governo tá num mato sem cachorro. Tem que acabar logo com a inflação. Mas, para isso, precisa acabar primeiro com a corrupção, as fraudes nas licitações, os escândalos, a roubalheira na máquina pública, com o crime organizado dentro do Estado. Pelo jeito vamos passar quase um século com uma mão atrás e outra na frente.

O LEGADO
Nesses quase 13 anos de PT no poder o governo colecionou mais de 300 escândalos. Se, em nome da vontade de não ter medo de ser feliz,  o brasileiro de boa índole e da maior boa vontade resolver desconhecer essa parte, terá como legado inesquecível duas peças que não tem como ignorar: Lula, o rico Brahma e Dilma Vana, a Mulher Sapiens.

FILME ANTIGO
Não sei bem por que, acho até que já me acostumei com esse jeito bandalho do governo não roubar e não deixar roubar, mas toda vez que ele toma uma iniciativa, toda vez que pratica um ato público, me parece que é mais uma cena de um filme pornô que já passou, pouco tempo atrás.

O BONDE
Nessa brincadeira de cortar dez ministérios, não se sabe bem quais e nem quando, se o PMDB não se antecipar e oferecer os ministérios que tem no bolso, vai perder o bonde da sua própria história de eminência parda de todo e qualquer poder constituído nesse país. Quanto mais o PMDB se afastar agora desse governo, mais perto ele estará do próximo governo que, cada vez mais, se aproxima a passos largos.

DELAÇÃO SUICIDA
A defesa da Odebrecht na Operação Lava Jato descarta a possibilidade de promover um acordo de delação premiada. Ora, isso seria um tiro na própria nuca. Pelo que os investigadores sabem, a Odebrecht não está apenas envolvida no Petrolão; ela é o próprio escândalo. Sem a Odebrecht não haveria o Clube do Bilhão e nem sequer o Brahma teria consolidado a democracia de gabinete com a fundação da soberana República Social Democrata do Brasil da Silva.

A FAXINEIRA
A Dilma é ótima. Olha só o que ela disse ontem bancando novamente a faxineira, depois do anúncio dos três últimos patetas: "Vamos passar todos os ministérios a limpo".

Ué, pra quê?... Vai ver que todos os ministérios estão precisando de uma Lava Jato. Se é este o caso, então que Dilma tome cuidado, por que em matéria de limpeza quem é do ramo é o Sérgio Moro. Aí, até o cargo de faxineira vai ser varrido do Palácio.

VAMPARÁ!
Aqui ó, vampará com essa coisa de botar a culpa da inflação brasileira nas costas da China. Todo mundo estava careca de saber que negócio da China nunca foi flor que se cheire. Já tem uma dúzia de países no primeiro mundo que reagiram ao primeiro impacto e a fila está andando. Aqui a inflação é o legado natural da roubalheira institucionalizada pela máfia que virou Estado.
DEMOCRACIA DE GABINETE

Afinal, o governo decidiu que vai depositar na conta dos aposentados em uma só parcela o tradicional adiantamento do 13º salário. O especial favor será concedido com ares de grande bondade, a partir do dia 24 de setembro. E é assim que funciona a democracia de gabinete.

Em tudo e por tudo, milhões e milhões de pessoas dependem da vontade e do poder de decisão de uma cabeça que comanda um grupo que comanda um país.

Nesse caso do histórico adiantamento do 13º dos mais de 15 milhões de aposentados dependeram de uma cabeça brilhante como a de Dilma Sapiens. A sua meta era não pagar o adiantamento; como não alcançou a meta; dobrou a meta. Ufa! Escapamos arranhando este ano - dizemos todos, agora que Dilma tirou o bode da sala.

OAB CASSA DIRCEU
A OAB despertou de um profundo sono quase letárgico e cassou o registro de advogado do corrupto chefe de quadrilha do Mensalão, o condenado Zé Dirceu. A sua defesa não se conforma e diz que vai recorrer. E assim, uma vez mais, Zé Dirceu pratica uma vez mais a sua modalidade de esporte preferida: disparar o recurso da mais ampla defesa.

