O medo

TENHA MEDO DO QUE O GOVERNO PODE FAZER COM VOCÊ. NO BRASIL GOVERNAR É SATISFAZER NECESSIDADES FISIOLÓGICAS.

31 de out de 2008

A CHINA SOB AS LENTES DE MIKE RONCHI

Nos Jogos Paraolímpicos de Pequim, na prova de corrida em cadeira de rodas, a melhor lei de trânsito é a lei da gravidade.

Jornal Diário de Minas: "Lacerda diz que Serra lidera movimento de 'Centro-Direita'." ENTRELINHAS - E onde é que o PT vai se meter?!?

Jornal A Folha: "Polícia prende 15 por irregularidades em franquia de Correios". ENTRELINHAS - Os outros todos são mais despachados.

The Daily Telegraph: "Pub é acusado de servir sorvete com fezes após reclamação na Austrália". RODAPÉ - Após reclamação... Comeram depois! Gente bem estranha esses australianos, não?!?

É bem possível que domingo, em Interlagos, Massa chegue à frente de Hamilton. Mas, com certeza, chegará dois segundos depois de Galvão Bueno.
Em Havana, Lula - com Tapioca, Oleoduto e Lobão às costas - junta-se a Raúl El Hermano Castro. As vestes brancas, quase hospitalares, estavam apropriadas à visita que fizeram ao mano y compañero Fidel. O presidente brasileiro foi, de novo, a Cuba falar de energia. É comovente o esforço de Lula para eternizar seu ídolo. (Foto: Reuters)
O Brasil será o 7º maior consumidor de energia do mundo em 2030. Até lá, devem restar apenas uns seis ou sete países em cima do planeta Terra.
DOSE GENÉRICA
Moisés Pereira


MARADONA É DOSE OU OVER DOSE ?

A experiência de transformar ídolos do futebol em treinadores não é original, pelo contrário é cada vez mais comum. No contexto mundial Beckembauer - o Kaiser é o exemplo melhor sucedido, inclusive, por tratar-se de figura notável que extrapolou do cargo de técnico para ser o grande presidente do Comitê organizador da última Copa do Mundo na Alemanha.

Nós tivemos nossa tentativa com o Falcão e não dá para considerar que tenha sido muito bem sucedida embora a memória gaúcha tenha esquecido. A verdade é que poucos são os vencedores dirigindo a seleção onde mais conta o jogo político que a capacidade dos técnicos para formatar uma seleção convincente com tantos pseudo cracks milionários mais preocupados com contratos de imagem do que com o orgulho de vestir a amarelinha.

Enquanto temos o Dunga guardando lugar para o eleito da véspera da Copa, a Argentina cria a grande notícia. Maradona é o novo treinador . Dunga nunca foi ídolo, ao contrário sempre foi contestado, embora tenha perfil de boa liderança, cidadão correto, trabalhador. . . ótimo genro, quem sabe. Como treinador não disse a que veio, fez um laboratório inóquo e gosta de jogadores medíocres ao seu estilo.

O que esperar de Maradona? Confesso que admiro muito o futebol argentino e tenho testemunhado a idolatria de los hermanos por este ídolo que acreditam na heresia de que seja maior que Pelé.

Ao contrário de Dunga, jogava demais, complicava demais e se destruiu demais. Assim como transcendeu em técnica dentro do campo, desafiou o destino da forma mais irresponsável e "milonguera" imaginável. Neste seu caminho ciclotímico o que esperar de Maradona a frente da seleção argentina?

Uma grande jogada de marketing, do ponto de vista promocional. Uma temeridade, do ponto de vista racional. Mas como o imponderável é fator também presente no futebol, torcemos que o Dieguito consiga passar aos boleiros platinos um pouquinho de sua fantasia que encantou o mundo. (Moisés Pereira - Porto Alegre).

RODAPÉ - Os adeptos da Igreja de Maradona estão com síndrome do pânico. Acham que agora, como técnico da Seleção Argentina, don Diego vai decretar o fim da sua idolatria. Ninguém é tão milagroso a tal ponto que possa fazer aquele time jogar bola.

NOVIDADE - Deus é brasileiro. E pensa que mora em Brasília.

FEEDBACK - "Olá, Sérgio. O Sanatório está uma coisa de louco, comparável às quadrinhas* da saudosa PRH-4, aguardadas com expectativa pelos torcedores pelotenses. Foi bom ler de novo o Moisés. Bom também que o José Cruz esteja voltando, agora ainda mais turbinado. Aqui no Jornal Regional da Pelotense**costumo recomendar a leitura do teu blog e coluna no Diário da Manhã". Um abraço, Jandir Barreto***.

* - Quadrinhas: comentários esportivos em versos de pé-quebrado que, há mais de mil anos, eu fazia na PRH-4 Rádio Cultura de Pelotas/RS.

** - Jornal Regional da Pelotense - Programaço de notícias; puro jornalismo, apresentado por Jandir Barreto na Rádio Pelotense.

*** - Jandir Barreto - Jornalista, professor de português, amigo - daqueles que vêem com bons olhos tudo que a gente faz. Mas isso não quer dizer nada: de quando em vez, ele bota óculos escuros. Tem a voz mais bonita da notícia gaúcha.

30 de out de 2008

DOSE GENÉRICA
Moisés Pereira
Treino secreto não esconde defeitos

Além de torcedor, me coloco como observador desta reta final do campeonato brasileiro. É sabido que tenho lado. E o meu lado é azul. E é incrível que continue na liderança jogando tão pouco como vem acontecendo.
Ontem o Cruzeiro venceu sem deixar dúvidas e provou estar com bala na agulha para a chegada. Quero abordar um aspecto muito discutido em Porto Alegre em relação aos treinamentos secretos, ou melhor fechados que os treinadores adotaram para preparar suas equipes e surpreender os adversários.
Foi noticiado agora que uma empresa no centro do país filmou as principais jogadas dos times de ponta e comercializa as edições para os adversários analizá-los.
Já ouvi que o Grêmio caiu de rendimento porque os adversários estudaram fórmulas para vencê-lo. Não concordo, entendo que o time é limitado e está há quase 20 rodadas na liderança em função de um bom rendimento coletivo. Como o Grêmio perdeu de três e o Inter cedeu o empate para o quase rebaixado Náutico a nossa mídia elegeu os treinos fechados como vilões para explicar em parte os fracassos.
Penso que não é por aí. Entendo que as vitórias são construidas dentro das quatro linhas pela qualidade e organização das equipes. O Cruzeiro, que também fechou o treino, surpreendeu com um gol aos 15 segundos depois de uma combinação perfeita de Wagner e Guilherme e aí decidiu o jogo.
Sem ser simplista, este fato mudou o jogo, desestabilizou o Grêmio e deu confiança ao Cruzeiro para impor o seu futebol. Ficar procurando explicações outras é uma prática comum que visa a criar fatos novos fugindo da essência da discussão e alimentar polêmicas que rendam alguns minutos ou laudas na mídia tão pródiga em espaços para divulgar o futebol... (Moisés Pereira - Porto Alegre).

29 de out de 2008

A CHINA SOB AS LENTES DE MIKE RONCHI
É um homem? É um peixe? É um submarino paraolímpico?... É o super-homem André Brasil se transformando em espuma, se fazendo uma espécie de mancha mágica, se misturando à piscina como se fosse apenas a marca dágua de um vitorioso imbatível. Uma perfeita simbiose do ser humano com os elementos de uma natureza vencedora. As lentes de Mike Ronchi viram isso de perto, lá na China.
A CHINA SOB AS LENTES DE MIKE RONCHI

Quatro x 100, quatro braços, quatro pernas de pura fibra, nervos de aço: prata para o Brasil.

