O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

31 de dez de 2008

VERDADE CHINESA


COISA D'OUTRO MUNDO
Hoje é o fim de ano para quem desfolha o calendário romano. Amanhã, cá pra nós, é Ano Novo. Lá na China ninguém está abraçando o patrão, beijando o vizinho do lado, dizendo que vai começar vida nova, estourando champanhe, vestindo cueca amarela, procurando um trevo de quatro folhas, comendo lentilha e carne de bicho que fuça pra frente... Cá pra nós, essa coisa de passagem de ano é pura convenção: estamos convencidos de que essa é a hora, esse é o dia, esse vai ser o melhor de todos os nossos anos. Estamos convencidos até de que, à meia-noite em ponto, acaba 2008 para surgir o 2009. Agora cá pra nós, lá pro calendário chinês, Cristo comemorar 2009 anos de idade não é nada demais; apenas uma coisa d'outro mundo. (Imagem: flickr.com)

DANTESCO

Daniel Dantas é mesmo o Poderoso Chefão da República dos Calamares. A Agência Brasileira de Inteligência despencou de vez. As uvas por lá estão verdes; não prestam. Lula tirou Paulo Lacerda da Abin e o mandou para Portugal. Vai ser o primeiro brasileiro a ocupar um cargo de adido policial. A honraria foi criada há poucos dias, sob roncas & fuças de Genro - o Tarso de Lula na Justiça - a título de licença prêmio.
ENTRELINHAS - Ora, se Lacerda, mais que uma rima é inocente no grampo geral da Operação Satiagraha, não deveria ter ido parar no olho da rua da Abin; se é culpado, não poderia receber o cargo de adido policial nem em Lisboa, nem em Caixaprego. Resumo da ópera bufa: não meta nunca a mão com Daniel Dantas.

30 de dez de 2008

FUNDO SOBERANO

Pois a oposição entrou no Supremo Tribunal Federal com uma ação contra a Medida Provisória do Fundo Soberano. Os oposicionistas não querem que Lula reine sozinho na hora de ver o que pode fazer com, pelo menos, R$ 14 bilhões e 200 milhões desse saco de bondades governamentais. Aí, a senadora barriga-verde, petista-roxa, Ideli Salvati - para quem Deus é rei no céu e Lula é soberano aqui - subiu nas tamancas e mandou a sua sapatada de fim de ano. Para ela, a oposição está é "criando dificuldades, ao invés de concordar e colaborar para fazer com que o Brasil sofra o mínimo possível com a crise internacional". E, sem se dar conta de que - como dizia Lula há bem pouco tempo - "essa crise não é nossa, é do Bush", Ideli se foi pras pitangas: "Não acredito que o Supremo dê guarida aquilo que a oposição quer fazer, mas temos que aguardar". (Foto: J. Freitas/ABr).
RODAPÉ -Botou um temperinho aí no final, mas a idéia é salgar o caldo dos julgadores do STF. O diabo é que juiz que não se esquiva de uma sapatada, se agacha na hora de fazer justiça.

DA INTELIGÊNCIA PARA PORTUGAL...

Lula achou que Paulo Lacerda não serve para a Inteligência brasileira, aí o mandou para Portugal. Com isso deixou claro que ele não dá para adido cultural.


REFORMA DESNECESSÁRIA



Com a reforma ortográfica

veja como é que fica Gisele

sem o trema em Bündchen

Foto: giselebundchen.blogspot

29 de dez de 2008

Douglas Barcellos foi morto misteriosamente em Cascais, Portugal. Sua mulher americana, Michelle Geraldi, disse - numa entrevista ao JB - que a prova para desvendar o enredo está no laptop do ator, com quem estava casada desde 2005. Com o rapaz;não com o computador, pô! Ela garante que Douglas estava de bronca com seu ex-empresário, Enzo Lamblet que queria comer uma atriz amiga do modelo e artista brasileiro, dona Renata Maciel. Douglas botou areia no romance: contou para a garota que Enzo era soropositivo. Michelle não disse para ninguém se estava sabendo com quem o manager tinha contraído o vírus da AIDS. (Foto: flickr.com)

NADA A VER

OLHO DA RUA
Lula exonerou em definitivo Lacerda da diretoria da Agência Brasileira de Inteligência. Ele vai trabalhar agora como adido policial em Portugal.
RODAPÉ - Não, ele não tem nada a ver com a morte daquele ator brasileiro, Douglas Barcellos, no Farol de Santa maria, em Cascais. Pelo menos, por enquanto. Fontes oficiais garantem também que a Operação Satiagraha não vai ser monitorada por Daniel Dantas.

MATÉRIA PRIMA
O governo está tirando o couro dos brasileiros para fabricar bolsa-família.

A SUA...
Manchete da Folha Online: "Lula inaugura parque com o nome de sua mãe"!
ENTRELINHAS - Mãe dele, pô!

DESCANSO
Depois de inauigurar o Parque Dona Lindu, em Recife, Lula vai descansar em Fernando Noronha. Deve ficar por lá, segundo porta-sacos palacianos, até o dia 12 de janeiro.
RODAPÉ - Não agüenta. Parado na ilha vai ver que aquilo lá dá mais trabalho que o Palácio do Planalto.

FAIXA DE GAZA


Isarelenses e palestinos se destróem em sangrentos conflitos na Faixa de Gaza. Isso é hoje. Eles vêm consumindo a vida inteira dessa era cristã tentando se matar. Se o resto do mundo não se metesse, uns já teriam acabado com os outros e os outros já teriam exterminado com os uns. O mundo é muito metido. (Foto: GalizaCig.com)

RESCALDOS DE 2008

DESCARGA - O Brasil é uma grande e perigosa aventura. Está cada vez mais perigoso. Se o seu carro for parecido com o carro dos bandidos que a polícia estiver perseguindo, você está frito. Pode morrer de descarga oficial de balas perdidas.

ANISTIAS - Se o Cony, o Ziraldo, o pai da mãe Joana ficaram ricos com a Lei da Anistia, o que é que você está fazendo aí parado?! Vá reclamar a sua indenização também. Afinal, naquele Fla-Flu de 1972 você foi em cana. E apanhou mais que o Papagaio do Araguaia. Isso, sem contar a tortura de ser Flamengo doente com dedicação integral.

OBRA PRONTA - Neste dia 30, show de inauguração do Parque Dona Lindu, no Recife. A obra, em homenagem à já falecida mãe de Lula, não tem nada a ver com o PAC, cuja mãe se chama Dilma.

REVOADA GERAL - Brasília é a Las Vegas da América Latina. Está em pleno deserto. Não sobrou meia dúzia dos 40 ministros de Lula na Esplanada dos Ministérios. A debandada geral só foi notada pela também pelos cinco ou seis jornalistas que sobraram nessa temporada de revoada geral. Os setoristas da Presidência da República acham que no Natal e no Ano Novo o Brasil político pára e deixa de ser notícia.

PORCINAGEM - Não, os ministros não abandonaram o governo. É impossível deixar de ser aquilo que, na realidade, nunca chegaram a ser.

ARAPUCA - Lula, ao consagrar Dilma como a Mãe do PAC estava, na verdade, colocando-a numa arapuca. Há quem diga até que ele jamais quis ter a ave rara do núcleo duro do governo em seu lugar, lá no Palácio a partir de 1º de janeiro de 2011. Deu-lhe uma missão impossível: um vôo livre sem asas. Hoje, bom tempo depois dos discursos de inauguração das promessas de obras, o PAC realizou apenas 15% das metas que jogou na gaiola armada para a dona da Casa Civil. Lula conseguiu, com a concessão da maternidade obreira, mostrar apenas que Dilma não consegue acalentar sequer o sonho de dar à luz a filharada que o discurso parecia estar parindo. Não conseguiria criar o Brasil que a gente sonha.

28 de dez de 2008

O REMANEJO DE SEMPRE


A ORFAN-DADE DO PAC
Lula remaneja R$ 700 mil para acelerar obras do PAC. O dinheiro vai sair - garante o próprio Lula, já que a mãe não diz nada - de projetos que estão atrasados. (FOTO: BLOG ACERTODECONTAS).
ENTRELINHAS - O PAC está sem pai nem mãe. Usou apenas 15% dos recursos dos discursos. O prometido não foi cumprido. Agora Lula vai priorizar algumas obras de maior visibilidade e, como sempre, a maioria vai ficar apenas na solenidade de lançamento da pedra fundamental.

27 de dez de 2008

DE BRASIL A PIOR...

  • Chuva, Papai Noel, seqüestro, réveillon. Afora isso, bulhufas. Deputados, senadores, ministros e assessores sumiram do mapa. Já não se tem mais nada que nos faça rir.
  • O Lula que foi ver de cima a tragédia de Santa Catarina é o mesmo que não tirou os fundilhos da cadeira para sobrevoar São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. É que agora o réveillon é uma boa idéia.
  • Lula não anda nada bem com o Colega lá de cima. Baixou a Lei Seca e Ele mandou água que não pára mais.
  • A Lei Seca afundou no aguaceiro das estradas de Minas Gerais.
  • Então tá, senhor presidente: eu não atiro sapatos e o senhor não tira as cuecas.
  • Deus me livre dos sapatos de cromo alemão nyuma coletiva. Vou de tamancos.
  • Troco um saco de tomates por um par de sapatos.
  • Apenas 20% dos vôos atrasaram nesete Natal. Quer dizer que um em cada cinco passageiros perdeu a festa este ano.
  • A Anac não perdoou a GOL. Deu-lhe prazo até dia 18 de janeiro para que isso não se repita. É bem como dizia aquele venerando senhor que estava sendo atacado por trás: - Você tem 24 horas para tirar esse troço daí!!!
  • Corporativismo é a chave que abre as portas da impunidade para os desmandos oficiais.
  • No Brasil os organismos de defesa da sociedade estão todos contaminados pelo vírus do abuso de autoridade.
  • Lula mandou e a paulicéia comprou desvairada. Só uma, em cada dez pessoas, pagou na bucha. O resto foi pro gancho: cartão de crédito, cheque voador e crediário. Daqui a tr~es meses, você só tem uma chance de abortar a inadimplência: pagar e não bufar para não perder o emprego.
  • Quem dá aos pobres, dá adeus à castidade.
  • Não há nada pior nem mais caro na democracia brasileira do que esta geração de políticos.
  • Um dos grandes malefícios causados à moralidade nacional é a infiltração de políticos no Poder Judiciário. Juiz que julgha sob pressão, não faz justiça.