A ILHA
Desde ontem, quando Michel Temer fingiu que foi tirado da coordenação política de Dilma Vana que o Palácio Jaburu entrou no roteiro das romarias de quem não vive sem bajular o poder. Os romeiros são aqueles que já percebem o quanto o vice-presidente está perto de descartar o vice que existe dentro dele. A saída de Temer das chamadas relações institucionais do governo é sinal de que Dilma é uma ilha enlamaçada sem farol, em tempo de chuvas e trovoadas, cercada de tubarões e dos piores frutos do mar por todos os lados.

O CORTE DESASTRADO

E esse corte de ministérios, o que é isso, minha gente?!? Mais uma vez aparecem três patetas na TV no papel de deformadores da opinião pública e semeiam a tempestade dentro do próprio governo que já vive um tsunami sem precedentes na história desses quase 13 anos de PT no poder.

Os caras soltam a ameaça de cortar 10 ministérios dos 39 existente, sem dizer que ministérios são esses. Alegam que será para melhorar a eficiência, reduzir custos e otimizar a gestão.

Pô, todos os ministérios estão nesse rol de roupa suja: não há um só deles que não seja ineficaz, perdulário e mal gerenciado. Plantaram o medo, a discórdia e a trairagem no seio da República dos Calamares.

Hoje mesmo, a Esplanada dos Ministérios é um festival de calamares assustados. Uns olham para os outros no elevador, com jeito de quem diz "amanhã um de nós já não estará aqui... E eu posso ser você, amanhã". Brasília é a capital do pânico. Desde ontem, o que já não funcionava bem, passou a funcionar muito pior.

De outra parte, os verdadeiros trabalhadores de Brasília já se sentem mais à vontade nos bares, lojas, restaurantes ruas e calçadas: sumiu dos rostos de engravatados e emperiquitadas aquele ar de arrogância com que os deslumbrados do poder pareciam prevenir você nas filas, nos bancos, nos bares com o tradicional e abominável "sabe com quem está falando?".

É o lado bom do mais desastrado corte aqui na Corte.

24 de ago de 2015

BRASIL EM CRISE...
A PAUTA É OUTRA

Agora, com a porta arrombada, os jornais de cabo, dos seus cadernos de economia às páginas policiais; as redes de TV, dos seus noticiários aos interprogramas de finanças; as rádios e revistas só falam que o  Brasil está em crise. Em crise econômica e financeira.

E já querem culpar a China que, há bem pouco veio fechar, com pompa e circunstância, um negócio de bilhões com o governo Dilma, como se fosse salvar a pátria energética e eletrocutora.

A questão já nem é se o Brasil está em crise ou não. A pauta é outra. O que os deformadores oficiais de opinião, da mídia e do governo, têm que noticiar agora é o que é certo de se fazer e o que é que o brasileiro tem que fazer com o país falido, quebrado, roubado e arrombado que esse governo que não rouba e nem deixa roubar está deixando como legado de sua incompetência e irresponsabilidade.

Minha infância atravessou o período de recessão que a Segunda Guerra Mundial nos legou. Naquele tempo aprendi que tinha que "limpar" o prato; não podia sobrar comida diante de ninguém à mesa. Só não aprendi a medir direito, confesso, as quantidades de comida das quais eu me servia. Acho que tinha o olho maior que a barriga.

Era meio egoísta, mas meus pais e meus tios, me moldaram, me ensinaram que naquela época cada vez sobrava mais mês no fim do dinheiro. E mais tarde, me dei conta que a solidariedade está nas coisas simples, como dizia aquele guri exibido fazendo xixi na piscina do clube: "se cada um colabora um pouco, essa piscina nunca vai esvaziar".

Naquele tempo, o padeiro e o leiteiro deixavam suas mercadorias na soleira da porta de sua freguesia. Os operários passavam com suas marmitas rumo a seus empregos e não tocavam naqueles objetos de desejo. Os padeiros eram honestos, os leiteiros eram honestos, os clientes eram honestos pagavam o pão e o leite no fim de cada mês, os trabalhadores que por ali passavam eram honestos, até seus sindicatos eram honestos.

Então, ainda falando sério, o que posso lhes dizer é que aquela geração saiu das dificuldades sem precisar de nenhum milagre brasileiro. Se bem que apareceu um Pai dos Pobres, mas o fim dele foi trágico. Coitado, ele foi honesto e corajoso no seu pior momento de sair da vida para entrar na história.