Maradona é o novo técnico da Argentina.
Ele fez tudo o que podia fazer para chegar ao cargo quando descobriu que a seleção é uma droga.

Maradona está bem do meio de campo para a frente: Riquelme, Aguilera, Messi, Teves...
Vai reforçar a zaga naturalizando Rebeca Gusmão.


O PRÓXIMO
Que crise, quê nada! Agora, o próximo aumento é só no preço dos remédios.

NATAL EXTRAORDINÁRIO
Nesta grande antevéspera de Natal, a turma que acredita que o governo Lula é o Papai Noel já não cogita sequer de procurar presente no camelódromo.

AS FUGAS
O bandido, chefe-de-milícia, Ricardo Batman fugiu do presídio de segurança máxima Bangu-8 pela porta da frente. É a edição carioca das Fugas de Bach. Qualquer dia teremos as Sinfonias de Betthoven.

28 de out de 2008

A CHINA SOB AS LENTES DE MIKE RONCHI
E lá vamos nós rumo à cesta. Para a atleta brasileira, o resto é pano de fundo.
Basquete em cadeira de rodas - O esporte começou a ser praticado nos Estados Unidos, em 1945. Seu início foi a partir de experiências terápicas com os soldados mutilados na 2ª Guerra Mundial. Foi trazido para o Brasil em 1958, por Sérgio del Grande que foi tratar-se de uma lesão medular em Stocke Mandeville, na Inglaterra. A paerticipação paraolímpica da seleção feminina brasileira se deu, pela primeira vez, nos Jogos de Atlanta em 1996. No Parapan do Rio de Janeiro, em 2007, o Brasil conseguiu o 4º lugar no feminino e o 3º no masculino. O basquete em cadeira de rodas é praticado por atletas de ambos os sexos que tenham alguma deficiência físico-motora. As regras são as adaptadas da Federação Internacional de Basquete em Cadeira de Rodas (IWBF). A cada dois toques na cadeira, o jogador deve quicar, passar ou arremessar a bola. As dimensões da quadra e a altura da tabela da cesta são idênticas às do basquete olímpico.
Guido Mantega: "Crise terá forte impacto na economia real do mundo".
ENTRELINHAS - O governo Lula está tranqüilo: para ele o Brasil vive no mundo da Lua.
RODAPÉ - Estou calmo e sereno, pois até que enfim entendi porque meu pai sempre dizia: - O Brasil é um país do outro mundo!

L'OSSERVATORE PIANÍSSIMO
Carlos Eduardo Behrensdorf

PAU PURO
Por aqui, como nem sempre mataremos a cobra, eventualmente mostraremos o pau.

Há mais de um ano em Roma começo, finalmente, a ver uma cidade com seus problemas que a tornam humana, apesar da sua condição de Cidade Eterna, Cidade-Monumento, Capital Histórica de uma região que virou o país-fonte das luzes e cores do Renascimento que afugentou a escuridão da Idade Média.

Como sou brasileiro me sinto à vontade para falar sobre o que ocorre com os brasileiros que para cá vieram, em busca de uma vida melhor ou de um sonho que não existe. Procuro entender por que jovens – meninos e meninas – ou até mesmo adultos, se mandam pra cá para sobreviver, a maioria, em subempregos sob uma discriminação diária nas ruas, trabalho (quando conseguem), transportes e as chamadas repartições públicas.


Até o fim do ano usarei as janelas deste Sanatório para mostrar um quadro geral da situação de brasileiros e brasileiras que por aqui se seguram.

Há registros na imprensa em português que circula por aqui de fatos como o que se segue: uma funcionária de uma repartição pública que cuida de imigração abriu o berro um dia desses, reclamando dos brasileiros e argentinos que invadem o país. Loucura.

Em Milão, um empresário que diz adorar o Brasil e sua cultura bateu forte e lamenta que 90% dos brasileiros na Itália são prostitutas e travestis. Eta ferro... (Carlos Eduardo Behrensdorf, de Roma, outubro de 2008).



Estante de livros

Título: Liberdade de Imprensa
Autor: Karl Marx
Tradução: Cláudia Schilling e José Fonseca
Apresentação: José Onofre
Editora: L&PM – Coleção Pocket (texto integral).


A proposta do livro é alcançada ao mostrar o jornalista Karl Marx. Aliás, o autor do século XIX passou aos séculos XX e XXI colecionando adeptos e inimigos, estudos e insultos. Com ele é na base do “Ame-o ou Deixe-o”.

Neste Sanatório sem paredes onde freqüento o pavilhão geriátrico, recomendo: “Leia-o”... Só para adoçar o seu bico resolvi enxertar três períodos mesmo sabendo que a direção-geral não gosta de aspas! Vamos lá. (Carlos Eduardo Behrensdorf, de Roma, outubro, 2008)

  • “Uma imprensa censurada é ruim mesmo se produz bons produtos, pois estes produtos só são bons na medida em que eles exibem uma imprensa livre dentro da censurada, e na medida em que não está em seu caráter serem produtos de uma imprensa censurada. Uma imprensa livre é boa mesmo quando produz frutos ruins, pois estes produtos são apóstatas da natureza de uma imprensa livre.”
  • “Se a lei da censura quer prevenir a liberdade por ser algo desagradável, consegue o contrário”.
  • “A censura transforma todos os escritos proibidos, bons ou ruins, em artigos extraordinários, enquanto a liberdade de imprensa priva todos os artigos de uma importância especial”.

RODAPÉ - Quanto às aspas, a direção-geral não só não gosta, como nunca usou. Já o Sanatório da Notícia não pode dizer o mesmo.

27 de out de 2008

BANDA SEM RESSONÂNCIA
Chico Buarque foi a Porto Alegre para apoiar Maria do Rosário. Deu Zé Fogaça. Chico apenas repetiu o que fez em 1982 quando ouviu alguém lhe chamar e passou à-toa na vida pela Rua da Praia com a banda de Pedro Simon. Deu Jair Soares.
ENTRELINHAS - Chico é bom letrista, razoável compositor e péssimo cabo-eleitoral.
Para Lula, cidadão deve investir durante crise.
RODAPÉ - Ué, que crise?!? Parece até o Delfim Neto falando quando era secretário-ministro da velha Seplan e a inflação chegou a 40% ao mês.
ALGUMAS MANCHETES DE ALGUNS JORNAIS


Homem é detido no Egito após propor troca de casais na internet.
RODAPÉ - É uma múmia!

Robôs disputam Copa do Mundo de futebol e Olimpíada.
RODAPÉ - Ronaldo Fenômeno já fez dois gols. Rebeca Gusmão não conseguiu marcá-lo.


Pais alugam cães para farejar drogas de filhos nos Estados Unidos. ENTRELINHAS - Ficamos assim: os cachorros dos pais estão cuidando das drogas dos filhos.

Folha Online: Lula minimiza derrota de Marta e afirma ter saído ileso da eleição.
ENTRELINHAS - Ele saiu porque não entrou; o PT entrou bem porque se saiu mal.
BONS SINAIS
Boa a primeira fala de Eduardo Paes como prefeito eleito do Rio. Disse que vai enxugar a máquina administrativa e usar o crtério técnico para seleção de pessoal que deve sair dos quadros de carreira do funcionalismo público. Disse muito mais: vai acabar com a aprovação compulsória dos alunos do ensino fundamental carioca.
RODAPÉ - Com isso, Eduardo Paes está resgatando o orgulho e a auto-estima dos professores que hoje, são meros monitores de salas de aula cheias de crianças que se preocupam muito menos com o saber do que serem fomezerados na hora da merenda.
"Ombudsman" não perdoa. Olha ele aí de novo: Esse discurso tá muito mais para candidato do que para prefeito eleito. É o óbvio, todos deveriam agir assim, mas e como ficam os aliados na fila a espera da boca prometida? (Ombudsman).
A CHINA SOB AS LENTES DE MIKE RONCHI
Libertas quae sera tandem!
Não se engane, o que o pastor Títiro disse a seu antigo parceiro Melibeu na obra de Virgílio foi "libertas quae sera tamem" - liberdade ainda que tardia. No ciclismo paraolímpico, a bicicleta dupla atende pelo nome de "tandem". E a liberdade não tarda nunca.