DE BRASIL A PIOR...

JEITO DE PENSAR

  • Não duvide: o terceiro sexo já é o primeiro.
  • Ela queria desnudar sua alma no confessionário: tirou tudo do corpo na sacristia.
  • Agora andam perseguindo os bingos. Ninguém mais respeita os idosos.~
  • Era tão insignificante que sua ausência encheu o vazio daquele réveillon.
  • Inútil como o porta-voz de um presidente.
  • A inflação só não é maior porque o governo congelou os valores morais.
  • Tomou um tremendo porre: descobriu que estava apaixonado pela esposa.
  • O skate é o Fórmula-1 dos carrinhos de lomba.
  • Ele se deu mal nesse Natal. Sua cara parecia a de um reserva do Vasco da Gama.
  • Ninguém precisa de diploma para ser burro. Mas não é fácil.
  • Prendam os corruptos, ou sejamos todos iguais!

26 de dez de 2008

BOAS VIAGENS!

Nesse glorioso 2008 que já vem cedendo lugar ao promissor 2009, Lula passou 65 dias fora do Brasil, em 22 viagens por nada menos de 25 países. Lula conseguiu alcançar a média de dois pulinhos ao exterior por mês. No ano passado, se a sua memória vai além da Missa de 7° Dia, ele flanou mais de 500 horas pelo ar, em viagens por aqui e por ali: ficou 132 dias fora do Palácio do Planalto, vendo de perto 29 países, além de ficar conhecendo por dentro 21 dos 26 estados brasileiros e um honroso Distrito Federal.

RETROEXPECTATIVA 2008 - TUDO DEU EM NADA!

Essa retrospectiva é só de coisas mais ou menos políticas. Continua sendo uma retroexpectativa: tudo deu em nada.
(Clique nas palavras sublinhadas. Você chegará à FolhaOnline)
JANEIRO
Vem a furo a farra dos cartões de crédito corporativo do governo. Eles compravam de tudo um pouco e muito mais: material de todos os feitios, prestação de serviços, diárias de servidores em viagens, despesas em lojas de instrumentos musicais, veterinária, óticas, choperias, aluguel de carros, restaurantes, joalherias e em free shop.

FEVEREIRO
A ministra Matilde, da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, foi tratada desigualmente e dançou. Tanto é verdade que, logo depois, o ministro do Esporte comprou tapioca e ficou até mais forte.

MARÇO
Dilma não sabia de nada, não viu nada, não disse nada, mas Erenice Alves Guerra, seu braço-direito, disparou a ordem para montar um dossiê com todos os gastos do ex-presidente FHC, dona Ruth, ministros e tucanos de alta plumagem. Os documentos – segundo rumores de cocheira - seriam usados para intimidar a oposição na CPI dos Cartões Corporativos. Tudo deu em nada.

ABRIL
A reitoria da UnB foi
invadida por cerca de 150 estudantes que exigiam a saída do reitor Timothy Mulholland. Ele foi acusado de usar recursos destinados ao financiamento de projetos de pesquisa e desenvolvimento institucional da UnB para decorar seu apartamento funcional. Cerca de R$ 470 mil foram gastos para mobiliar e decorar o imóvel. Mais que isso, R$ 72 mil foram usados para comprar um automóvel de uso exclusivo do magnífico reitor. Todos os gastos foram custeados pela Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos.

O reitor da
UnB (Universidade de Brasília), Timothy Mulholland, não resiste à pressão e, muito menos, aos argumentos de quem o acusava e decide se afastar do cargo.

Mas, abril teve mais um pouco:
A Polícia Federal prendeu, na Operação Pasárgada, 51 pessoas em Minas Gerais, na Bahia e no Distrito Federal, suspeitas de desvio ilegal de recursos do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), que é repassado pela União. O prejuízo aos cofres públicos é estimado em R$ 200 milhões, em três anos.

Entre os detidos estavam 16 prefeitos (14 de MG, um deles afastado do cargo, e dois da BA), quatro procuradores municipais, nove advogados, um gerente da Caixa Econômica Federal e até um juiz federal de Belo Horizonte, além de mais quatro servidores do Judiciário. Contrariando o que o poeta cantava, nessa Pasárgada, ninguém era amigo do rei.

MAIO
Vitalmiro Bastos de Moura, o Bida, foi
absolvido da acusação de ser o mandante do assassinato, em fevereiro de 2005, da freira norte-americana naturalizada brasileira Dorothy Stang. O Tribunal do Júri de Belém considerou, por cinco votos a dois que ele não era o culpado do crime de homicídio doloso duplamente qualificado. Bida, que estava preso desde março de 2005, saiu livre, leve e solto no mesmo dia do julgamento.

JUNHO

Dona Ruth Cardoso, mulher de FHC, morre em São Paulo. Tinha 77 anos. Foi vitimada por uma arritmia grave decorrente de doença coronariana.

Junho foi um pouquinho além:
A Operação João de Barro, da Polícia Federal, cumpriu mandados de busca e apreensão e de prisão temporária em sete Estados - São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Goiás, Tocantins e no Distrito Federal. A movimentação toda foi contra suspeitos de integrar um esquema de fraude de contratos que desviava recursos públicos de obras realizadas em 119 municípios. Algumas destas obras estavam incluídas no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). A Mãe e o Pai do PAC não sabiam de nada. E nem falaram mais nisso até hoje.

No meio de junho, a Câmara dos Deputados aprovou a recriação da CPMF - que pelos dignos parlamentares ganharia o nome de CSS - Contribuição Social para a Saúde. O fiasco teve 259 votos favoráveis, 159 contrários e duas abstenções. Foram apenas dois votos a mais do que os 257 necessários para aprovar a proposta. Claro, houve muito mais traíra nesse contexto do que o próprio povo esperava. Pegou mal. Depois a coisa desandou e Lula ficou furioso.

JULHO
A Polícia Federal prendeu na Operação
Satiagraha, por corrupção e lavagem de dinheiro, o ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta, o investidor Naji Nahas e o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity, dentre outros de somenos. As investigações foram conseqüência das apurações feitas a partir de documentos relacionados com o caso mensalão e enviados à Procuradoria da República de São Paulo pelo Supremo Tribunal Federal.

Não demorou nadinha e o delegado Protógenes Queiroz teve que deixar a investigação da Operação Satiagraha após uma tensa reunião na Superintendência da Polícia Federal em São Paulo com delegados enviados pela cúpula da direção geral da PF. Ele foi "convidado" pela direção geral da PF a se afastar das investigações por causa de supostos excessos cometidos durante a operação. O Trio Maravilhoso Regina vai bem, obrigado.

Salvatore Cacciola chega ao Brasil após ser extraditado de Mônaco, onde curtia uma prisão maravilhosa desde setembro do ano passado. O ex-dono do Banco Marka estava foragido há oito anos. Ele foi condenado à revelia no Brasil a 13 anos de prisão pela prática de vários crimes. Está doidinho para comemorara a passagem de ano com Genro, o Tarso de Lula.

AGOSTO
O Supremo Tribunal Federal aprova o texto da súmula vinculante que proíbe o
nepotismo no serviço público nos três Poderes. Pelo texto, ficou estabelecida a ampliação do conceito que trata do nepotismo cruzado – golpe usado pelas autoridades que contratam parentes de outras autoridades para driblar a relação direta de parentesco - e que envolve diretamente os parentes. A ordem deveria pegar no pé de familiares de até 3º grau.

A juíza Márcia Helena Nunes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, ordena a prisão do ex-chefe da Polícia Civil do Rio Álvaro Lins. Ela aceitou o pedido do Ministério Público Federal, que requereu a prisão com base nos crimes de formação de quadrilha, corrupção passiva, facilitação de contrabando e lavagem de dinheiro. A Polícia federal chamou o resumo dessa ópera de Operação Segurança Pública S/A. Lins se entregou no dia 19 do mês do desgosto.

No dia 12 ele já sabia que, por um placar apertado, o plenário da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro aprovara o parecer do Conselho de Ética que pedia a cassação do seu mandato do deputado estadual por quebra de decoro.

SETEMBRO
O Brasil viveu mais um primaveril e ufanista setembro. Houve até Parada no dia 7 e tudo mais.

OUTUBRO
As eleições municipais levaram no dia 5, num lamentável teatro cívico, mais de 128 milhões de brasileiros às urnas no primeiro turno para eleger prefeitos e vices dos municípios e mais 52.137 vereadores para as câmaras municipais. Olhai só no que deu.

No dia 26 desse mesmo outubro, mais de 27 milhões de eleitores voltaram às urnas para o segundo turno das eleições em 30 municípios. No município de Benedito Leite (MA), no entanto, os votos dos eleitores foram válidos para o primeiro turno, já que no dia 5 de outubro, cerca de 600 pessoas incendiaram urnas e mantiveram presos o juiz eleitoral da cidade e seu filho.