O que me assusta hoje é que, naquele tempo, as pessoas procuravam emprego e achavam; as pessoas que não tinham dinheiro não trampolinavam, não assaltavam e os que assaltavam não governavam. Acho que foi por isso que o Brasil saiu daquele regime brutal de fome e miséria.

Isso me deixa numa bola dividida: tenho orgulho de ter crescido naquele Brasil antigo e vergonha de viver nesse Brasil da Silva.
FECHA TUDO
Dilma Vana mandou fechar 10 dos seus 39 ministérios. Não se sabe bem qual foi o critério adotado para os cortes. Dizem que estão sendo fechados para balanço. Mas, se é por ineficácia, então manda fechar também os outros 29.
TEMER NÃO É MAIS
O QUE JÁ NÃO ERA

Pronto, Michel Temer deu um jeito de parecer que ele pediu para sair da coordenação política do governo Dilma Vana. Ele, afinal, não é mais o que já não era desde a semana passada. Agora ele só o vice-presidente da República. Tome isso como um sinal de que a saída de Dilma do Palácio está mais próxima que nunca antes na história desse país. Michel Temer, apenas está se aprumando para sentar na cadeira da Dilma, assim que ela tenha um surto de Mulher Sapiens e pegue o seu boné.
MICHEL TEMER, O SEGUNDÃO

Enquanto Michel Temer faz pose e diz que não quer mais ser o coordenador das relações institucionais do governo, Dilma Vana tomou mais uma de suas decisões sapiens e atochou Giles Azevedo, aspone especial da Presidência, para fazer o que Temer finge que não deseja mais fazer.

Giles Azevedo não teve o menor constrangimento e, de cara, na semana passada mesmo reuniu em sua sala palaciana - vejam só como funciona a democracia de gabinete - deputados do PMDB, PP, PT e PC do B dando-lhe as dicas sobre como se comportarem na CPI do BNDES. Giles cobrou emprenho dos parlamentares e até ligou para ministros, líderes governistas e dirigentes partidários.

Quer dizer, Michel Temer vice-presidente de Dilma, segundo homem na hierarquia da República é agora segundão também nas chamadas relações institucionais do governo. Eu só queria saber de onde sai tanta pose para Michel Temer, o pavão misterioso, andar de colarinho engomado e peito inchado.
AH, GOVERNO... NÃO HÁ GOVERNO
Governo. Ah, governo.... Quando um governo se torna a primeira coisa que o povo pensa que tem para recorrer quando têm problema, ah, então há problema. Algo está muito mal e coisas muito ruins passam a acontecer na democracia. É que quando isso acontece, é porque o governo ficou governo demais, forte demais e o povo ficou enfraquecido e dependente. Ah, democracia.. Quando é de gabinete, não há democracia.

O GOVERNO É BONZINHO
Assim que esse governo nasceu e se criou e se tornou tão forte e poderoso quanto sugere a rima de farsante e inoperante, o brasileiro foi enfraquecendo e perdendo a própria identidade. A primeira virtude que o povo perdeu foi a solidariedade.

Assim que esse governo passou a mostrar que gosta de governar demais, as pessoas pararam de fazer bem às outras. Bolas, para que ajudar os outros se o governo faz isso por nós? Pô, o governo é bonzinho, dá esmola, da bolsa, dá remédio, dá consulta, bota a gente nas cotas do colégio e até da faculdade, faz casinha...

Um povo sem solidariedade é um povo de democracia frágil que se rende à tirania, por mais disfarçada que seja. Esse governo é bonzinho, nos tirou o peso da solidariedade das costas e nem doeu nada.

TORÇO POR VOCÊ

Depois de disseminarem a ideologia da propina nesse país, os democratas de gabinete - aqueles que resolvem tudo por você que gosta deles porque são fortes e bonzinhos  - redesenharam o seu caráter. Tornaram-no um cara tão egoísta, quanto dependente.

E, no entanto, você sabe que pode cuidar de si mesmo; que não precisa que o governo trate do seu nariz, da sua vida - mas gosta que o governo faça isso por você; pior, que o governo faça isso com você. Isso é mais do que adoração descabida; isso é submissão.