Ciclismo - Esta modalidade é praticada por paralisados cerebrais, deficientes visuais, amputados e lesionados medulares - cadeirantes - de ambos os sexos. Ela é praticada de duas formas: individual ou por equipe. Suas regras são da UCI - União Internacional de Ciclismo adaptadas por algumas ligeiras alterações quanto à segurança e à classificação dos ciclistas. As bicicletas são de modelos convencionais ou triciclos para paralisados cerebrais, conforme o grau de sua lesão. O atleta cego compete em uma bicicleta dupla – “tandem”. O guia ocupa o banco da frente para dar a direção. No caso dos cadeirantes, a “pedalada” é feita com as mãos: é o que se chama de handcycling. Há três tipos de provas: em velódromo, estrada e contra-relógio.
MAQUINISTA OU BOMBEIRO
Gilberto Kassab já disse, assim que ganhou a eleição, que vai cumprir os quatro anos do seu novo mandato como prefeito de São Paulo.
ENTRELINHAS - Kassab é um raposão político, moço e mal-intencionado - no bom sentido. Ele sabe que tem tempo para ver a tucanagem se queimar e seus pares se demonizarem à cata da cadeira presidencial e do governo paulista. É jovem o bastante para, com o respaldo de uma boa administração na prefeitura paulistana, escolher - na hora certa - se vai ser maquinista da locomotiva brasileira, ou bombeiro do incêndio nacional.
RODAPÉ - Mal se pode esperar pelo debate na TV entre Kassab e Lula... Em 2014. Quem viver, verá.

PASSEIO
Gilberto Kassab tirou dona Marta pra dançar e deu um baile.
RODAPÉ - Agora se sabe: aqueles 77,7% de aprovação do Lula nâo tinham nada a ver com São Paulo. E os 22,3% que sobraram para a oposição não eram bem o que as pesquisas queriam dizer...
INTRANSFERÍVEL
A pífia transferência de prestígio para dentro das urnas nesse segundo turno das eleições municipais foi um aviso do povo aos semideuses da política. O País não quer soberanos, nem reis, nem caciques e, muito menos, um deus brasileiro que é pé-frio em futebol. No máximo, o povo quer valer-se e tirar o que pode dos que se fazem de pai-de todos, fura-bolo, mata-piolho, seu vizinho ou dedo mindinho.
RODAPÉ - Se não tiver um deles, então, aí mesmo é que não elege sequer um poste.
O RESTO
A melhor pesquisa é o que sai da boca da urna: Lula não é capaz de eleger um poste. Seu prestígio é seu; é intransferível.
ENTRELINHAS - Lula é Lula; o resto é o resto.
RODAPÉ - Só falta o resto saber disso.

POSTE
Lula, minimizando a decepção de não ser o transferidor de votos que pensava: "Quando alguém vai votá pa presidente, ele vai votápa presidente; quando vai votá pa prefeito, ele vai votá pa prefeito. Não tem essa ligação direta".
ENTRELINHAS - Isso vai ter que ser repetido lá adiante, quando o candidato presidencial for um poste sem luz própria.
NA BAHIA
O PT perdeu em Salvador, mas o governo Lula ganhou.
NÃO O DEIXARAM SÓ
Em matéria de incapacidade para transformar prestígio em voto, Lula não está sozinho: Chico Buarque fez feio com Rosário, em Porto Alegre e Caetano Veloso ficou de tangas curtas com Gabeira, no Rio de Janeiro.
BEM PIOR
A cada dia que passa fica pior a situação de Lula no Rio de Janeiro. Lá ele é assim-assim com Sérgio Cabral e agora conta com Rosinha Garotinho e Eduardo Paes.
RODAPÉ - Quem tem aliados assim, não precisa de oposição.

26 de out de 2008

TEMPO PARA PENSAR

Nos meus tempos de peladeiro no Gerovital, versão futebolística brasiliense da Charqueada São João, em Pelotas*, a grande sensação das tardes de sábado era um craque tosco, bom de bola e ruim de cuca. Tipo assim o presidente, sem escola; com uma incrível intuição.

Se o marcador – fosse quem fosse – entrasse nele de primeira, tomava o drible sem dó nem piedade. Era lépido, liso e ágil.

Um dia, Flory Machado – o clássico centro-médico do time, descobriu a pólvora: toda vez que o craque da turma dominava a bola, Flory avisava:

- Deixa. Deixa. Não vai nele. Deixa ele jogar. Dá tempo pra ele pensar...


Santo remédio. Dali em diante, ninguém mais entrava de primeira no cara. Davam-lhe tempo para pensar. Não saia nada. Sobrava futebol, faltava cabeça. O craque sumiu. Acabou virando árbitro oficial dos peladeiros.

Com Marta Ainda Suplicy foi assim. Quando lhe deram tempo para pensar no que deveria dizer não soube o que fazer, acabou tomando uma goleada. Vai terminar sendo titular no ministério de Lula.
* Pelotas - Minha cidade, minha sorte / De um céu sempre azul / Que olha de frente pro Norte - Uma pátria pequena que tenho no Sul.(Esquina do Aquário, 1981).
O ABC não está com o presidente Lula.
Não é novidade, ele também nunca esteve com o ABC.
SÓ DEU IBOPE
O Ibope, como sempre, não errou nenhuma: deu o bote na boca de urna.
RODAPÉ - Pesquisa de boca-de-urna dá certo até quando não é feita.

RANKING
Na hora de eleger prefeitos, o PMDB é o Corinthians da política brasileira. Nessa versão da Segundona eleitoral foi campeão fácil, fácil. Em segundo lugar vieram os tucanos. O PT entrou em uma inexpressiva terceira colocação, apesar de escalar o presidente na hora de bater o pênalti.
RODAPÉ - Aparecendo desse jeito, o PMDB vai ter que se cuidar: qualquer dia todo mundo vai descobrir que ele é o governo invisível.

FELIZ
Kassab continua solteiro e muito mais feliz.
RODAPÉ - E lá se foi dona Marta fechar a porta do armário.

CARGA PESADA
Kassab foi votar na companhia de Zé Serra. Se fosse sozinho a diferença sobre Marta seria muito maior.
ENTRELINHAS - Ao saber disso pela manhã, Marta chegou a pensar na "grande virada". Era a bobagem de última hora que ela esperava que o Kassab cometesse.

UFA!
Ao perder a prefeitura de São Paulo, Marta perdeu também a cadeira que pretendia ocupar no Palácio, em 2010. O Brasil escapou bonito. Estava à beira de um golpe com sotaque argentino por trás.

GAUCHADA
Em Porto Alegre, Fogaça meteu um vento negro pra cima do PT que agora desfia um rosário de desculpas esfarrapadas. Dilma, a Mãe do PAC e Genro, o Tarso de Lula, não elegeram nenhum poste nos Pampas. Por onde andaram, perderam feio.