NOVEMBRO
No dia 17, o Ministério Público Federal em Belo Horizonte denuncia o empresário Marcos Valério e outras 26 pessoas - incluindo diretores e ex-diretores do Banco Rural - por crimes relacionados ao mensalão mineiro. A denúncia trata de um esquema criminoso que colaborou com a campanha à reeleição do senador tucano Eduardo Azeredo ao governo de Minas em 1998.

O plenário do Supremo Tribunal Federal decide abrir ação penal contra cinco investigados no inquérito sobre a venda de sentenças judiciais para beneficiar a máfia dos caça-níqueis e dos bingos: Paulo Medina - ministro afastado do STJ Superior Tribunal de Justiça -, Virgílio Medina (irmão do ministro do STJ), João Sérgio Leal Pereira (procurador regional da República), José Eduardo Carreira Alvim (ex-vice-presidente do Tribunal Regional Federal da 2ª Região) e Ernesto da Luz Pinto Dória (desembargador do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo). Eles agora respondem a processos criminais por participação no esquema da máfia das sentenças. O tal esquema foi desmantelado pela Operação Hurricane, da Polícia Federal.

Em 20 de novembro, por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral aprovou a cassação dos mandatos do governador da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB), e de seu vice José Lacerda Neto (DEM). Os dois eram acusados de utilizar programas sociais para a distribuição irregular de dinheiro, via cheques, em um processo denominado Caso Fac - Fundação de Ação Comunitária. Novidade para um velho caso brasileiro.
Essa é fresquinha, ainda está cheirando a tinta; dessa você se lembra: o juiz Fausto Martin De Sanctis, da 6ª Vara Criminal, condena o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity, a dez anos de prisão por corrupção ativa. Ele é acusado de tentar subornar um delegado da Polícia Federal para ter seu nome excluído das investigações da Operação Satiagraha, da Polícia Federal. Dantas, vai bem; o juiz teve que passar por réu.

DEZEMBRO
Agora mesmo, no dia 9, a Polícia Federal prendeu, na Operação Naufrágio, o presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, desembargador Frederico Pimentel. ER, com ele foram mais seis pessoas, todas suspeitas de participação num suposto esquema de venda e manipulação de sentenças em troca de favores e vantagens pessoais. Foram encanados o filho do presidente do TJ-ES, o juiz Frederico Pimentel Filho, os desembargadores Elpídio José Duque e Josenider Varejão Tavares, a diretora de Distribuição de Processos do TJ-ES, Bárbara Sarcinelli - cunhada de Pimentel Filho -, e os advogados Pedro Celso Pereira e Paulo José Duque - filho do desembargador Elpídio Duque. Mamma Mia que famiglia!

Ao apagar das luzes, eis que vem ao mundo Maria Sofia, filha de Ronaldo Fenômeno. Dizem as boas línguas que a menina é uma fofura: tem a cara da barriga dele.

23 de dez de 2008

A ESPERA
Os governos de Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro mal podiam esperar pela temporada de chuva. É que não há maior nem melhor desculpa para o despreparo de um governo do que uma tragédia anunciada.

QUEM CUIDA DE QUEM
Louvável a preocupação alardeada pelo governo contra os motoristas irresponsáveis e o trânsito desumano. Mas quem fiscaliza os fiscais?!?

O 5°
O Brasil - não finja que não sabe - é o 5° país mais corrupto do mundo.

10 MILHÕES DE VAGAS
Quando Lula assumiu o primeiro dos seus três inexoráveis mandatos, prometeu 10 milhões de empregos. Ainda deve. A propósito, só em novembro, o mercado de trabalho no Brasil ostentou a marca de 40 mil vagas a menos.

COMPRE
Lula insiste, deseja e quer que o brasileiro continue comprando. Só se for com o dinheiro da indenização.

PETRO RED
Um barril de petróleo hoje vale menos que uma garrafa de Johnnie Red. O Pré-Sal já foi uma boa idéia.

NADA E TUDO A VER
Os anos de vacas gordas do governo Lula não tinham nada a ver com a bonança do resto do mundo. Agora, os anos de vacas magras têm tudo a ver com a crise mundial. Como o governo Lula era competente na hora do bem-bom, agora, nas horas más, tem obrigação de mostrar serviço. Isso pode ser uma missão impossível. Não é a praia do partido dos trabalhadores.

INDULTO
Eis que chega, de repente não mais que de repente, mais um surto de indultos de Natal. Mas é só para quem foi bonzinho. Então, não precisa retornar.

PARABÉNS
Saiu a relação dos 10 deputados que mais faltaram às sessões da Câmara este ano. Parabéns. Atrapalharam bem menos que os outros.

ADVERTÊNCIA
Como é que um governo que estampa nos maços de cigarro tragédias humanas causadas pelo vício pode permitir que tal produto seja vendido ao público?!? Nas suas advertências, o Ministério da Saúde deveria alertar: “Fumar dá câncer... E eu também sou responsável”!

ISSO E AQUILO
Foi no governo Zé Sarney que nasceu o Mercosul. Sarney sempre foi contra o ingresso da Venezuela no grupo aqui mais embaixo dos panos imaginários do Equador. Seu voto agora pesa no Senado contra a presença de Hugo Chávez nas areias das nossas praias. Mas, tem uma coisinha: Zé Sarney ainda não bateu um papo de cinco minutinhos com Lula sobre isso... E aquilo.

RECESSO

Deputados e senadores estão de recesso. O que será desse país sem o trabalho deles?!?

SE...
Se Lula não tivesse nascido Lula, teria nascido metalúrgico.

22 de dez de 2008

50 ANOS DEPOIS

CRISE
Lula deixa de lado o ar professoral e assume sua porção pastoral: prega otimismo. E, como emprego é a sua praia mais popular, promete o céu e a terra; sombra e água fresca para os trabalhadores do Brasil. Conta com a bênção dos seus colegas, os deuses.

50 ANOS DEPOIS
Essa alienação pregada no púlpito de sua orada favorita, o Café com o Presidente, faz Lula nos levar ao dourado ano de 1958, do Brasil Campeão do Mundo. Foi assim: na preleção antes do jogo com a Rússia, Vicente Feola – o Dorminhoco, se dirigiu à sua grande arma secreta:
- Garrincha, você pega a bola, domina, dribla o ponteiro esquerdo, engana o centro-médio, passa pelo lateral, pelo zagueiro e cruza pro Vavá. Tá entendido?
- Tá, seu Feola...
- Você vai fazer isso?
- Vou, seu Feola, mas o senhor já combinou tudo direitinho com eles?

A cena de 58 se repete agora, 50 anos depois. Lula diz que vai garantir o emprego pra todo mundo. Só não avisou nada ainda para os patrões.

MERCY BEAUCOUP

Sarkozy e Lula foram cupular no Rio. Depois de ser enrolado na língua de Chávez, Evo, Lugo, agora a coisa mudou: será iludido com sotaque francês. Então fica assim: Lula e Sarkozy estão cupulando para fazer acordos de defesa.
ENTRELINHAS - Em caso de guerra com Hugo Chávez, Lula chama o Sarkozy.

DIGA LÁ
O que você prefere: uma ditadura sem dureza, ou uma ditamole sem moleza?!?

A CASA
Casa do Polvo, a maior casa de tolerância nacional.

NATAL EXTRAORDINÁRIO
Combinado: este ano vamos ter, de novo, o Amigo Secreto. Limite: R$ 1,99.

O LADO RUIM
Os políticos conseguiram, afinal, transformar o voto no lado ruim da democracia. É ele que assenta essa gente nas cadeiras do Congresso.

21 de dez de 2008

MEIA VOLTA

Fidel Castro acha que Sauípe não fez bem para o mano Raúl. Já está pensando até em uma breve temporada fora do hospital. Resta apenas definir agora a marca do abrigo que vai vestir.

A Companhia Vale do Rio Doce já demitiu, depois da idéia de que a crise ainda não chegou ao Brasil, milhares de funcionários. A Fernanda Montenegro, porém, continua firme como sua balzaquiana-propaganda.

A internet é a maior e mais rápida fonte de informação de todo mundo, no mundo todo. Só a nossa própria interpretação, no entanto, faz de cada nota uma notícia.

Cá pra nós, mas o Garibaldi Alves não tem cara de caricatura, não? Então, faça uma dele que eu quero ver.

19 de dez de 2008

LA NOSTRA FONTANA AZURRA

L'OSERVATORE PIANÍSSIMO
Carlos Eduardo Behrensdorf

Roma
Natal, Navona e Befana


Na Itália, tempo de Natal é de tempo de Piazza Navona e da Befana.
Nesta época do ano as cidades italianas promovem suas feiras com barracas de doces, exposições de presépios, objetos de decoração, brinquedos e artesanato. A feira de Piazza Navona em Roma é a mais conhecida.


Diz a lenda que os Reis Magos traziam os presentes para o Menino Jesus e no caminho para Belém pediram hospedagem a uma velha. Eles a convidaram para acompanhá-los no caminho da Estrela e encontrar o Menino-Deus. Ela negou. Depois se arrependeu e procurou os viajantes, mas não mais os encontrou.

Ela é a Befana, a boa bruxa, a velha montada numa vassoura, que na noite entre cinco e seis de janeiro visita as casas distribuindo doces ás crianças comportadas durante o ano e carvão para aqueles nem tão comportados assim.