Você nem se dá conta que são brasileiros como você, já sem o próprio caráter, que fortalecem o governo que, quanto mais governo é, quanto mais poder tem, mais enfraquecido fica o povo.

Quando falta caráter, diminuem as liberdades e aumentam a corrupção, a fraude, o roubo, as diferenças sociais.

Um dia, espero que não demore muito, você vai deixar de se levar pelo governo. Torço por você, embora hoje eu saiba que não posso contar com você. Hoje, ainda não.

QUEROMEU DE VOLTA

Mais uma vez, o governo pratica a democracia de gabinete. O ministro Nelson Barbosa anunciou pertinho do meio-dia desta segunda-feira que o governo "decidiu" cortar dez dos seus 39 ministérios.

Quer dizer, vai cortar dez inutilidades que vinham nos custando os olhos da cara.

A gente precisa saber é como e quando o governo vai ressarcir os brasileiros por todo esse tempo e dinheiro postos fora?

E que ninguém se iluda. Isso tudo aí vai virar secretaria de outros ministérios maiores. Por exemplo: acabam com o Ministério do Esporte e com o da Cultura, aí pronto!... O MEC vira Ministério da Educação, Cultura e Esporte. E a gandaia vai que vai que, acabar com o cartão corporativo do governo, ninguém acaba.
O GOVERNO SE PROTEGE
Ninguém vai querer negar que o governo poque tem de e deve fazer do muito que tem por fazer. O governo é que tem a obrigação de nos proteger, por exemplo, dos ataques e achaques de outros governos. Estão aí as Forças Armadas para fazer isso. Só que não. Nesse governo, não. Esse governo quer é governar demais. Então, pegou as Forças Armadas para ele.

O GOVERNO NOS PROTEGE
Governo é um organismo de defesa da sociedade contra os criminosos que agem no nosso país. Estão aí os policiais, os tribunais - instituições governamentais - para nos proteger. Inda que mal pergunte: você confia na polícia de pacificação, ou gosta mais dos nossos tribunais? Acredita no Supremo Tribunal Federal?... Ah, bom. Então, vai ver que é só por isso que a gente apela para instituições de caridade, particulares e religiosas, para a família, para os amigos...
MAIS UM BOFETÃO

Lula pede para Michel Temer continuar na articulação política. E o pavão misterioso pensa que é pela sua bela cauda de contatos de terceiro grau. Lula quer Temer  a seu lado porque não quer o PMDB contra. Brahma, o rico político das grandes empreitadas, sabe que sem a sociedade com o partido que nunca larga o osso do poder, o PT não ganha eleição nem para presidente do Vasco da Gama.

Em todo caso, essa declaração de promiscuidade explícita serve para mostrar com quem é mesmo que os brasileiros estão metidos.

Se Michel Temer resolver ficar na chamada articulação política, será só mais um bofetão no prestígio de Dilma Vana, a president@ que ninguém quer, ninguém ama. Ela pede, Temer não fica; Lula pede, Temer não vai.

ORA, DIREIS, OUVIR O GOVERNO...

Quando falo em democracia de gabinete, podem ler golpe de gabinete. Lida assim, desse jeito, a expressão quer dizer governo. Então me perdoem o baixo calão. Governo é hoje, uma das expressões mais chulas da língua brasileira; mais que só da língua, é a mais chula da alma brasileira.

Governo é palavrão. É sinônimo de que os donos da democracia de gabinete, estão nos dando o golpe baixo de fazer nome-feio com a gente. E só eles gozam.

Não que a gente esteja se sentindo frustrado porque não goza; a gente se sente mal porque não é com eles que os brasileiros querem ter essas intimidades; com esses poderosos aproveitadores da fragilidade popular os brasileiros se sentem estuprados.

E quanto maior e mais forte for o governo, menor será a possibilidade de resistência das pessoas de bem; maior será a impotência do povo, do cidadão.

O governo brasileiro governa demais e só faz o que não tem e não deve fazer. E o governo aqui é como o cordão dos puxa-sacos cada vez aumenta mais. Se você aí, ainda não se deu conta, tudo nesse país encolhe à medida em que o governo cresce.

As liberdades vão encolhendo, a nossa individualidade vai se desmilinguindo, enquanto as diferenças sociais aumentam e o nosso caráter se desmancha até parecer-se com a índole daqueles que estupram a democracia.