PELOTAS
Fetter Júnior, do DEM, foi o prefeito mais votado da história política de Pelotas, um dos maiores colégios eleitorais do Rio Grande do Sul. Fez mais de 110 mil votos contra 83 mil e uns quebrados de Fernando Marroni, do PT que recebeu a honorável visita da dupla dinâmica, Dilma e Genro.
RODAPÉ - Ganhou a cidade. Agora tem um prefeito e um deputado federal a partir de janeiro do ano que vem.

RIO
Gabeira - quem diria?!? - acabou de tanga na mão. Nadou, nadou contra a maré universal e acabou morrendo na praia.
RODAPÉ - Ficou verde de raiva.
REJEIÇÃO
Os candidatos que tomaram um banho de votação no primeiro turno, tentaram lavar a alma como transferidores de voto no segundo. Bobagem, roupa suja se lava em casa. O que determina a lavagem na prorrogação é a mancha da rejeição dos perdedores.

IMUNES
Essa epidemia de alianças na fase terminal das eleições mostra apenas que político não tem medo de contágio ao comer no prato em que cuspiu.

FILHOS DA MÃE
No primeiro turno, um passou chamando o outro de filho disso, filho daquilo; o outro passou chamando o um de filho dessa, filho daquela... No segundo turno descobriram que fazem parte da mesma irmandade. Ambos são filhos da mãe do árbitro de um grande clássico.
LIBERDADE DE EXPRESSÃO
A mídia convencional - rádio, TV, jornal, revista - adora questionar a credibilidade da internet, da agora temível webmedia. Desconsola-se por constatar que "hoje, qualquer pessoa pode ter um blog"... Quer saber até onde pode ir um instrumento de comunicação como esse que não precisa se submeter - e não se submete - ao controle de nada e de ninguém. Peca por falta de horizonte. Qualquer pessoa pode ter um blog... E muito mais: pode ter um site, pode ter um portal. E incontáveis lincks. E de contatos de primeiro, terceiro e milhares de graus. E muito mais ainda: pode ter liberdade de expressão.
RODAPÉ - Qual a credibilidade de um veículo de comunicação convencional - rádio, TV, jornal, revista - que está obrigado a seguir uma linha editorial que, descumprida, pode redundar no olho da rua?!?
ENTRELINHAS - A liberdade de expressãoda mídia convencional vai até à ponta da língua dos seus donos e patrões; amos e senhores. A língua dos patrões é um poderoso chicote social até à primeira palmada dos patrocinadores. O cara da OAB tem razão: "O Brasil não tem liberdade de imprensa; tem liberdade de empresa".
Pois não é que os gaúchos tiveram que trocar o prazer dominical de navegar no bucolismo dessa imagem que está no Site do Estado do Rio Grande do Sul, pelo segredo indevassável de uma reles e obrigatória urna?!? Os institutos de pesquisa - infalíveis como sempre - dizem que Fogaça "dá de relho" em Maria do Rosário. Uma vez mais, Lula será o grande vencedor. Não foi, por livre e espontânea vontade, apoiar nenhum dos dois. Não tem como perder.

Marta e Kassab passaram por aqui, às pressas. Hoje é dia de cumprimentar todo mundo. O tempo é curto. Kassab estava a 60km e Marta a 40km.

Hoje o Rio amanheceu sorrindo. Para os institutos de pesquisa - com suas margens de lucro de 3% para cima e para baixo - Eduardo Paes e Fernando Gabeira, estão empatados. Os cariocas já têm um vencedor: o Ibope.

Lula, o Pai dos Pobres, vai ter tanta dificuldade em transferir esta faixa para a Mãe do PAC em 2010 quanto teve dificuldade em transferir votos para seus preferidos no segundo turno destas eleições. Lula , como era previsível, não conseguiu eleger nenhum poste. Dilma vai ser a Marta amanhã. (Foto: Secom-PR)
Agência Estado:
FMI CONCLUI QUE DIRETOR NÃO COMETEU
ABUSO DE PODER
WASHINGTON - O Conselho Executivo do Fundo Monetário Internacional (FMI) concluiu, por unanimidade, que o diretor-administrativo da instituição, Dominique Strauss-Kahn, não abusou de seu cargo ao manter um relacionamento sexual com uma subordinada, a húngara Piroska Nagy.
ENTRELINHAS - Ele abusou foi da secretária mesmo.
RODAPÉ - Agora a família de Strauss quer saber porque ele gosta tanto de Piroska.
Lula: : "Eu fico indignado quando falam que aumentou o risco Brasil. Falem no risco Inglaterra, no risco Alemanha, no risco Estados Unidos... Foi por lá que começou a quebradeira"!
RODAPÉ - Por via das dúvidas, tire do banco e aplique no risco.
UM DIA DEPOIS DO OUTRO
Hoje é o Dia D. Amanhã, The Day After. Daí pra frente, todo dia é Dia de Crise. Para você financiar um veículo, só se for o carrinho do supermercado.
VITÓRIA DO FUTEBOL
Fluminense 3x0 Palmeiras. Ganhou o futebol! Cada vez mais o Verdão afasta Luxemburgo da Seleção Brasileira.
CORINTHIANS BI
Depois de fazer, como nunca, a alegria de sua torcida na segunda divisão, o Corinthians voltou!
RODAPÉ - Enfim, um bom motivo para se acompanhar o Brasileirão do ano que vem: assistir ao primeiro bidescenso do futebol brasileiro. Ele voltará.

25 de out de 2008

DOSE GENÉRICA
Moisés Pereira

O GRENAL É O MAIOR

A revista Trivela editada em São Paulo pelo Jornalista Caio Maia, ex- Folha de S. Paulo, fez uma pesquisa entre mais de 30 jornalistas, 23 do Brasil e oito do exterior, para estabelecer o ranking dos clássicos de futebol do país. O resultado indica o Gre-Nal como o mais importante do Brasil.

Vários critérios foram pré estabelecidos desde a rivalidade regional, a tradição, a importância nacional e a relevância futebolística. A gauchada sempre alardeou que nada poderia ser maior do que o nosso Gre-Na e este aval logicamente causou ótima repercussão na aldeia.

Penso que a tradição de rivalidade e maniqueismo que sempre imperou no sul desde Chimangos x Maragatos, PTB x UDN, e PT x anti PT mais recentemente é um dos fatores determinantes para que a rivalidade no futebol seja tão acentuada por aqui.

Deve ser também levado em conta que os clássicos do Rio e São Paulo notadamente grandiosos diluem-se na rivalidade por fatores pontuais devido a serem múltiplos, seis em cada centro, diminuindo a rivalidade, quando as torcidas têm vários alvos a combater.

No ranking da Trivela, Palmeiras x São Paulo ficou em 2o. lugar, e o BRA-PEL ficou em 22o lugar destacando-se pela tradição e rivalidade. O CA-JU não apareceu na lista, e no exterior o primeiro é Real Madri x Barcelona.
A CHINA SOB AS LENTES DE MIKE RONCHI

Só pra não dizer que, na China, não se falou de cogumelos e de flores...

QUEBRA-QUEBRA
Mantega, o peremptório: "Os bancos não estão quebrando".
RODAPÉ - Mantega bem que poderia garantir também, do alto de sua intimidade com o produto que "pão não engorda". Estaria certo em ambos os casos: banco não quebra, quem quebra é o cliente; pão não engorda, quem come pão é que engorda.

CÉUS!
Marta foi impedida de entrar no CEU.
RODAPÉ - São Pedro já se desculpou: - Marta, minha anja, você está irreconhecível!

A MÁQUINA
Marta entrou na Justiça queixando-se de que Kassab está usando a máquina contra ela.
RODAPÉ - Pela diferença nas pesquisas, deve ser um trator.