Na noite do dia cinco de janeiro as crianças penduram uma meia onde a bruxa deixará balas, doces, chocolate e o “carvão”, na realidade, um doce imitando o carvão. Um brinquedo completa a felicidade da criança.

História da Piazza Navona

No início era o Estádio de Domiciano, que Tito Flávio Domiciano, imperador de Roma de 81 a 96, mandou construir para corridas, combates e jogos.


A Praça Navona preserva as formas de um estádio. As cavea antigas podiam receber 30 mil espectadores, que ali se sentavam para assistir aos combates.

Construíram os edifícios ao redor da praça nos terraços ou nos alicerces dessas cavea, palavra que se traduz tanto por celas subterrâneas (onde os animais selvagens eram confinados antes dos combates) ou como lugar (onde os espectadores assistiam aos espetáculos).

A Praça Navona (Piazza Navona) é um dos locais históricos mais visitados do mundo. Tem a origem do seu nome nos agones (jogos) assistido pelos romanos. A língua mudou a forma e surgiu o termo in agones (jogos). Depois, as formas evoluíram por corruptelas: in agone>nagone>navone que em italiano significa grande navio.

De estrutura barroca, a Praça Navona tem três fontes:
A Fonte dos Quatro Rios (Fontana Dei Quattro Fiumi), de Bernini ao centro;
A Fonte do Mouro (Fontana Del Moro) e
A Fonte de Netuno (Fontana Del Nettuno).
No lado ocidental da praça estão a igreja barroca Santa Agnese in Agone, de Borromini e o Palácio Pamphili, sede da embaixada brasileira em Roma.

Ao seu redor, os visitantes encontram cafés, casas de lanches, restaurantes, sorveterias sem falar nos artistas que expõem seus quadros e objetos artesanais. Não há nenhum exagero em dizer que gente de todo o mundo passeia pela Navona.


Um endereço brasileiro

Na Praça Navona o Palácio Pamphili é a sede da Embaixada do Brasil na Itália, abrigando o Consulado Geral do Brasil em Roma e a representação do Brasil junto a FAO. Este conjunto de centros institucionais representa há 46 anos o ponto de referência para a comunidade brasileira residente na Itália.


Afinidade entre Brasil e Itália sempre existiu, sendo fortalecida por meio do trabalho dos setores da Embaixada. Além de ser um lugar destinado ao exercício da diplomacia, suas salas servem de centros de atividades culturais.

O Centro de Estudos Brasileiros (CEB) organiza cursos de língua portuguesa e divulga a cultura do Brasil com a apresentação de concertos, conferências, cursos de dança, espetáculos teatrais, filmes, livros, mesas-redondas, mostras de arte e seminários.

No interior do Palácio encontra-se, desde 1962, a biblioteca “Tullio Ascarelli”, jurista italiano de origem hebraica que durante o regime fascista refugiou-se em São Paulo.
Ao retornar à Itália, doou sua coleção de livros à Universidade de São Paulo onde foi professor. A biblioteca Ascarelli possui cerca de 9.500 volumes, muitos dos quais de autores brasileiros.

Há também para ser visitada a galeria “Cândido Portinari” dedicada ao pintor e ceramista brasileiro de origem italiana, onde se realizam exposições de artistas italianos e brasileiros.

No ano 2000 o trabalho de restauração dos afrescos e estuques do Palácio concentrou-se no interior das salas do andar nobre, além da reestruturação de toda a rede elétrica. A fachada principal foi restaurada depois de um estudo de análise dos rebocos e de pesquisa histórica, que permitiu reencontrar a cor original que caracterizava Palácio Pamphili nos anos 1600.


70 anos 70 Aroma de Ripetta


Resmungando

Busco um mínimo de conforto na preguiça física ou na moral do rebanho, com o crédito disponível de quem pagou o custo das concessões ao tempo com esforço, frustrações, buscas, encontros, decepções, mal-entendidos e até mesmo felicidade.
São milenares e imutáveis as peças do mosaico de sacanagens que compõem a paisagem do campo da sobrevivência. (Roma 2007).

É Natal?

Chegar minutos antes da meia-noite no dia 24 de dezembro à Praça de São Pedro, quando os sinos da basílica e das igrejas vizinhas começam a bater, abala a estrutura mental do pobre vivente que muito cedo aprendeu a rezar o Padre Nosso. A cabeça roda, as lembranças de imagens amigas presentes e ausentes surgem numa tela virtual em frações de segundo.
Acariciei cada uma delas que se foram de novo.


Os sinos tocam mais e mais, um coro manda bala num canto natalino em latim. Levanto a cabeça e respiro. Uma mini-alucinação benéfica é relaxante.
O resultado é bom.
A gente aquece, fala pouco e sai de fininho.
E esquece que é inverno. (Roma 2007).


Repetição

O olhar repetido para a mesma beleza imóvel das esculturas em praças e igrejas dilui o impacto da primeira vez. A familiaridade com as esculturas petrifica o primeiro espanto.
(Roma 2007)

Circo


Surgiram nas estações do metrô cartazes do Circo Liana Orfei. Será que ela é neta ou bisneta do Orlando Orfei, que andava por Pelotas nas décadas de 50 e 60 e visitava o Diário Popular e A Opinião Pública para dar entrevista? Eu ganhava entradas! (Roma 2007).

Da Santa Terrinha

I - Cemitério & Filme

Há enterros com vento, frio e chuva no cemitério do Fragata (1) que parecem cenário de filme italiano em preto e branco do período pós-guerra. Na morte os artistas principais ficam no caixão. Os figurantes encapotados e chorosos desfilam compenetrados e muitas vezes distantes. (Pelotas 2007).

II - Figueira & Padrinho


Ninguém se vai. A Casa Grande (2) hospeda todos. Quatro gerações riem sob a velha figueira. São Manoel (3) é um padrinho forte. É um santo de casa que faz milagre. (Pelotas 2007).

III - Terra & Raiz

Família é terra e raiz. As minhas estão entranhadas as entre pedras, figueiras e eucaliptos do Cerrito Alegre, inverno e verão. Não há primavera por lá, só o outono sobrevive. As folhas dos eucaliptos têm cheiro de infância. (Pelotas, 3º distrito, 2007).

Notas:

(I) Cemitério do Fragata é um dos mais antigos de Pelotas. O nome do cemitério é São Francisco de Paula. Fragata é o nome do bairro onde ele se localiza. Lá está enterrada a maioria dos parentes Fontoura Lopes, Ferreira Lopes, Tubino Ferreira e Castro Lopes.


(2) Casa Grande. Construção estilo colonial que ainda hoje pertence à família da Laura, minha mãe, onde a maioria deles e delas nasceram e todos passaram parte da infância.


(3) São Manoel é o padroeiro das fazendas dos Fontoura Lopes, Ferreira Lopes, Machado, Wiesel, Fournier Luz e Silveira Neto. Uma salada com tempero de passado comum. Em Pelotas me lembro de duas, Caibaté e Invernada.

(4) Cerrito Alegre. 3º Distrito do município de Pelotas, região de pequenos produtores rurais onde se encontram as propriedades da família da Laura. A base da colonização ali é de descendentes de alemães.

IV -
Tempo & Presença

Essa conversa de que o tempo apaga tudo, não cola. A presença dos que gostamos está conosco, sempre, a cada momento. Será que alcancei a idiotice plena para concluir que a eternidade de cada um de nós é passageira como a vida? (Roma 2007).

V –
Rotina

Roma é monumental. Olhar todo o dia pela manhã as mesmas esculturas gigantescas com uma anatomia irretocável e seus bundões e falos pétreos não é uma visão das mais agradáveis. Obra-prima tem hora. (Roma 2007).

VI -
Primário

Na década de 90 pela primeira vez visitei o Vaticano e a Basílica de São Pedro. Sufoquei. Há beleza, permanência, pompa e vaidade materializada na morgue emparedada com os papas lembrados ou não, empoeirados e incrustados nas paredes da basílica pelo trabalho dos artífices.
Ali o mármore tem movimento reproduzido em suas dobras tal qual um lençol que se sacode antes de estendê-lo sobre a cama, um abano lento. O que fizeram aqueles papas pelo rebanho? (Roma 2007).

Mínima

O beija-flor é o helicóptero da natureza. (Roma 2008).

Brasília e Roma

Vocês sabiam que há em Brasília uma réplica em bronze da loba romana amamentando Rômulo e Remo? Pois é, foi doada pela prefeitura de Roma ao governo do Distrito Federal e se encontra diante da sede do Palácio do Buriti, no Eixo Monumental. Não são poucos os maledicentes que afirmam o seguinte: grande parte dos malandros federais que para cá se dirigiram entendeu mal a mensagem do símbolo e continua mamando até hoje apesar da idade avançada. (Brasília 2007)

Vaticano

Em sua fala vaticana no início de 2008 o Papa Bento XVI preocupou-se em estimular os cristãos a trabalhar pelas famílias “porque vale à pena trabalhar pelo ser humano”. Eu lá estava, espremido numa multidão de fiéis de vários países. Quando os abençoou, pelo sim, pelo não, tirei o meu boné... (Vaticano 2008)

Nápoles

Ruas & ruelas
Num início de semana escapei de Roma e me mandei para Nápoles, Pompéia e Sorrento. Nápoles é aquilo mesmo. Chego a pensar que Orestes Barbosa quando escreveu o trecho “... nossas roupas comuns dependuradas, na corda qual bandeiras agitadas...” do nosso muito conhecido Chão de estrelas, se inspirou em Nápoles.
Algumas das ruelas fazem uma verdadeira exposição da calças, calcinhas e calções, camisas, camisinhas e camisões, sem falar em blusas, toalhas, lençóis e não sei mais o quê das mais variadas cores. Os panos napolitanos drapejam com se fossem estandartes medievais.