Isso não tem nada a ver com direita, esquerda, centro, partido político, ou com quem quer que seja que se diz, se faz ou que esteja no governo.

Não é nem mesmo pela Dilma Vana, posto que se Lula, ou FHC estivessem no governo, estariam lá agindo da mesma forma como Dilma faz e acontece sem nada fazer acontecer daquilo que ela prometeu quando deu um jeito de ser eleita.

Esse papo é longo. Seria cansativo, como já foi até aqui, tratar desse drama nacional de uma só vez. Por isso mesmo, vou ficar falando de governo - desculpem a expressão - ao longo de minhas edições por aqui. Vou falar de governo - Epa! - devagar e sempre.

Pode ser que assim a gente encontre um jeito de escapar dessa gente, antes de ter que dar ouvidos uma vez mais à ordem de relaxar e gozar que sempre cai tão bem na boca de Marta Suplicy - a musa infiel do PT que agora é do PMDB.

Vou meter o pau nesse tipo de governo e nesses tipos do governo o tempo todo, texto a texto. Fazer com o governo e com eles do governo o que eles fazem com a gente. Quem for brasileiro que me siga.

23 de ago de 2015

REGIME MADURO
A que ponto chegou a Venezuela... A mais nova e rentável modalidade de crime agora é o tráfico de alimentos. Já tem venezuelano trocando cocaína por arroz e feijão.




PENSANDO BEM...
Quem diria?!?... Lá se foi o tempo em que golpe de Estado nesse país era rasgar a Constituição e baixar um AI-5 qualquer. Veio a gloriosa redemocratização que instituiu  o crime organizado dentro do Estado e agora protestar contra a corrupção é golpe que o governo combate com o contragolpe de segurar Dilma Sapiens no Palácio.
O USO DO CINTO
Dilma Vana, em mais um palanque de fim de semana: "Não apertei o cinto na área social". Não mesmo, a gente sabe disso. E nem na gandaia dos gastos do seu governo, nas viagens, diárias, erros crassos de aplicação de verbas, nem sequer na farra dos cartões corporativos. Só isso.

A DÁDIVA DO VOTO
Quando essa pandilha que tomou de assalto a democracia brasileira fala em programas sociais, inclusão e coisas parecidas, está falando mesmo é em voto. O grande plano de poder se baseia nisso: dar ao povo a obrigação de votar. E então, com o Brasil é um país que vota a cada dois anos, o povo tem a sensação permanente de que vive numa democracia.

HISTÓRIA
Descoberto em 1500 por que o navegador português Pedro Álvares Cabral se perdeu quando saiu de Portugal atrás das Índias, desde aqueles bons tempos de missa campal, o Brasil tem 515 risonhas primaveras de história mal contada. Pense  nisso e faça você também a sua história.

AJUDA
Desde que a redemocratização desse país começou, em 1985, pelas mãos de Sarney e foi tocada por Fernandinho Beira-Collor, Itamar Franco, FHC, Lula e Dilma Vana, deu para perceber que ser político nesse país não é crime... Mas sempre ajuda.

VAI SER LEI
Não adianta fazer cara de perseguido, de coitadinho, de pobrezinho, porque isso o PT não é. Até o próprio PT sabe disso. O PT, a gente sabe e ele também, não inventou a corrupção; mas foi ele que a organizou, sistematizou e institucionalizou. E a tal ponto que logo, logo a corrupção aqui será constitucional.

DEMOCRACIA DE GABINETE
O PT, nós e o PT sabemos, criou a democracia de gabinete: meia dúzia de donos do partido se reúne com meia dúzia de autoridades nomeadas pelo PMDB e resolvem, entre quatro paredes, o que é bom pra tosse de 200 milhões de pessoas. E a única justificativa que o povo tem para essa democracia de grupelhos é que o fato de alguém ser autoridade não quer dizer que esse alguém não possa acertar de vez em quando. E assim, há quase 13 anos, esse governo tem a resposta pra tudo na ponta da língua sem que você faça a pergunta.

PRINCÍPIO E FIM
O brasileiro hoje tem razões de sobra para achar que a redemocratização desse país começou com o governo Tancredo Neves e terminou no governo Tancredo Neves. E o pior é que o apelido pegou.