A RAZÃO
Tudo de ruim que acontece com o governo, Lula diz que é culpa da oposição; tudo de ruim que acontece em São Paulo, Zé Serra diz que é culpa do PT.
RODAPÉ - Um dia a gente descobre quem está enganado. O mais provável é que ambos tenham razão.

NA CABECEIRA
Há duas semanas, não mais que isso, Lula disse que disse para George Bush ao telefone: "Ô Bush, pára de nos incomodar. Vai tratar dessa crise aí. Essa crise é tua"!
RODAPÉ - E agora aceita convite para, como Pai dos Pobres, ir a uma reunião dos ricos do G-8. Deve sentar à cabeceira da mesa. Só pra pagar a conta.

24 de out de 2008

Banida da natação, Rebeca Gusmão jogará futebol

Portal Terra, BRASÍLIA - Enquanto espera pelo julgamento da Corte Arbitral do Esporte sobre seu caso de doping nos Jogos Pan-Americanos, a nadadora Rebeca Gusmão deixará as piscinas para jogar futebol. Ela foi anunciada como reforço da Ascoop na Liga Nacional de Futebol Feminino.

- Tudo que é novo é bom - diz Rebeca em entrevista ao jornal Correio Braziliense. Apesar de encarar a empreitada no futebol de campo como diversão, ela garante que disputa qualquer competição para vencer, independentemente de qual seja.


- Eu posso dar um apoio psicológico, mostrar para essas meninas que você pode viver do esporte - disse Rebeca ao jornal. - Tomara que isso chame a atenção da mídia para o futebol feminino - acrescenta a atleta de 24 anos.

RODAPÉ - Não há qualquer notícia de que a Ascoop esteja tentando a contratação de Maradona para técnico do time nesta temporada. Há também quem acredite que seu futebol é uma droga.

Saiu mais uma lista exonerando funcionários comissionados parentes de senadores, diretores e chefes lá no Senado. É o efeito súmula vinculante do STF. A Casa do Polvo está quebrando os pratos com a parentada. (Foto: Agência Senado).
Agência Senado: "Renan comenta desempenho feminino nas eleições 2008".
RODAPÉ - Disso ele entende.
Carta aberta
Solteira, sem filhos. E daí?

Dona Marta e sua gente, que me perdoem todos, mas diretamente desejo, de coração, que vocês todos sejam jogados na lata do lixo da história. E que suas cabecinhas falsas, perversas, atrasadas e ignorantes fiquem bem longe de nossa cidade.

Vocês, Dona Marta e sua gente, estão querendo governar São Paulo? Deus nos livre de vocês, com esse pensamentinho barato, esse jeitinho comunista de ser que não resiste a um vento, essas balelas religiosas, esses estelionatos que estão praticando em todo o país.

Dona Marta e sua gente, vocês não mexeram só com os gays ou os seus simpatizantes, o que já seria mais do que suficiente para afundá-los na lama. Vocês mexeram com os solteiros, sem filhos. Mexeram comigo. E com milhões de outras pessoas que são, sim, SOLTEIROS. E que não têm filhos, não!

Vocês chamaram para a guerra - e como seus fidalgais inimigos - os solteiros, sem filhos. Somos muitos, Dona Marta, e somos poderosos! Porque vivemos para nós. Podemos ser gays. Podemos não ser. Podemos ter cachorro, gato, papagaio, beijá-los na boca, dormir com eles na cama. Podemos transar. Podemos nos manter sem transar. Podemos transar com um, com dois, com três. Podemos nos apaixonar. Sabia? Podemos até casar! E ter filhos... Ou adotar, ou cuidar dos filhos dos outros...

Olha só, Dona Marta, podemos ter amantes! Não é muito mais divertido? Está com inveja? Saiba, Dona Marta e sua gente, que há muitos de nós! Sabe que somos muito bem requisitados e valorizados no trabalho? Que nossas casas são mais bonitas? Que gastamos melhor nosso dinheiro? Que somos mais responsáveis, carinhosos e ligados aos nossos amigos e familiares?Por um acaso, Dona Marta, sabe que somos a cara da cidade que a senhora ousa se recandidatar a governar? Que papelão, que nojo!!!

Quem são vocês, Dona Marta e sua gente, para ousar questionar essa opção? Vocês têm alguma idéia de como é, para nós, importante, poder responder orgulhosamente: Solteiros, sem filhos. Imaginam o que eu, mulher, solteira (embora com muitos casamentos sem papel) já passei, encontrando nesses meus 50 anos de vida, gentinha como vocês? Gentinha que considera, no fundo de suas pequenas almas, que somos gente de 'segunda categoria', ou que - nossa! - por não sermos casados, somos 'gays'?

Cansei e canso de ouvir insinuações, em geral veladas. 'Humm... Ela deve ser sapatão!' Sou não, Dona Marta!!! Mas nem eu nem o prefeito Kassab, nem nenhum de nós, lhe deve satisfações sobre para quem damos, se comemos ou somos comidos, se fazemos sexo com homens, mulheres, ou ambos.

Não, Dona Marta e sua gente: somos livres! Eu, por exemplo, não tenho que agüentar um marido argentino rabo de saia que já lhe presenteou pelo menos com uma boa surra de olho socado, e pelo qual mudou a lei beneficiando estrangeiros, ou um senador idiota ilustre por anos, para dizer que tenho alguém. Eu não tenho que sorrir em festas infantis, muito menos ver meus lindos filhinhos virando pseudopunks ou sambistas chatos e sem noção. Mais: eu não tenho que, a qualquer preço, vender a minha biografia ou tentar mudar minha cara e minha personalidade.

Dona Marta, a quem a senhora pretende enganar tentando parecer a Luiza Erundina? Ficou igual à Vovó Donalda, Dona Marta, olhe bem no espelho. Porque a Luiza Erundina, Dona Marta, que deveria estar muito envergonhada de estar do seu lado, nunca teve problemas em dizer que era solteira, sem filhos. Governou a cidade, foi muito querida, e só se atrapalhou mesmo quando essa sua corja petista começou a meter a mão na cumbuca.Como vocês ousam fazer essa pergunta ao prefeito Kassab? Sim, eu respondo por ele: é solteiro, sem filhos; ouvi dizer que tem um gato de estimação.

Mas Kassab tem uma família; todos com uma história construtiva, muitos engenheiros, gente do bem, Dona Marta! Irmãos, que o querem muito bem, com certeza. Cuida do pai, cuidou da mãe, vive feliz, seus olhos brilham, e ele gosta de trabalhar pela cidade.

A senhora pode dizer que tem uma família? Cadê? Mostra aquela foto da sua família! Aparece com o Luis Favre! Apresente-o para a gente! Não me faça rir. Mas, por favor, chega, não me faça querer xingá-la, como é o pensamento que tenho agora. Me deixe simplesmente esquecê-la, ou lembrar apenas de seus melhores momentos.

Olha que já está ficando difícil lembrar dessa parte de sua biografia.Vamos falar sério, Dona Marta e sua gente: podemos começar com Celso Daniel. Que tal? Não, não quero saber de nada de crime de Santo André. Quero saber como é que vocês conseguem dormir depois de, por causa do preconceito, há exatos 6 anos, fazer de tudo para que a verdade mais clara do mundo a respeito de Celso Daniel (e verdade com a qual ele lidou numa boa) não aflorasse?

Petista não pode ser veado, né? Pode, sim! A senhora e sua gente acha mesmo que levantou alguma suspeita sobre o prefeito Kassab? Ora, seu filhinho Suplinha pula dali, pula daqui... e não é que ele é solteiro, sem filhos? Será gay? Será por isso que ele usa aquelas tachas na roupa, pinta o cabelo, faz cara de mau? Lá pelos lados do Palácio do Planalto tem outras pessoas assim, hein? Solteiras, sem filhos! Quer que eu lembre de algumas ou não precisa?