Trânsito & trapézio
Confesso que nunca vi em capital alguma um trânsito tão amigavelmente barulhento, confuso, aparentemente sem preferencial e, ainda assim, dando vez aos pedestres. Ao atravessar uma rua napolitana em obras no centro penso que sou um trapezista saltando sem rede.

Táxi & lata
A rua era estreita e se chamava Santa Sofia. Eu era passageiro de um táxi que rodava com a velocidade entre oito e dez quilômetros. Tudo bem. Em um determinado trecho, uma velhinha daquelas gorduchas, de cinema, lavava e varria a frente do prédio. O carro passou e, mesmo devagar, virou uma lata d’água. A velhinha deu a maior vassourada no carro.
Grito pra lá, grito pra cá, a mulher continuou lavando e varrendo e o táxi lá se foi aos trancos e barrancos num legítimo beco sem saída. Apesar do contratempo, entre mortos e feridos todos os passageiros chegaram são e salvos a Catedral de San Genaro.

Cabeça & frascos
A cidade mostra como atração a Catedral, que abriga relíquias do mártir San Genaro. Lá estão a cabeça do santo dentro de um busto prateado e os frascos com o sangue que se liquefaz três vezes por ano.
Os fiéis aguardam o primeiro domingo de maio, 19 de setembro e 16 de dezembro. Se o sangue se liquefaz, haverá dias de vinhos e rosas, se nada ocorrer, a barra pode ficar pesadíssima. Foi o que me disseram.

Golfo & montanha
Olhar o golfo de Nápoles é um ótimo colírio. De vez em quando, a imagem do Vesúvio assusta um pouco a quem é marinheiro de primeira viagem. A montanha parece um gigante esclerosado e mal-humorado, que poderá cuspir fogo se ficar irritado.

Pompéia
De início já vou dizendo o seguinte: pesquise ou procure algum amigo viajado e, preferencialmente, um professor de história. A cidade é esplendorosamente bonita.
Tudo está palpitante. Foi um dos primeiros monumentos que vi no qual os turistas ficam basbaques, ouvindo os guias sem chiar. Os japoneses, por alguns momentos, esquecem as máquinas digitais.


Muitos, como eu, estavam muito à vontade de boca aberta.
Pompéia merece, pelo menos, oito ou dez horas de olhares e caminhadas atentas. Depois, leitura, muita leitura. Ainda não foi desta vez que consegui ficar o tempo necessário.


Há detalhes que chamam a atenção e fazem pensar. Por exemplo: uma das ruas tem uma sinalização, marco de um sistema para orientar a passagem de pedestres. E tem mais, prédios públicos, templos, termas, padarias, fornos, moinhos, alojamentos e mansões.

Uma das ruas tem, na esquina, a cantina ou um bar daquela época, com duas portas e uma mesinha onde a moçada boêmia da época, ao que tudo indica, enchia o pote. Na outra esquina, na ponta da outra rua, a casa de encontros, um “rendez-vous” na casa 39.

Os “casais” se encontravam no pré-motel. Os quartos são pequenos – contei quatro – uma sala e banhos. Nas paredes, afrescos eróticos, uma espécie de mini Kama-Sutra. Constatação in loco: nada mudou nos chamados jogos amorosos.

Mais adiante, na Via Stabiana, casa 52, um bordel para os pecadores. Este é mais espaçoso com dez camas em dois andares. Pelo que entendi as casas para homens e mulheres de vida airosa ficavam em ruas secundárias. Sabe como são os vizinhos...


Roma, Itália
Rádio Vaticano transmite há 50 anos programas para o Brasil
Carlos Eduardo Behrensdorf, de Roma.

Há 50 anos a Rádio Vaticano transmite o “Programa Brasileiro”, que foi ao ar pela primeira vez no dia 12 de março de 1958. O primeiro editor foi o Padre Antônio Aquino, SJ, então Reitor do Pontifício Colégio Pio Brasileiro, em Roma. Em sua trajetória a redação teve a colaboração direta de bispos, sacerdotes e leigos.


A atual equipe do Programa Brasileiro é composta pelo padre Cesar Augusto dos Santos SJ (responsável), Carmen Sílvia de Andrade Ferreira, Cristiane Murray, João de Deus da Ponte Lopes, Manoel Roque Tavares, Raimundo Carlos de Lima e Silvonei José Protz.

Entre as propostas do programa está a de levar ao Brasil e aos ouvintes de língua portuguesa as notícias da Igreja no mundo. Ao transmitir as notícias internacionais, a rádio enfatiza os temas relacionados à liberdade e os direitos humanos.

A Rádio Vaticano, em cadeia com emissoras brasileiras – Rádio Aparecida e Rede Católica de Rádio – é ouvida em todo o Brasil. A Rádio Vaticano também oferece uma programação via satélite, Internet e Ondas Curtas.

A programação diária:
Informativo – Duração: 15 minutos. Horário: 12h00 (horário de Roma) - 07h00 (horário de Brasília) - De segunda a sábado - Via satélite Intelsat Canal A2
Na Internet: ao vivo, canal 5
http://www.oecumene.radiovaticana.org/bra/diretta.asp
Edição matutina – Duração: 27 minutos. Horário: 13h00 (horário de Roma) - 08h00 (horário de Brasília) - De segunda a sábado - Via satélite Intelsat Canal A2 - OC 21.850 kHz - OM 1.260 kHz para Roma e arredores
Na Internet: ao vivo, canal 5
http://www.oecumene.radiovaticana.org/bra/diretta.asp
Edição vespertina – Duração: 27 minutos. Horário: 19h00 (horário de Roma) - 14h00 (horário de Brasília) - Cotidiano - Via satélite Intelsat Canal A2 - OM 1.260 kHz para Roma e arredores
Na Internet: ao vivo, canal 5
http://www.oecumene.radiovaticana.org/bra/diretta.asp
Edição noturna – Duração: 27 minutos. Horário: 02h30 (horário de Roma) - 21h30 (horário de Brasília) - Cotidiano - Via satélite Intelsat Canal A2 - OC 7.305 e 9.605 kHz - OM 1.260 kHz para Roma e arredores
"Em Romaria, caminhando no terceiro milênio" – Duração: 29 minutos. Horário: 17h00 (horário de Roma) - 12h00 (horário de Brasília) - Somente às quintas-feiras - Via satélite Intelsat Canal A2 - OM 1.260 kHz para Roma e arredores
Na Internet: ao vivo, canal 5
http://www.oecumene.radiovaticana.org/bra/diretta.asp

Serviços na Internet
O Programa Brasileiro oferece um noticiário semanal das atividades do Papa e da Igreja em Roma e no mundo. O conteúdo é encontrado diariamente, na página brasileira (BR) da Rádio Vaticano. O mesmo noticiário é distribuído pela RIIAL (Rede Informática da Igreja na América Latina), e pode ser solicitado gratuitamente ao Programa Brasileiro ou à RIIAL.


Se reproduzido em outro órgão ou meio de informação, deve ser citada a fonte: Rádio Vaticano. O áudio de seus programas encontra-se on demand, bem como o som "alta qualidade" de seus programas, para retransmissão, com a prévia autorização do Setor de Relações Internacionais da Rádio Vaticano.

Retransmissões: as emissoras radiofônicas interessadas em retransmitir a programação ou solicitar a recepção do sinal em transmissões especiais, por ocasião de celebrações pontifícias, devem enviar um e-mail ou fax à Giacomo Ghisani, Setor de Relações Internacionais da Rádio Vaticano.


relint@vatiradio.va
fax: (0039) 06-6988.3237

Serviços profissionais: para fazer o download (é necessária uma senha) dos files de som em alta qualidade produzido em Real Producer Plus G2 (64 Kbps voice).
http://www.oecumene.radiovaticana.org/bra/professional_eng.asp


Técnica e Equipamentos

O grande centro retransmissor de Santa Maria di Galeria dispõe, para as transmissões em onda curta (OC), de dois transmissores Telefunken de 500 kW; dois transmissores Asea Brown Boveri de 120/500 kW capazes de transmitir a banda lateral única, podendo ser ligados por meio de matriz coaxial a duas antenas móveis com 76 metros e 106 metros de altura, respectivamente, e de 85 metros e 87 metros de diâmetro; de cinco transmissores de 100 kW, de 28 antenas fixas, e de uma antena logarítmica periódica móvel.
Para as ondas médias (OM) há um transmissor Brown Boveri de 600 kW em conexão com uma antena direcional Telefunken, constituída por quatro torres de 94 metros de altura, e distantes 70 metros uma da outra.
Como equipamento de reserva a rádio dispõe de outra antena unidirecional e os velhos transmissores Brown Boveri de 250 kW e de 150 kW.
A emissora opera, também, com dois satélites geoestacionários Intelsat, um sobre o Oceano Atlântico e outro sobre o Oceano Índico, que transmitem o sinal a duas estações terrestres posicionadas na Cidade do Vaticano para 700 rádios locais, que retransmitem programas lingüísticos específicos por meio de suas programações em freqüência modulada (FM).
As ondas curtas (OC) continuam sendo o único meio pelo qual a Rádio Vaticano alcança alguns países, ainda que a qualidade da transmissão seja limitada.

Um pouco da história

No dia 12 de fevereiro de 1931 a Rádio Vaticano transmitia pela primeira vez a voz do papa Pio XI, inaugurando a emissora construída pelo cientista italiano, Guilherme Marconi. E foi Marconi quem anunciou que o papa “... dirigiria, ao mundo, a sua radio-mensagem”. O grande microfone octogonal usado na inauguração hoje é exposto na sede da emissora.
A Rádio Vaticano é uma emissora da Santa Sé, juridicamente reconhecida junto às instâncias internacionais, e instrumento de comunicação e de evangelização. Diariamente a rádio fala aos ouvintes dos cinco continentes por meio de 45 programas em diversas línguas.
A redação dos programas é elaborada por jornalistas vindos de 59 nações. A Rádio Vaticano tem 384 funcionários, 269 homens, e 115 mulheres. Há 34 sacerdotes, nove religiosas, 235 leigos e 106 leigas. Desde o início, a Direção Geral da Rádio Vaticano foi confiada aos Padres Jesuítas. Seu atual diretor-geral é Padre Federico Lombardi, que também é o Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé.
A “Rádio do Papa” tem uma longa história iniciada no século XX: cobriu uma Guerra Mundial, seis Pontificados, o Concílio Vaticano II, a trajetória de João Paulo II e o advento do Pontificado de Bento XVI. O objetivo da Rádio Vaticano é “... ser ponte de diálogo entre a Sé de Pedro e as Igrejas particulares, espalhadas por todos os cantos da Terra”.

Endereços
Programa Brasileiro
Rádio Vaticano - 00120 - Cidade do Vaticano

ou

Programa Brasileiro
Rádio Vaticano
Nunciatura Apostólica no Brasil
Caixa Postal 153
70.359-970 Brasília (DF)
Tel. redação: 0039/06/6988-3895
Fax: 0039/06/6988-4565

RODAPÉ - Caríssimo l'Osservatore, se "o beija-flor é o helicóptero da natureza"... Lula, ao natural e, pela própria natureza, é o prato mais indigesto desse mar de rosas.
COMENTÁRIO - Puxa, fazer 70 anos e ter todos esses insights! Tomara que os meus 70 cheguem logo, quem sabe fico mais inteligente, ou corajoso, e publico um monte de coisas interessantes também. Valeu, amigo. Parabéns. Ass: Nei Machado.
CÂMARA & CASCUDOS
Marcelo Câmara*

Cachaça: sabor da alma brasileira**

No princípio era a cana, o açúcar, o melado, a rapadura e o melaço. E, no alambique, destilou-se o mosto fermentado. E nasceu o vinho de mel de cana, a aguardente da terra, vinho da terra, jeribita da terra. A excelência foi chamada de paraty, um destilado superior e mais caro, feito na cidade do mesmo nome. Finalmente Cachaça, do espanhol cachaza, bagaceira popular na Península Ibérica. Depois, pinga, cana, caninha.
Bebida dos mestiços, negros e índios, dos brancos, dos primeiros brasileiros. Bebida do povo. Farta e barata. Libertária, democrática. “Alimento”, oferenda, estimulante, moeda, mercadoria, meio de escambo, cobiçado butim, produto de exportação – a Cachaça, nos seus engenhos, explora o território, coloniza, conquista, finca a cruz, marca fronteiras, funda vilas, sustenta ciclos econômicos, umedece toda a nossa História, os caminhos e as lutas do Povo Brasileiro.
Transforma-se em símbolo da Independência, da Soberania, da Nacionalidade. Encharca a Cultura Nacional, o sonho, o culto, a mesa, a festa. Inebria a música, o canto, a dança, o drama, o rito. Conspira, celebra, motiva, comemora, cura, consola, embriaga. É tema, motor, elemento, moldura, ornamento.
Perseguida, proibida e contrabandeada, discriminada e incriminada – a Cachaça resistiu a tudo, venceu a todos. Foram 124 anos de proibição legal da produção, comércio e consumo da cachaça: de 1635 a 1759. Paulista, inventada em São Vicente, junto com o Brasil, ela está completando 475 anos de vida. A sua alma é a mesma do Povo Brasileiro: feita de suor, sonho, alegria, mística, sensualidade e beleza. Cruzou regimes políticos e sistemas de governo, driblou a intolerância, o medo e a censura. Ultrapassou os planos econômicos, disputou mercados, ganhou devotos. Impôs-se pura, verdadeira, límpida, transparente, solar, com o seu telúrico e tropical aroma, a sua deliciosa e sensual ardência. “Descer redondo” não quer
Quase tudo que se encontra na mídia, inclusive na Internet, e nas prateleiras das livrarias, sobre Cachaça é errôneo, falso ou fictício. Pululam especialistas de ocasião, bem e mal intencionados, achólogos, “profundos conhecedores” de alguns meses, oportunistas incipientes, construtores de mosaicos com saberes alheios, picaretas, comerciantes, criminosos com vários perfis. A grande maioria, além de não deter cultura ou erudição sobre a matéria, não exibe nenhuma vivência ou convivência no universo sócio-antropológico, poético e econômico da Cachaça.
Vinte e cinco mil produtores fazem 300 milhões de litros de Cachaça artesanal, destilada em alambiques, em bateladas, seguindo um regime e um tempo de produção no ritmo da vida, onde os processos e técnicas são naturais. Uma tecnologia secular, aliada à sensibilidade, à vocação e ao talento, determinam a qualidade, rumo à excelência sensorial. Outras 5 mil empresas, com equipamentos automatizados, fabricam 1 bilhão de litros de Cachaça industrial, em destiladores contínuos, de coluna, milhares de litros por minuto, com controle e intervenção sobre a estrutura físico-químico da bebida, visando à padronização.
Cachaça é a bebida que pinga na ponta do alambique, branca, nova e fresca, no máximo descansada em madeira quase-neutra, Cachaça com cheiro de cana, somente cana, e nada mais, lembrando rapadura e melado. Cachaça é a aguardente de cana-de-açúcar nova, branca e fresca. Cachaça envelhecida não é Cachaça. Cachaça envelhecida é Cachaça envelhecida, uma outra bebida. Ela foi alterada nas suas características organolépticas, sensoriais, pela madeira, que temperou a sua cor, o aroma e o sabor. Mas a sua alma não pode ser violentada, corrompida a sua natureza, estuprada na sua essência, que é de cana, cana e cana, elemento que deve continuar prevalecendo.

A Cachaça reina como nome típico e exclusivo da bebida nacional, única, feita no Brasil, com graduação alcoólica de 38 a 48 por cento e características sensoriais peculiaríssimas. Uma moderna, dinâmica e rigorosa legislação procura garantir a identidade, o caráter e o padrão da Cachaça nos mercados interno e internacional. A produção anual é de 1,3 bilhão, gerando 900 mil empregos e 600 milhões de dólares. 125 mil hectares de lavouras de cana-de-açúcar abastecem milhares de destilarias e engenhos. Exportamos menos de 1%, 12 milhões de litros. São Paulo é o maior produtor, Minas Gerais o maior fabricante artesanal. Paraty, o centro de excelência, que transmite alquimia – ciência e arte – entre gerações há mais de 400 anos, fabricando a melhor Cachaça do mundo. Todos os Estados produzem Cachaça. 6 mil marcas estão num mercado com 900 mil pontos de venda.