Dona Marta, que vergonha, que papelão! A gente não lutou tanto tempo, não morreu brigando, foi torturado, batalhou tanto, para a senhora e sua gente vir agora mexer com uma coisa tão importante como é a liberdade individual. Dispensamos e desprezamos gente como você, e como o Eduardo Paes, esse simplesmente um moleque safado, que deveria ir, logo, para o PT. (Marli Gonçalves, jornalista, 50 anos, solteira, sem filhos. E não é gay!)

RODAPÉ - Jesus Cristo era solteiro, sem filhos e era feliz.
A CHINA SOB AS LENTES DE MIKE RONCHI


Um click! Luz natural. Profundidade de campo submersa a um rígido controle que deixa no foco somente a medalha. Simples assim... Tente capturar um ouro igual... Mike quando bate fotos, bate recordes.
TURBINAS
O jornalista José Cruz deixou a UTI do Hospital Brasília, no Lago Sul. Foi lá se espraiar um pouco. Está três safenas mais gordo. Em poucos dias volta à redação do Correio Braziliense e aos bastidores do esporte brasileiro. Turbinado. Uma das recomendações médico-jornalísticas: dieta de tapioca.

RODAPÉ - Duvida-se que a cumpra.

INVESTIMENTO
Os investidores estão tirando seus valores da Bolsa. Descobriram que o melhor investimento no Brasil é aplicar na inflação.

OPERAÇÃO TRAGÉDIA DE SANTO ANDRÉ
Olha que pérola do comandante trapalhão do seqüestro em Santo André: “Podem ter se confundido com um barulho que pareceu um tiro, mas também pode ter sido um rojão”. E disse mais: “O barulho foi dentro do apartamento, mas pode ter sido fora”.

ENTRELINHAS - Vai ver que a porta foi mesmo explodida pelos policiais; mas pode ter sido arrombada pelo seqüestrador; como também pode ter sido estourada por uma das reféns; quem sabe até pelas duas mais o Lindemberg aquele... Mas, peralá! Que porta?!? Que apartamento?!? Que seqüestro?!?

COTURNADA
Se você é capaz de notar a diferença entre o barulho de um tiro e de um pontapé de coturno na porta, então você tem tudo para ser um atirador de elite da polícia de Santo André.

NUNCA

Nuncanessepaís se tinha visto tanta bala de borracha perdida. Até policial grevista leva bomba de efeito imoral.

REIZINHO
Nosso Reizinho de verdade foi delicado com a rainha da Jordânia: - Majestade, eu gostaria de ser o rei de Campos do Jordão. Daria meu reino por um cavalo.

DEUSES
Lula baixou a Lei Seca para todo o Brasil; Deus decretou a Lei Seca da natureza para Brasília. Desde abril não chove uma gota na Capital da República. Quando dois deuses não querem, um povo não bebe.

LOTERIA ITALIANA
A loteria italiana acumulou e ficou em 100 milhões de euros. Aí, por acaso, saiu para um acertador da Sicília, por mera coincidência, berço da Máfia. O acertador, por puro azar, acaba de ser localizado. Já pagou a proteção. Está feliz da vida: sobrou-lhe um milhão de euros no bolso. É um milionário. E a sua vida é uma fortuna.


LIBERDADE
O cara da OAB tem razão: “O Brasil não tem liberdade de imprensa; tem liberdade de empresa”. Veja as TVs, escute as rádios, leia os jornais de hoje.

ENCONTRÃO

Na Argentina, Cristina Kirchner não quis nem saber: estatizou os fundos. Imediatamente, Lula convocou uma reunião do Mercosul para a semana que vem. Quer olhar nos olhos dela, cara a cara, corpo a corpo. Enfim, um encontrão. No bom sentido.

CONFIANÇA ZERO
O índice de confiança do consumidor despencou. Espere só até amanhã. Na segunda-feira a blindagem eleitoral já acabou. Aí, eu quero você tirar aquelas férias que vem planejando desde o início do ano quando Lula e Mantega nem pensavam em lançar a bolsa Confiança Zero.

DESPERDÍCIO

Nos Estados Unidos, o partido republicano faz de tudo para ganhar uma eleição. Acaba de torrar a módica quantia de 100 mil dólares no guarda-roupa da candidata a vice-presidente, a bonita Sarah Palin que sacode a libido americana. Dinheiro posto fora: ganharia muito mais voto se o partido tirasse toda a sua roupa.

23 de out de 2008

A CHINA SOB AS LENTES DE MIKE RONCHI

Caminhando assim, ao vento, com lenço e com documento lá em Pequim, Mike Ronchi não perdeu o atalho. Encurtou o caminho e flagrou o "cogumelo" com a forma de um mini Bird Nest. Na verdade, se tratava de uma das incontáveis unidades de iluminação pública que clareavam as passagens de acesso ao próprio grandioso estádio Bird Nest.


Umas que outras

Moeda é campeã entre corpos estranhos engolidos por crianças.
Quando crescem viram políticos e engolem sapos.

Marrakech atrai turistas com encantadores de serpentes.
Os velhinhos estão largando o Viagra e viajando para Marrocos.

Égua curiosa é resgatada de árvore nos Estados Unidos.
Nem égua, nem curiosa: é burra e gosta de trepar em árvore.

Muricy Ramalho quer evitar relaxamento do elenco são-paulino.
Só quer gozar.

No Rio, Paes e Gabeira estão empatados.
O carioca está mais perdido que bala no morro com qualquer um deles como prefeito. Paes, não sabe trabalhar; Gabeira, não gosta.
MANCHETES DE JORNAIS

Folha de São Paulo: Governo autoriza BB e Caixa a comprar bancos e empresas.
ENTRELINHAS - É a estatização das falências com dinheiro público.

Agora São Paulo: Amiga de Eloá não ouviu tiro antes da invasão da polícia.
ENTRELINHAS - Já virou arquivo-vivo.

O Estadão: BB e CEF podem estatizar bancos em dificuldade.
ENTRELINHAS - Dinheiro bom comprando dinheiro podre.

O Globo: Lula dá superpoderes a bancos oficiais e assusta o mercado.
ENTRELINHAS - Mercado formal, bem entendido né?!?

Correio Braziliense: O Brasil no olho da crise.
ENTRELINHAS - É aquele terceiro que Lula trouxe lá da Índia.
L'OSSERVATORE PIANÍSSIMO
Carlos Eduardo Behrensdorf
Uma historinha napolitana

Num início de semana escapei de Roma e me mandei para Nápoles, Pompéia e Sorrento. Nápoles é aquilo mesmo. Chego a pensar que Orestes Barbosa quando escreveu o trecho “... nossas roupas comuns dependuradas, na corda qual bandeiras agitadas...” do nosso muito conhecido Chão de Estrelas, se inspirou em Nápoles.
Algumas das ruelas fazem uma verdadeira exposição da calças, calcinha e calções, camisas, camisinhas e camisões, sem falar em blusas, toalhas, lençóis e não sei mais o quê das mais variadas cores. Os panos napolitanos drapejam com se fossem estandartes medievais.

Confesso que nunca vi em capital alguma um trânsito tão amigavelmente barulhento, confuso, aparentemente sem preferencial e, ainda assim, dando vez aos pedestres. Mesmo assim, penso o seguinte: quem atravessa uma rua napolitana no centro é como se fosse um trapezista saltando sem rede.
No táxi que me levou para o centro pela primeira vez, o motorista fez uma suave contramão, trocou de via para fugir do engarrafamento e enveredou por uma ruazinha, a Santa Sofia. Até aí, tudo bem. A velocidade não ultrapassava oito ou dez quilômetros. Ocorre que em um determinado trecho, uma velhinha daquelas gorduchas, de cinema, lavava e varria a frente do prédio. O carro passou e, mesmo devagar, virou uma lata d’água. A velhinha deu a maior vassourada no carro.