Apenas meia dúzia de marcas de Cachaça tem excelência sensorial, qualidade sensorial superior, virtudes sensoriais quanto à cor e transparência, ao aroma, ao sabor e digestibilidade. Ou seja: é incolor, translúcida; exala aroma agradável, sedutor e único de cana (de rapadura, melado); oferece sabor ardente, sensual, prazeroso, delicioso, forte, rústico; apresenta ingestão gostosa, agradável, macia. Cachaça e Cachaça Envelhecida não oferecem buquê, são bebidas monoaromáticas. Buquê é a reunião de várias flores, de vários perfumes. Igualmente, menos de dez marcas de Cachaça Envelhecida possuem excelência sensorial: processo de envelhecimento correto, honesto, em madeira e ambiente apropriados, por tempo legal e recomendado, daí resultando cor compatível, aroma e sabor prevalecentes de cana (de rapadura, melado), com algum e leve tempero da madeira escolhida. Portanto, na Cachaça Envelhecida, não teremos um buquê, mas, no máximo, um ramalhete.
“Descer redondo” ou “descer sem queimar” não significa coisa alguma, não é crivo sensorial. Veneno de rato e formicida também descem redondos. E matam. Também “qualidade química”, estar “de acordo com a lei” não quer dizer coisa alguma em termos de excelência sensorial. É como político ser honesto. Não se trata de uma virtude, mas uma normalidade, uma obrigação. Cachaça não é uma bebida nauseabunda, vomitativa, adversárias dos sentidos, inimiga do estômago e do fígado, para ser apenas “suportável”, “tolerável”. Cachaça é uma forte e deliciosa bebida. Um espírito brasileiro, de caráter e sensualidade.
Com aroma fascinante, sabor rústico, a Cachaça de excelência exibe virtudes insuperáveis. Nenhum destilado do mundo possui a exuberância sensorial da Cachaça. Pura ou como base fundamental e insubstituível na Caipirinha, nas batidas e drinques – a Cachaça é como uma grande paixão: forte, poderosa, absoluta, devastadora. E, ao mesmo tempo, bem-aventurada, santa, benfazeja, necessária, prazerosa.
Genuinamente brasileira, é a segunda bebida mais consumida no País, o primeiro destilado. Cada brasileiro bebe 11 litros de Cachaça por ano. Uma população, na sua imensa maioria pobre, urbana e rural, consome 900 milhões de litros. Quase que exclusivamente pinga ruim, sem nenhuma qualidade sensorial, todas as industriais e quase todas as artesanais. Ou pingas apenas bebíveis, medianas no sabor, que “dão p’ra tomar”. A classe média e as elites, que sempre beberam Cachaça com pudor e eventualmente, começam a descobrir a Cachaça, o que ela tem a ver com a nossa identidade. Mas, geralmente, acompanham a mídia, superficial e apressada, e a propaganda, comercial e enganosa.
Procure conhecer a natureza, a história, a realidade da nossa Cachaça. Busque saber e sabor: se informe sobre os fundamentos e as características de uma Cachaça com excelência sensorial. Só se ama e se deseja o que se conhece. As maiores dissimulações do mercado para enganar os consumidores são embalagens luxuosas e preços altos. A maior mentira é anunciar longos períodos de “envelhecimento”. Nenhuma pinga com excelência sensorial tem embalagem de luxo, custa caro ou tem mais de quatro anos de verdadeiro envelhecimento. Neste último caso, compra-se “pingas de pau”, loções de barba, extratos de madeiras fortes, intensamente odoríferas – tudo menos uma Cachaça Envelhecida, saborosa, suave. Cachaça alterada pela madeira, sim, mas ainda Cachaça. Íntegra, plena. O substantivo “cachaça” apenas modificado pelo adjetivo “envelhecida”.
Neste final de ano, apesar do Lula, pequeno, tonto e chulo e do seu governo corrupto, nulo e auto-reprodutivo; apesar dos políticos promíscuos e pútridos; apesar da justiça brasileira (com letra minúscula); apesar da nossa imprensa quase toda velhaca; do nosso jornalismo quase sempre 4C (covarde, canalha, cínica e calhorda), apesar da televisão pornográfica – restam-nos Deus e a fé, a razão e o sonho, o bem e o bom, a arte e o belo. Brinde o vigor e o sucesso da Cachaça, um dos mais importantes produtos da nossa economia, uma das mais belas e caras expressões da Cultura Brasileira, um símbolo da brasilidade, que, no mundo, representa a nossa alma, o talento, a arte e a alegria da nossa Gente.
Deguste afetuosamente.
É simples como viver e amar.
E só se aprende fazendo.
Saúde!
(*) Cachaçólogo, autor dos livros: Cachaça – Prazer Brasileiro e
Cachaças bebendo e aprendendo – Guia prático de degustação, ambos da Mauad Editora.
Pingófilo e degustador profissional por mais de cinqüenta anos,
criador das normas e critérios sensoriais para degustação de cachaças.
(**) Versão ampliada e atualizada de texto publicado originalmente como abertura da edição nº 100, do Caderno Paladar, Especial sobre Cachaça, do jornal Estado de São Paulo, de 16.8.2007.
RANKING MARCELO CÂMARA
Cachaças
1º lugar – Coqueiro (tipos: Tradicional, Azulada e Prata), de Paraty, RJ 2º lugar – Corisco (Branca), de Paraty, RJ 3º lugar – Samanaú, de Caicó, RN 4º lugar – Aroeirinha, de Porto Firme, MG
Cachaças Envelhecidas
1º lugar – Coqueiro (tipos: Envelhecida e Ouro), de Paraty, RJ 2º lugar – Corisco (Envelhecida), de Paraty, RJ 3º lugar – Velha Aroeira, de Porto Firme, MG 4º lugar – SalvaGerais (tipos: Prata, Ouro e Diamante), de João Pinheiro, MG 5º lugar – Tabaroa, de Bichinho, MG 6º lugar – Biquinha, de Coronel Murta, MG
Receita: Caipirinha
A única e a verdadeira.
O autêntico drinque brasileiro.
Ingredientes
1 limão de casca fina grande ou dois pequenos / açúcar / duas doses de cachaça artesanal de qualidade superior, branca, nova e fresca gelo picado ou em pequenos cubos.

Modo de fazer (dose mínima)
Retire as pontas do limão. Corte o limão em rodelas ou em várias partes, a partir das quatro obtidas com o corte em “x” do limão em pé. Em uma vasilha pequena ou copo grosso, coloque um pouco de cachaça, amasse as rodelas ou os pedaços de limão com um soquete de madeira para extrair o suco e o sumo da casca do limão. Despeje tudo no copo no qual será servida a Caipirinha, complete com cachaça, acrescente açúcar a gosto ou mel ou adoçante e complete com gelo. Decore o copo com uma fatia de limão cravada na sua borda.
Saúde! Viva o Brasil! Viva o Povo Brasileiro!

Receita de Marcelo Câmara que adverte:
– Qualquer outro drinque feito sem qualquer um destes ingredientes, ou não preparado rigorosamente deste modo, não pode ser chamado de CAIPIRINHA. Se for usado outro destilado ou fermentado ou outra fruta qualquer, não é CAIPIRINHA, nem pode ter um nome que se inicie com a raiz “CAIPI”. Portanto, caipirosca, caipirinha de vodca, caipirinha de gim, caipiríssima, caipirinha de rum, caipirinha de tequila, caipirinha de saquê, caipirinha de vinho branco são denominações impróprias, barbaridades, aberrações e constituem agressões à Cultura Brasileira. Seria o mesmo que imaginar uma feijoada sem feijão, uma pizza sem massa, um cuba-libre sem rum, um uísque sauer sem uísque etc.
O decreto nº 4.851, de 2.10.2003 define:
Caipirinha é a bebida típica brasileira, com graduação alcoólica de quinze a trinta e seis por cento em volume, a vinte graus Celsius, obtida exclusivamente com Cachaça, acrescida de limão e açúcar. (Art. 1º, § 4º).

PAPAI DOS POBRES

No Brasil, ninguém mais acredita em Papai Noel. Todo mundo agora quer saber o que vai ganhar de Lula nesse Natal.

DA ILHA
Bastou o Raul Castro vir ao Brasil e tá todo mundo ilhado: Santa Catarina, Minas Gerais, São Paulo, Rio...

AJUDA
O Senado aprovou mais 7.343 vereadores. Eles chegam para ajudar os outros a não fazer nada.

GARIBALDI
O sorridente presidente do Senado, Garibaldi Alves, não se conforma que a Câmara tenha barrado a volta dos quase oito mil vereadores que eles acabam de recriar. Já entrou com ação no Supremo para que esse desaforo não seja consumado.

EU JÁ SABIA
Faz tempo que as eleições terminaram. Todo mundo já estava estranhando que a dengue não voltava. Pronto, está aí de volta aquela que nunca foi.

VISÃO TURVA
Uma perita trabalhista morreu baleada nesta quinta-feira numa ótica em Santo Amaro, zona sul de São Paulo. Ela investigava uma denúncia contra o estabelecimento. Para a polícia, o maior suspeito até agora é o próprio dono da ótica. O que mais depõe contra a casa de óculos é que, por lá, ninguém viu nada.

SURREALISMO
Walter Britto, o deputado infiel, foi cassado. Perdeu o mandato porque trocou de partido fora de hora. Ali Babá e os 40 mensaleiros continuam numa boa.

MIXARIA
Casa do Polvo aprovou Orçamento com corte de R$ 10 bilhões. Que diferençazinha, né mesmo?!? O que será que eles estavam querendo fazer com essa mixaria?!?

NADA DE NOVO
Folha de São Paulo, ontem: “Lula não vê motivos para demissões nas empresas”. Nada de novo no front: ele não vê nem a crise.

AUMENTO ABUSIVO
Casa do Polvo aprovou aumento de 6,22% para aposentados. Será que não vai fazer falta para os desfalques e os rombos na Previdência Social?!?PAPAI DOS POBRES
No Brasil, ninguém mais acredita em Papai Noel. Todo mundo agora quer saber o que é que Lula vai trazer nesse Natal.

18 de dez de 2008

CASA DO POLVO

Aprovada PEC que aumenta o número de vereadores, mas sem acréscimo de despesas. (Foto: Moreira Mariz / Manchete: Agência Senado).
RODAPÉ - Então, agora, contem uma de índio.

PESQUISA NA MÍDIA

Quando será feita uma pesquisa de opinião para saber os índices de aprovação dos jornalistas brasileiros ao presidente Lula e quantos ainda não são petistas?!? No que diz respeito ao número de aloprados, não há qualquer necessidade de consulta. Pode ser que assim, até que enfim, algum instituto de pesquisa de opinião, bata na porta lá de casa...

SAPATADA, BOCA-RICA, BRINCADEIRA & GEOGRAFIA

VESTUÁRIO
Então, na Costa do Sauípe, terra de baiano com sotaque americano, na mesma posição de Bush diante de uma platéia de jornalistas, Lula soltou sua piada politicamente incorreta:

- Por favor, ninguém tire o sapato...
Mais uma vez disse o que quis e não ouviu o que devia:
- Por favor, presidente, não tire a cueca!

MAIS SAPATADA
Aí, então, em plena crise mundial, o Congresso Nacional distribui sapatada à vontade nos brasileiros: acaba de aprovar, em sessão noturna e ligeira, a volta de 7.343 vereadores daqueles oito mil que tinha mandado para o espaço há bem poucas eleições atrás. O diabo é que ninguém notou, nem vai notar qualquer diferença.

BOCA-RICA
Garibaldi Alves gostou e agora quer mais: vai ser o candidato do PMDB à presidência do Senado. A barriga-verde, PT roxa, Ideli Salvati está uma arara: é uma boca-rica que os aloprados perdem.

MAIS PRA MENOS
Os senadores aprovaram a criação de mais 57 municípios. Vêm aí, mais prefeitos, mais vereadores, mais secretários, mais assessores de polouquice nenhuma, mais atraso, mais dinheiro posto fora.

IÔIÔ
Em contrapartida, o Supremo está na iminência de extinguir 57 cidades em 10 estados. Parece até campeonato de cabo-de-guerra.

ANALFAS
Câmara aprova ingresso da Venezuela no Mercosul. Esses sujeitos não têm sequer noção do que é o mapa da América Latina. Como é que o professor de geografia vai explicar isso para os nossos filhos?!?

17 de dez de 2008

SAPATADA

E o AeroLula? A gente já pagou e nem sentiu a sapatada. Já tá na hora de trocar, né mesmo?!?
RODAPÉ - De avião, por supuesto!
ENTRELINHAS - É por essas e outras que a gente tem que fazer que ele está mandando: "comprar que a hora é agora". Depois do Natal "extraordinário", se o dinheiro não der, nóis pára de gastar. Perde o crédito, o emprego e vai ser fomizerado ou bolsa-familiarizado.

A FUNDAÇÃO E O GATILHO

LORDE, MR. SIR, DON...
E deu-se ontem, o jantar em que se comemorou os 70 anos da nobre era Carlos Eduardo Behrensdorf, jornalista de vôos livres pelo país inteiro e pedaços do mundo - que também atende pelo codinome de Lorde Heron.


Seu surgimento se deu, no Brasil, em 16 de dezembro do longínquo ano de 1938 – um tiquinho antes de Segunda Grande Guerra. Mas, há controvérsias. Alguns autores contam que tudo teria começado em 1928, início de uma década tida por muitos como um tanto obscura para o brilho do nobre aniversariante, de raízes franco-tedescas e ramagem principesca sulina.

O digno, amplo restaurante Carpe Diem, de proposital e requintada displicência, ficou pequeno para tantos amigos e abraços. Mr. Behrê - alcunha pela qual também se deixa conhecer - não permite a ninguém meter a mão no bolso. É o gatilho mais rápido que os lépidos garçons de Brasília já viram nos últimos 30 anos.

Todos reviram amigos e influenciaram pessoas na hora de exercitarem a arte da escolha diante do farto e incomensurável cardápio. Sir Garça - outro apodo que carrega - cantando Happy Birthday foi uma graça. Circunstantes notaram que o italiano perfeito que o seu talento descobriu nessa temporada romana agora já está atrapalhando o espanhol de Don Carlos Eduardo.

Um dia ainda empatarei com os 70 anos desse bom e velho - no melhor sentido dessa última provocação - amigo de infância, de juventude e desses tempos em que caimos de maduros. Por enquanto ainda me mantenho numa data bem mais saudável e prazerosa. Sou um longo e sensualíssimo ano mais novo que o meu caro L'Osservatore Pianíssimo aqui do Sanatório.

16 de dez de 2008

DE CINEMA...

E então, a coletiva virou filme de pastelão. O jornalista iraquiano levou para Bagdá o dramalhão mexicano "Viva Zapata". Nenhum papel seria mais adequado do que este para o fim das filmagens de um grande canastrão.
O PROTESTO DA MODA
Se o Zé Dirceu resolve aparecer de novo lá pela Casa do Polvo, agora aquele cara da bengala vai lhe dar uma sapatada!
CHUTEIRAS
Ronaldo Fenômeno, depois de cumprir o contrato de garoto-propaganda do Corinthians, não vai mais pendurar as chuteiras: vai atirá-las no presidente do Flamengo.
ADUANA
George Bush, ao deixar Bagdá - a Pérola do Islã, teve sua bagagem revistada. O par de sapatos que os aduaneiros encontraram era mesmo do tamanho dos seus pés.

PEDRA FUNDAMENTAL AZURRA

Hoje, neste extraordinário 16 de dezembro, o jornalista Carlos Eduardo Behrensdorf comemora 70 anos de fundação. A festa é para 70 convidados, no Carpe Diem. Ele e sua Lourdes vêm de Roma para uma boa temporada no Brasil. Antes do fim de ano, passam uns três ou quatro dias em Pelotas - terra natal, por opção & vocação, dessa verdadeira entidade do Sanatório da Notícia. Eles viajam logo depois para o Rio de Janeiro - que continua lindo. Em meados de janeiro retornam a Brasília, onde ficarão até fevereiro. Aí, sim, voltam para a Itália, ao aconchego da vechia Roma, às cercanias da Fontana Di Trevi. É de lá que chegam aqui as crônicas bissextas do vetusto e apreciado L'Osservatore Pianíssimo.

GARIBALDI QUER REPETIR PRESIDÊNCIA


O presidente do Senado, Garibaldi Alves, comunica oficialmente ao PMDB, nesta quarta-feira (17), que é candidato a continuar presidindo a instituição até 2011. Numa entrevista por telefone à Agência Senado, ele disse, na segunda-feira, que ainda não comunicou ao presidente da República seu propósito.

- Não comuniquei nada ainda ao presidente Lula. Agora não é hora, porque estou pleiteando ainda a candidatura dentro do PMDB. Depois que o partido me homologar como candidato, aí sim, farei as comunicações devidas. Por ora, me considero um pré-candidato. O líder Valdir Raupp [PMDB-RO] é quem convoca essa reunião [de bancada] e, pelo que sei, será quarta-feira. A reunião será na liderança [do PMDB] e, só então, submeterei minha candidatura aos colegas.

Sobre o parecer que o jurista Francisco Rezek elabora como sustentação à possibilidade de sua candidatura, Garibaldi disse não ter certeza de que o documento esteja pronto até amanhã. Nesse parecer, Rezek deverá defender o entendimento de que o mandato de presidente do Senado, que se encerra a 1º de fevereiro de 2009, foi o que elegeu, dois anos atrás, Renan Calheiros. Portanto, Garibaldi, que não foi candidato na sucessão anterior, está livre para disputar a Presidência da Casa para as próximas duas sessões legislativas (fevereiro de 2009 a fevereiro de 2011).

Indagado se recebeu manifestações contrárias à sua candidatura, Garibaldi disse que apenas ouviu falar que a líder do PT, Ideli Salvatti (SC), estaria disposta a impugná-la. De acordo com o presidente do Senado, essa impugnação só pode ocorrer depois da eleição, visto que a presidência do Senado é um assunto interna corporis.

- Não há rito processual para que se leve um assunto desses à Justiça. Mas também não sei o que eles pretendem fazer. O que o PT fizer, estou pronto para oferecer meus esclarecimentos - acrescentou ele.

Perguntado se comunicou sua candidatura a Tião Viana (PT-AC), o candidato do PT que, até agora, era o único nome lançado na corrida sucessória, Garibaldi explicou que, sendo de outro partido, não lhe caberia também fazer essa comunicação ao parlamentar petista.
(O texto atualizado para edição pelo Sanatório é de Teresa Cardoso / Agência Senado. A foto é de jane de Araujo).
ENTRELINHAS - Por que, um candidato a candidato à presidência do Senado tem que comunicar sua pretensão ao chefe de um outro poder?!?

COISAS & LOISAS


NUNCANESSEPAÍS

Lula, não demora nada, vai chegar aos 99,999% de aprovação popular. Nuncanessepaís, porém, chegará aos 100%. Ainda que eu jamais tenha sido ou venha a ser entrevistado, posso garantir e dar como líquido e certo, sem margem de erro, esse único por cento.

ENTRELINHAS - Entrevista com o Datena não vale. Lula pode chamá-lo de Faustão.

ESPELHO MEU
Ibope e Sensus mostram aprovação recorde a Lula. A aprovação pessoal a Lula chegou a 83,5%... E vai subir mais ainda. Só a oposição não vê que se trata de puro reflexo. Não há imagem no Brasil – nem no mundo – que apareça mais em rádio, televisão e jornal do que a de Lula. O tempo todo, o dia todo, o ano todo, o governo inteiro. Até quando ele não fala, os que falam, falam nele.

MONA LISA
Para o número de suas aparições, Lula praticamente não dá entrevista. Se ele chegou a dar alguma neste glorioso 2008, não passou de descuido. São raras e sempre muito oportunas. Afora aquela troca de idéias com um porta-saco da assessoria de imprensa do Palácio, sempre às segundas-feiras, quando o presidente toma café com ele mesmo, o que sobra é tudo declaração e comunicado oficial: Lula diz o que quer, como quer, quando quer, para quem quer, aonde quer, porque quer e nada responde, porque nada lhe é perguntado. Lula é um artista. E já que o é, vale a analogia: um quadro qualquer de um desses pintores mambembes que tivesse na mídia um único e extraordinário décimo da exposição de Lula, seria mais conhecido que o sorriso de La Gioconda, de Leonardo da Vinci – que, para efeitos de pesquisa popular, atende pelo apelido de Mona Lisa. O quadro, não o Leonardo.

15 de dez de 2008

A SORTE DE BUSH

  • Se aquele franco-atirador de sapatos, ao invés de ser iraquiano, fosse um gaúcho, George Bush estaria até agora no hospital: teria levado na cara um cano de bota com espora e tudo.
  • Bush tem mesmo muita sorte. Se fosse a Ângela Rorô, ela não erraria o alvo.
  • Ninguém sabe muito bem porque, mas Nelson Jobim acaba de convidar Genro - o Tarso de Lula, para uma coletiva no Iraque.
  • Se, ao invés de sapato, fosse um copo de caipirinha, quem seria o alvo?!?
  • Meio mundo ficou com raiva do repórter iraquiano: usou sapato em vez de bomba.
  • cartaz na entrada do Congresso Nacional: "Abaixo o tomate. Queremos sapato!".
  • Se é pelo que aconteceu naquela coletiva lá no Iraque, então o plenário da Casa do Polvo seria uma sapataria.