Grito pra lá, grito pra cá, a mulher continuou lavando e varrendo e o táxi lá se foi aos trancos e barrancos num legítimo beco sem saída. Apesar do contratempo, entre mortos e feridos todos os passageiros chegaram são e salvos à Catedral de San Genaro.

Só uma dica: vem a Roma e quer ir a Nápoles? O Eurostar, direto, leva apenas uma hora e 15 no trajeto. A noite napolitana de frente para o mar vale qualquer vassourada ou risco de um chega pra lá de carro ou moto. Podes crer...

Dizia eu que em Nápoles, como em qualquer outra das cidades italianas que passei, há personagens de um mesmo cenário: nas calçadas, os africanos oferecem bolsas de grifes fajutas. Os asiáticos vão um pouco melhor: uns são garçons, outros porteiros e uns poucos já têm pinta de empresários atuando em hotéis, bares, restaurantes e lancherias.

No mais, todos sabem o que a cidade mostra como atração principal: a Catedral, que abriga relíquias do mártir San Genaro. Lá estão a cabeça do santo dentro de um busto prateado, e os frascos com o sangue que se liquefaz três vezes por ano.

Sobre o sangue, os napolitanos sempre aguardam o primeiro domingo de maio, 19 de setembro e 16 de dezembro. Se o sangue se liquefaz, haverá dias de vinhos e rosas, se nada ocorrer, a barra pode ficar pesadíssima. Foi o que me disseram.

Olhar o golfo de Nápoles é um ótimo colírio. De vez em quando, a imagem do Vesúvio assusta um pouco a quem é marinheiro de primeira viagem. A montanha parece um gigante esclerosado e mal-humorado, que poderá cuspir fogo se ficar irritado. (La nostra Fontana Azzurra - Roma 2008)
OPERAÇÃO MARTÍRIO DE SANTO ANDRÉ
Nayara depõe: "Não houve tiro antes da invasão da polícia".
A polícia que antes jurava que só explodira a porta porque escutara o estampido, agora diz que isso é o de menos "porque o seqüestrador tinha clara intenção de matar".
ENTRELINHAS - A missão da polícia não é provocar o crime; é impedir que ele seja cometido. Deve ser presa por conivência.

22 de out de 2008

Porque também nunca foi treinador, Maradona ainda não sabe se vai ter na seleção da Argentina o mesmo sucesso de Dunga na Seleção Brasileira. Tudo leva a crer que será apenas uma simples reprise do fracasso de Romário como técnico do Vasco da Gama. A verdade é uma só: quem nasce pra Maradona, jamais chega a Pelé.
Amigo ouvinte, vem aí o
Museu do Rádio!

Em 22 de outubro, Edgar Lisboa assumiu a presidência do Instituto Brasileiro do Rádio e hoje trata de conseguir o local apropriado para a instalação do Museu Brasileiro do Rádio, em Brasília. Mais de 500 peças de notável valor histórico já fazem parte do acervo da entidade.

Edgar Lisboa é o rádio em pessoa. Um resumo da comunicação eletrônica feito pela imaginação. Um arquivo interminável de histórias de todos os tamanhos e feitios. Vai do oito ao oitenta em frações de segundos. Ele sabe como ninguém o valor do tempo no universo da radiofonia. Ao toque de Midas – que o consagrou como uma das maiores fontes de prospecção econômica do rádio brasileiro - ele junta o toque de humor que o caracteriza como uma onda interminável de histórias humanas e de casos incríveis. Aqui, no Sanatório da Notícia, no entanto, ele vai nos dar a novidade: O Museu Brasileiro do Rádio. Um misto de lugar e de entidade que vai mostrar, em peças, sons e vozes, a história do rádio, “o maior amigo do homem”.

Breve síntese de sua trajetória: Lisboa circulou e circulou, andou e andou pelas direções, chefias, redações, assessorias e corredores de empresas de comunicação como o Grupo Editorial Sinos; Empresa Jornalística Caldas Júnior; Jornal do Brasil, AJB – Agência de Notícias, Novas Mídias, Globalstar, Rádio JB e Rádio Cidade, CBN/Rádio Globo (Sistema Globo de Rádio) onde implantou o Manual de Redação e o Manual de Postura Política; ANJ – Associação Nacional de Jornais, Agência Jornal do Brasil, Gerente Executivo de Comunicação da CNI – Confederação Nacional da Indústria ( SESI/SENA/IEL)onde criou a rádio e TV Indústria. Representou no país a organização Repórteres Sem Fronteiras, com sede em Paris; é membro da Associação rio-grandense de Imprensa (ARI ), da Associação dos Cronistas Esportivos do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, da International Federation of Journalistof, na Bélgica, Associação Brasileira de Imprensa e do Sindicato dos Radialistas do Rio Grande do Sul.

INSTITUTO BRASILEIRO DO RÁDIO

Entrevista com Edgar Lisboa

DM: Instituto Brasileiro do Rádio?...
EL:
Surgiu em maio de 2005, como uma organização civil de direito privado, sem fins lucrativos. É democrática e pluralista. Com um número ilimitado de sócios, atua sob os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, economicidade, eficiência e publicidade que ninguém é de ferro. O IBR nasceu para suprir uma demanda urgente por qualificação entre os diversos profissionais que atuam no rádio. O interesse é qualificar a cobertura e aprofundar a discussão dos temas sociais.

DM: Fale dessa “missão”.
EL:
A idéia e a determinação é contribuir com a democratização e a qualificação das informações e dos profissionais que atuam no rádio brasileiro, tendo como princípio o desenvolvimento humano, a ética, a paz, a cidadania, os direitos humanos e a transparência das organizações e empresas que trabalham com a radiodifusão no país.Já estamos assinando um convenio com a UNB- Universidade Nacional de Brasília, para criar um curso rápido de atualização para os profissionais do rádio. A idéia é trazer grupos de radialistas de todas as partes do país para atualização e discussão do novo rádio e o futuro do rádio com ma chegada do rádio digital.

DM: Está bem, mas e os objetivos?
EL:
Insisto na necessidade de promover-se a qualificação e atendimento a profissionais de rádio e estudantes, para que tenham uma visão mais ampla e uma compreensão maior do que seja a prática profissional. É preciso produzir e difundir conteúdos formativos e informativos.

DM: Na parte prática...
EL:
Realização de estudos e pesquisas, desenvolvimento de novas tecnologias; produção e divulgação de informações, conhecimentos técnicos e científicos sobre a radiodifusão no Brasil. Já estamos finalizando para colocar imediatamente em prática projetos de educação, cultura, meio ambiente e de defesa e conservação do patrimônio histórico e artístico nacional.

DM: E o que mais?
EL:
Já começamos a realizar teleconferências, palestras, treinamentos, aperfeiçoamento profissional, encontros, eventos, fóruns e seminários. Isso acontece pessoalmente ou à distância. Estamos prontos, como integrantes do chamado, para executar ações de acompanhamento e monitoramento de assuntos ou de interesses ligados à radiodifusão nas esferas dos três Poderes constituídos.

DM: A sede é em Brasília.
EL:
Sim, no centro do poder de decisão. Não há atalho melhor nem mais ágil para qualquer encaminhamento. Estamos no Business Center Tower Brasil XXI, no coração da Asa Sul. É só ligar que a gente atende: 61-3224-1473, ou enviar um e-mail:
edgarlisboa@uol.com.br

DM: Fale do Museu Brasileiro do Rádio
EL:
Bem, o Museu é o que se chamaria no jornalismo, um furo do Sanatório da Notícia. Você se valeu da nossa velha amizade para me transformar numa fonte de informação. O Museu já conta com mais de 500 peças históricas da nossa radiofonia. Há aparelhos de rádio, mais de 400, antigos , de várias partes do mundo e funcionando, fitas gravadas com sons e vozes de tudo quanto aconteceu na trajetória do rádio brasileiro, como um ponto de referência para as transformações sociais no país, nos estados da Federação, em cada cidade, em cada canto do Brasil. Em breve estará sendo instalado em um local privilegiado da Capital Federal, a ser determinado nos próximos dias, pelo governador José Arruda.

L'OSSERVATORE PIANÍSSIMO
Carlos Eduardo Behrensdorf


A comunicação em italiano para estrangeiros

Circulando por Roma, esta semana, a revista italiana Família Cristã atacando a proposta de aulas de adaptação para crianças imigrantes, definindo-as como aulas-gueto e até mesmo como a primeira medida racial do Parlamento. Os editores da revista entendem que a moção aproxima perigosamente a escola da segregação e da discriminação, entendimento que deverá ser contestado por um ou uma das falantes autoridades governamentais e parlamentares.

Sobre este assunto vale dizer que em Florença há um bom exemplo que poderá servir como modelo, fugindo das possíveis aulas num estilo internacionalmente conhecido por “apartheid”. Em Florença, um ônibus leva as crianças estrangeiras da escola para aulas de italiano e depois as leva de volta às aulas.

O assunto é diariamente abordado, seja pelos meios convencionais de comunicação como nas conversas de praça entre estrangeiros que por aqui circulam, seja por quem mora em qualquer cidade italiana, Roma inclusive.

Pois bem, vamos direto ao nó, dizendo que a inclusão ou a aceitação dos estrangeiros que vivem temporariamente na Itália, seja por trabalho, ou mesmo daqueles e daquelas que para cá se mandam em busca de uma maravilha que não existe, é dificultada pelos filhos da terra. Eles se adoram, são umbigocêntricos, ou seja, o próprio umbigo é o centro do mundo.

Constato, sou testemunha e dou fé, que africano, asiático, romeno ou qualquer vivente que por aqui circula com a pele mais pra moreno do que pra escandinavo, mesmo com terno, gravata e alguns euros no bolso, é olhados com cara feia. Não fala corretamente o italiano? Tá ferrado! Era só o que faltava "non parlare”!

Abundam (eta palavra explosiva...) as reclamações que escuto do tratamento dado a estrangeiros em repartições públicas, cujos funcionários torcem o nariz para quem não fala a língua-mãe (deles...) mesmo sendo turistas.

Das muitas coisas que não sei, esta é mais uma: de onde vem esse preciosismo e amor à língua-pátria (deles)? Saiu um metro da Itália em direção a qualquer país? Ninguém fala italiano fora das fronteiras italianas. Quem andou pela Europa nos últimos meses sabe disso. Para ser enten
dido, só com espanhol ou inglês. (Roma, outubro de 2008).

RODAPÉ - La nostra Fontana Azzura se vinga não permitindo que o italiano deles atrapalhe em nada o seu espanhol.

Mantega nega que os bancos estejam quebrando no Brasil.
RODAPÉ - Na semana passada ele negou que a crise atingiria o Brasil. E o Bamerindus continua numa boa.

Pai de Eloá ficará foragido até defesa analisar processo.
RODAPÉ - Vai ficar sendo o que sempre foi.

Nayara passa bem e deve ter alta esta tarde.
RODAPÉ - A polícia de Santo André já pensa em permitir que ela visite Lindemberg no presídio.


Lavador de carros é preso fazendo sexo com aspirador.
RODAPÉ - Não, não foi na Argentina; foi em Michigan. E Maradona não tem nada com isso.
A campanha de Marta quer saber se o pai da menina Eloá, morta pelo namorado seqüestrador, tem vínculos com a turma da Polícia de São Paulo que invadiu o apartamento onde elas estavam confinadas. Ainda há tempo para produzir e editar um bom jingle.
Garibaldi Alves, do espaldar alto de sua cadeira senatorial passa a misteriosa batata-quente do anti-nepotismo para Fernando Bandeira de Mello que, ao ser nomeado advogado-geral do Senado, lançou para o objeto não-identificado um olhar tipo assim Fernando Collor que, por um acaso é senador e, por pura coincidência, também é Mello.(Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado).
Dos lábios de dona Marta - como já se pôde constatar neste segundo turno, em São Paulo -as palavras por exatas que sejam, saem sempre distorcidas. Só falta dizerem agora que o senador Eduardo Suplicy anda fumando cachimbo. Botox é que não é. (Foto: Leopoldo Silva /Agência Senado)
Agência/Senado:
Garibaldi anula decisão sobre nepotismo e demissões de parentes podem ser ampliadas no Senado

Sanatório da Notícia - Dedo em riste e bem dos dentes pra fora, Garibaldi Alves Filho decidiu afastar do cargo o advogado-geral do Senado, Alberto Cascais, nomeando para seu lugar o consultor legislativo do Senado Luiz Fernando Bandeira de Mello. Para o presidente da Câmara Alta, Cascais "não se mostrou à altura do desafio" e elaborou um enunciado que foi "alvo de condenação do procurador-geral da República". Resumo da ópera: Garibaldi chutou o balde do corporativismo bufo que não quer cumprir a Lei Anti-Nepotismo.

L'OSSERVATORE PIANÍSSIMO
Carlos Eduardo Behrensdorf


PAU PURO
Por aqui, como nem sempre mataremos a cobra, eventualmente mostraremos o pau. Mostrando nossa preocupação com os nossos leitores – alguns nem tão bissextos assim – vamos buscar em fontes altamente competentes assuntos sérios, importantes e que nos fazem pensar. Bom proveito. (Carlos Eduardo Behrensdorf, Roma, 2008).

Venda de terras para estrangeiros:
A soberania brasileira está ameaçada?

A soberania brasileira tem sido evocada como argumento para aumentar as restrições ao direito de estrangeiros de comprar terras no Brasil. Nos últimos quatro anos, o investimento externo no mercado imobiliário brasileiro cresceu 347%.

De acordo com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), há 4 milhões de hectares de terras na mão de estrangeiros (5,5 milhões, se forem consideradas as propriedades sem registro no órgão), o que representa 0,47% da área total do país. No entanto, para muitos, trata-se de uma invasão do território nacional.

A lei que rege a participação estrangeira em propriedades rurais é de 1971 e foi feita no espírito protecionista do regime militar. A regra, válida até hoje, estabelece que cidadãos de outros países podem ser donos de, no máximo, 5 mil hectares de terras. Dependendo do tamanho do município onde se encontra a propriedade, o limite pode ser ainda menor. Tanto que o Palácio do Planalto estuda enviar um projeto de lei ao Congresso, para impor mais limites ao avanço do capital internacional sobre propriedades rurais no Brasil.

Antigamente, guerras e invasões de território eram feitas exclusivamente por terra, fazia sentido controlar a compra de fazendas próximas às fronteiras. Para o economista americano Stanley Engerman, co-autor do livro "Direitos Agrários, Etno-nacionalismo e Soberania na História", isso não faz mais sentido. A restrição à compra de terras por estrangeiros era uma forma de evitar que o preço das fazendas subisse muito. Nos países desenvolvidos, as leis existentes são apenas um resquício de um passado em que essas preocupações tinham uma razão de ser. (La Fontana Azurra di Sanatório: www.opiniaoenoticia.com.br).